MONOGRAFIA APP PARA FREQUÊNCIAS BINAURAIS EM MEDITAÇÃO

MONOGRAFIA APP PARA FREQUÊNCIAS BINAURAIS EM MEDITAÇÃO

Retirado de Monografia de Luíde Mendes Rios, José Honório Glanzmann – <https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=4&ved=0ahUKEwjb74iWyN_YAhVGDZAKHUMfAR8QFgg7MAM&url=http%3A%2F%2Fperiodicos.jf.ifsudestemg.edu.br%2Frevistabsi%2Farticle%2Fdownload%2F31%2F29&usg=AOvVaw09Qyj9-Z0COYmQ6O7Y8dEi> – em 17/01/2018 – o Consciencial.org pede desculpas, pois a monografia perdeu toda a bela formatação que continha em seu PDF original.


Aplicativo que manipula ondas cerebrais por meio de frequências binaurais
Luíde Mendes Rios1, José Honório Glanzmann2

1Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais – Campus Juiz de Fora – Rua Bernardo Mascarenhas, 1283 – Fábrica – 36.080001
– Juiz de Fora – MG – Brasil
2Núcleo de Informática Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais – Campus Juiz de Fora

luide.si@hotmail.com, jhglanzmann@gmail.com

Abstract. This paper aims to develop a guided technology in wellestablished knowledge of neuropsychology and neuroscience activate
specific states of consciousness by brain waves stimulated by binaural sound, which will be available through an Android application. The binaural
sound technology of this work rhythms normalize brain waves, by adjusting the brain neurotransmitters, this process improves overall brain and nervous
system function, making it an effective treatment for a wide range of health conditions, including stress, being a quick and powerful way to optimize the
psychophysiological functioning user providing his quality of life.
Resumo. Esse trabalho tem como objetivo desenvolver uma tecnologia pautada nos conhecimentos, bem estabelecidos, da neuropsicologia e
neurociência de ativar estados de consciência específicos por meio de ondas cerebrais estimuladas por som binaural, que estará disponível por meio de
um aplicativo Android. A tecnologia de som binaural desse trabalho normaliza os ritmos das ondas cerebrais, reequilibrando os
neurotransmissores do cérebro. Esse processo melhora a função cerebral global e o sistema nervoso. Tornando-se uma forma eficaz de tratamento para
uma vasta gama de condições de saúde incluindo o stress, sendo uma maneira rápida e poderosa para otimizar o funcionamento psicofisiológico do
usuário lhe fornecendo qualidade de vida.

1.Justificativa

O que impulsionou a realização desse trabalho foi primeiro o grande interesse sobre áreas como a psicologia, a neurociência e de como surge os pensamentos e emoções,
bem como, quais as influências desses na saúde do ser humano. Outro ponto foi buscar uma solução viável para o crescente problema do
aumento do estresse diário, que cada ser humano passa durante o dia e também poder
estimular, com ajuda da tecnologia computacional, a manipulação de ondas cerebrais. O
acesso a diferentes níveis de consciência mental pode apresentar vantagens, quando
usadas de forma correta, para estimular uma melhora sobre a saúde mental e emocional.
A função desse trabalho é utilizar uma tecnologia, que atua diretamente sobre a
base de comunicação do nosso cérebro. Essa comunicação é feita por meio de ondas
cerebrais que são vibrações elétricas. A intenção é procurar gerar um equilíbrio no
cérebro, manipulando a atuação de ondas cerebrais específicas a esse fim. Com um
plano de treinamento de uso, o usuário da tecnologia pode ajustar sua mente ao tipo de
estado de consciência que melhor lhe convier. A tecnologia que estimula as mudanças
de ondas cerebrais é obtida por meio de uma batida sonora, que foi descoberta em 1839
por um pesquisador alemão, Heinrich Wilhelm Dove e depois foi estudada também por
Gerald Oster e Robert Monroe, que desenvolveu e patenteou a tecnologia binaural beat
em suas pesquisas no Instituto Monroe. Esse projeto de pesquisa usa os conceitos de tal
tecnologia, porém incorpora tecnologias computacionais atuais. É proposto o
desenvolvimento de um aplicativo android, que disponibiliza as cinco faixas de som que
atuam sobre os cinco estados de consciências diferentes existentes. Com apenas um
dispositivo móvel com o sistema android e um fone de ouvido, o usuário será capaz de
usufruir dessa tecnologia.
O público-alvo principal desse trabalho são estudantes ou pessoas que queiram
desenvolver uma melhor saúde mental com redução do estresse é um maior foco e
concentração para os estudos.
2.Delimitação do tema
Esse projeto de pesquisa delimitou-se em demonstrar como o som binaural pode trazer
grandes benefícios à saúde mental, física e emocional para o usuário, levando em
questão os indivíduos, que não utilizam técnicas de relaxamento ou não possuam tempo
para a realização de atividades que venham a reduzir os fatores estressores que
acumulamos durante o dia. Segundo Lacerda (2009), as situações repetitivas de
estresse psicológico podem ser decisivas para desencadear também a depressão.
Tendo como referência os resultados da pesquisa que foi publicada no European
Journal of Neuroscience (2010), cientistas da Universidade de Londres, na Inglaterra,
obtiveram a primeira evidência direta da ocorrência de mudanças no cérebro humano
causadas por ondas cerebrais naturais, induzidas por treinamento.
As mudanças significativas na neuroplasticidade1 do cérebro foram observadas
após a formação de ondas cerebrais alfa. Demostrando assim, pelos pesquisadores, que
meia hora de controle voluntário dos ritmos do cérebro é suficiente para induzir uma
mudança duradoura na excitabilidade cortical e na função intracortical ou medular.
O que em outras palavras quer dizer que foi observado uma mudança da
neuroplasticidade no cérebro. Estudos demostram os ótimos benefícios da estimulação
de ondas cerebrais, como a melhoria na integração sensorial (MORRIS, 1990),
relaxamento, meditação, redução do estresse, controle da dor e sono (WILSON, 1990;
RHODES, 1993), e cuidados de saúde (CARTER, 1993).
Outros trabalhos têm mostrado a eficácia da estimulação de ondas cerebrais
como o acesso a estados anômalos de consciência (ATWATER, 1997), um possível
efeito antinociceptivo2 durante a anestesia (KLIEMPT et al., 1999), e o tratamento da
ansiedade (LE SCOUAMEC et al., 2001).

