A EVOLUÇÃO DO DHARMA – O AVANÇO DA MISSÃO DA ALMA

A EVOLUÇÃO DO DHARMA – O AVANÇO DA MISSÃO DA ALMA

Como transformar o “Carma” em “Dharma”?

Como quitar / “queimar” meus carmas ruins?

Como minha missão de vida vai evoluindo?

Como sei que tenho um dharma? Como sei que tenho uma missão de vida? Como sei que tenho uma missão da alma? Como sei que tenho uma programação existencial?

 

INTRODUÇÃO – um artigo sem papas na língua

Antes de prosseguir na leitura eu recomendo que você leia os artigos anteriores, são curtos, e não tenha pressa, isto é, se quer mesmo entender essas coisas e as respostas para tais perguntas. A não ser que você seja bem superficial – como quase todo mundo é hoje em dia, e por isto as redes sociais fazem tanto sucesso – muita leviandade, opiniões baseadas nas emoções sem pesquisa e baixo discernimento intelectual e consciencial.

Então se quer mesmo saber as resposta, se não for leviano e nem superficial leia tudo com calma, pois aqui não damos receitinha de bolo, mapa do caminho, nós priorizamos quem quer aprender, quem quer se ajudar, com força de vontade, priorizando seu tempo e energias, e sabemos, por isto, nunca vamos fazer “sucesso” nas mídias, na web e nem em lugar nenhum. Pois as “galeras” querem tudo rápido, resultados imediatos e sem esforço, tudo com receita fácil e caminhos “mágicos” e “místicos” para atingir um milagre encomendado.

Leitura sugerida contendo vários artigos http://consciencial.org/karma-dharma/

Para quem quer mesmo priorizar a sua ‘possível’ MISSÃO DE ALMA’ (apenas para quem está a fim de verdade) tenho que sugerir estes dois livros:

O KARMA E SUAS LEIS – Você pode ler 20% de graça aqui: http://consciencial.org/portfolio/nossos-livros/ 

ou comprar aqui: www.amazon.com.br/dp/B00GZR2EII

DISTORÇÕES ESPIRITUALISTAS. – Você pode ler 20% de graça aqui: http://consciencial.org/portfolio/nossos-livros/

ou comprar aqui: www.amazon.com.br/dp/B00GZR2JG0

Então me aparece um leitor folgado que quer tudo de graça e ainda diz: “este Dalton está só querendo vender livro”.

Então eu te digo: quem quer tudo de graça é porque não tem nem força de vontade e nem mesmo sequer a intenção de evoluir, quer apenas ler por curiosidade, de uma forma sem compromisso.

Então um outro leitor me diz: “mas estou sem dinheiro e os livros estão caros”.

Então eu respondo: você tem a opção de comprar os e-books baratos aqui www.ebooks.consciencial.org, e se ainda assim não quiser e não puder leia os 5 livros básicos de Allan Kardec que estão de graça aqui: http://consciencial.org/tudo-gratis/ – que aliás tem muito mais coisa que isto.

Na pior hipótese já ajuda bastante o leitor ir lendo nosso site todo, é de graça, é didático, é profundo e com responsabilidade sem a leviandade dos milagreiros New Age espalhados pela web e pelo mundo, prometendo mundos e fundos e preços módicos (as vezes muito caros).

De 90% a 95% nosso conteúdo é todo de graça. Ainda tem o nosso Facebook, nosso Youtube, nosso Instagram, então a pessoa que quer aprender de fato não tem mais desculpa.

E quero deixar um recado e dizer que NÃO VIVEMOS DO SITE, DOS LIVROS OU E-BOOKS, trabalhamos neles nas HORAS VAGAS, temos outro trabalho para viver, portanto, não somos profissionais, não temos mesmo excelência nesse serviço, fazemos o que podemos, apesar da falta de apoio a ingratidão e crítica leviana de algumas pessoas. Os sites geram custo, os livros saem muito caro e estão cada vez mais difíceis de serem impressos. Só conseguimos fazer este trabalho porque somos nós mesmos que fazemos a parte técnica e estrutural. Gastamos com cursos e livros que compramos, além do tempo dispendido.

 

Explicado isto, podemos iniciar nosso delicioso tema

Uma missão de vida, dharma, missão de alma, etc, é algo que se conquista aos poucos de forma natural e espontânea. É para quem quer melhorar de fato, e não se pode enganar os amparadores (amigos espirituais), então o sentimento tem que ser autêntico, genuíno. Daí o porquê de eu ter feito todo este início já para filtrar e espantar os levianos e superficiais, pois eles vão desistir da leitura rapidinho.

Digo para você, que uma missão de vida pode começar em condição encarnada por sua própria iniciativa ou no plano espiritual (plano astral se você merecer).

Para ter uma missão de vida (conceito genérico que vai se especificando) vou também explicando desde o generalismo até a pontos mais específicos para facilitar a compreensão:

  • Você tem que ter vontade se melhorar como ser humano, como ser espiritual, sua ética;
  • Você tem que estar disposto a aprender o “espírito voluntário”, ou intensão de se doar, de sair do egoísmo e ajudar a humanidade;
  • Tem que ter a vontade de sair do egocentrismo, de ser o centro de atenção, de necessitar de aplausos, de cliques, de “curtidas”, de page views, de seguidores e saber que a evolução consciencial e a responsabilidade crescente da Missão da Alma leva ao anonimato.

Este é o tripé básico das Missões da Almas, dos Dharmas, das Programações Existenciais. Então exige uma auto aperfeiçoamento íntimo intenso que levará vidas e mais vidas, encarnações e mais encarnações de aprendizado, trabalho e ética.

Tudo que você ganhar nas Missões de Vida, tem que ser mérito seu e nada será doado de graça, você receberá apoio espiritual e ferramentas emprestadas que surgirão através de sincronicidades meritórias. Seu carma ruim será quitado por você, ponto a ponto, ceitil a ceitil, em trabalho útil, lento e contínuo as pessoas.

Em um nível mais avançado, quando já estiver mais lúcido, com a consciência mais expandida e puder assumir mais responsabilidades, seu dharma incluirá AJUDAR O DHARMA ALHEIO. Ajudar o dharma alheio é para quem já está num nível mais alto, já não é mais tão egoísta e compreende que ajudar ao dharma alheio é ajudar ao próprio dharma mais ainda. Irá aprender a ser gatilho, ser motivador do dharma alheio. Compreendeu isto?

Entenda que a primeira coisa é entender o que são as missões de vida. São trabalhos de autodoação ao coletivo.

Depois você tem que desejar isto: quero ajudar ao coletivo, quero ir devagar saindo do egoísmo, quero aprender a amar. Temos que ir abandonando os egos, a superficialidade, a leviandade evolutiva, temos que nos aplicar mais, que nos concentrar mais, leva tempo, dá trabalho, fora o sofrimento que receberás dos incautos das massas de manobra e um sofrimento ainda maior de conhecer a si mesmo e descobrir que não és nada! E daí nossa consciência, nosso holossoma dispara uma série de reações, culpas, medos, arrependimentos que nem sabíamos que existia em nós. Temos que aprender a nos perdoar e termos muita paciência conosco mesmos.

Está vendo como é difícil e lento? Que não tem aquela fórmula mágica da New Age Web tipo “15 pistas / dicas / coisas / passos de que você tem uma missão de vida”. Isto serve bem para as massas, mas não tem a menor profundidade, é apenas um caça cliques. Eu sei que este método pode ser usado por gente séria, e pode até ajudar superficialmente, mas essa técnica virou truque de webmarketing e tem gente que até escreve bem, mas não compreende o assunto a fundo.

PODE ESCREVER SOBRE MISSÃO DE VIDA QUEM TEM UMA PARA SER COBAIA DE SI MESMO – DCR

Não basta ser jornalista, escritor, webwriting, copywriter, um criativo fluente, quero ler de alguém que tem o SERVIÇO NAS COSTAS e frutos para mostrar!

Claro, eu sei, uma missão de vida não precisa ser dedicada ao serviço consciencial / espiritual / evolutivo diretamente, mas tem que ser um serviço a coletividade. Evidente também que quem tem um serviço consciencial / espiritual / evolutivo diretamente, já está numa condição de responsabilidade e lucidez acima da média, apesar de que não significa um nível evolutivo elevado. Mas se a pessoa quer escrever e ensinar sobre Missão da Alma do ponto de vista ESPIRITUAL / CONSCIENCIAL, tem que ter frutos para comprovar autoridade sim.

As vezes até pelo contrário, a pessoa está num prejuízo cármico muito grande e está tentando dar uma acelerada em seu processo pessoal, e só conquistou isso (um Dharma / Missão de Vida) por mérito próprio chamado intensão, mais vontade de aprender a servir e a sair do ego. Para ser mais honesto ainda e transparente ao leitor, eu mesmo me incluo aqui.

Eu me considero até abaixo da média, estou num prejuízo cármico muito grande e ganhei esta Missão de Alma para tentar quitar alguma coisa com serviço útil. Já estive comprometido carmicamente no passado com manipulação de informação e das pessoas, também já trabalhei em bibliotecas e já estive em encarnações muito simples (como a maioria das pessoas) mas algumas bastante dedicadas ao lado espiritual: padre, monge, andarilho, etc.

Então vamos avaliar os mitos, informações e desinformações sobre Dharma, Missão de Vida, Missão da Alma, projeto Reencarnatório de forma generalista, porém útil.

1. Todo mundo tem o dharma básico

Todo mundo tem a obrigação de se melhorar consciencialmente. A reforma íntima, embora seja um chavão espírita tem um sentido real que serve para todos, se melhorar, e isto é responsabilidade de si mesmo, sem salvações, sem terceirização da auto cura. Cada um tem que curar a própria alma.

2. Como transformar o Carma em Dharma?

É a pergunta que ouço de alguns, como se fosse tão simples. Na verdade não é tão simples, mas talvez a explicação generalista o seja. A medida que você vai quitando carma, aumentando a lucidez e a vontade de servir a humanidade, no decorrer das encarnações, você vai adquirindo o mérito de ganhar uma encarnação mais planejada e orientada ao coletivo. Claro, tem que treinar e estudar para desenvolver os talentos, pois sem eles você não vai conseguir fazer grandes coisas.

E quando eu começo a treinar? AGORA! Está lendo e estudando obras e cursos idôneos? Ou navegando na web cheia de porcaria New Age delirante?

3. Como minha missão de vida vai evoluindo?

As programações existenciais são como ir a escola, você vai estudando, obtendo resultados, fazendo as provas (encarnações) e caso vá passando de ano – cumprindo as metas encarnatórias, sua missão vai aumentando de capacidade, amplitude e complexidade. Até chegar num ponto que além de sua Missão de Vida, você passa a ser uma referência e também auxilia na Missão de Vida dos outros.

É por isto que nós do CONSCIENCIAL aqui ao invés de ficar julgando, condenando e criticando pessoas, nós focamos nas ideias, e elas nós refutamos ou endossamos e não as pessoas. E mesmo que não gostemos a nível pessoal de alguém, nós observamos APENAS O QUANTO ESSA PESSOA ESTÁ AJUDANDO AOS OUTROS NA MISSÃO DELA!!!!!!!

Mas Dalton, o fulano de tal, que tem um trabalho tal, tem um defeito tal e eu não admito! Então faça melhor que ele (o que não basta), inclusive auxilie as pessoas que ele está auxiliando (substitua-o), já que você se sente um JUIZ JULGADOR dele.


Se você compreender este breve artigo já terá dado um avanço nas possibilidades de obter uma Missão da Alma mais planejada, todos por aqui torcemos por você.

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)