2.1.Tema:

O uso da tecnologia computacional pode promover recursos, que facilitem as pessoas no
combate ao estresse. No decorrer do trabalho percebeu-se, que o desenvolvimento de
um aplicativo para dispositivos móveis poderia auxiliar nesse processo, por ser um
recurso tecnológico disponível e de grande portabilidade.
1 Neuroplasticidade, ou plasticidade cerebral, é a capacidade de remapeamento das conexões das nossas
células nervosas, o processo que nos ajuda a continuamente aprender. Refere-se à capacidade do sistema
nervoso de mudar, adaptar-se e moldar-se a nível estrutural e funcional ao longo do desenvolvimento
neuronal e quando sujeito a novas experiências. E a maneira do nosso cérebro agir e reagir à medida que
experimentamos uma mudança em nosso ambiente ou desenvolvemos uma habilidade, Purves (2004).

2 Antinociceptivo: que anula ou reduz a percepção e transmissão de estímulos que causam dor. Dicionário
Priberam da Língua Portuguesa (2013).

3.Formulação do problema

De acordo com Neurociência, o cérebro é provavelmente o órgão mais fascinante do
corpo humano. Ele controla tudo: da respiração até nossas emoções e inclusive os
nossos pensamentos. Os pesquisadores Crick e Koch (2003) iniciaram esse
conhecimento para Neurociência, determinando qual é a linguagem básica responsável
por criar a interface de comunicação entre o corpo e mente. Eles classificaram os
pensamentos e emoções de acordo com as ondas cerebrais que produziam.
A alegria e a tristeza, o doce e o amargo, o claro e o escuro são sensações que
produzem registros de ondas cerebrais tão distintas quanto as impressões digitais. São
por meio dessas descobertas, que, hoje os cientistas conseguem criar algum tipo de
emoção e sensação apenas modulando uma frequência de onda cerebral específica que
corresponde ao padrão de consciência desejado.

Mas, como será que anda nossos processos mentais e emocionais? Nós realmente damos as devidas atenções a eles? Sabemos do impacto que eles causam na
nossa saúde?

Segundo Damásio (1996) há uma intrincada participação da emoção nos
processos de tomada de decisão e raciocínio. A emoção confere valor e auxilia na nossa
capacidade de elaborar planos, bem como ter responsabilidade sobre si mesmo e os
outros e nos dá um senso de responsabilidade e de convívio social.
As emoções e os sentimentos seriam responsáveis por estabelecer uma ponte
entre os processos racionais e não-racionais. Por isto, podemos entender que
basicamente emoções e pensamentos andam juntos e que quando ocorre uma sobrecarga
de emoções ou de estresse o sistema nervoso não consegue acompanhar.
De acordo com a teoria psicanalítica várias doenças podem ser desencadeadas
pelas aflições psicológicas de seus portadores. Como exemplo de algumas temos as
alergias, bulimia e até infarto do miocárdio.
O psiquiatra francês Janet (1989) descobriu que os sintomas surgem como um
indicador para chamar a atenção para o sofrimento psíquico que o indivíduo tem
guardado no seu subconsciente. Quando se apresenta apenas os sinais, diz-se que a
pessoa está somatizando. Mas, pode ocorrer uma intensificação do processo de
somatização causando males realmente físicos e verificáveis por exames clínicos e
nesse caso, o diagnóstico é doença de origem psicossomática.

4.Hipótese

O principal fator que demostra grande alteração nos processos mentais e emocionais é o
estresse que surge por uma elevada pressão ou esforço para realizar algo em meio às
adversidades e situações complicadas do dia a dia. O estresse é a resposta do organismo
a qualquer estímulo e trata-se de uma tensão física, mental e emocional, que vai refletir
no corpo, desequilibrando através de um conflito que fragiliza o indivíduo e que é
comum na vida de todas as pessoas (CLEIDE, 2006), (BENSON, 2006, 2011), (BORIN,
2006).
O estresse tem sua função no ato de preparar o indivíduo para ação de
autopreservação, quando se sente ameaçado prepara todo seu corpo para agir
na defesa contra um agressor, porém se o estresse for algo contínuo na vida
da pessoa ele que acaba sendo o agressor, pois ele gera uma queda em todas
as funções orgânicas diminuindo assim a resistência a doenças podendo levar
até a morte. Neste estágio e preciso interromper o estresse para não levar o
organismo a falência. Este estágio é conhecido como distresse, segundo
(ZUARDI, 2014).

As principais consequências do distresse são: desânimo e desatenção; pressão
alta ou baixa; insônia e exaustão; baixa autoestima; falta ou excesso de apetite; dores no
peito, musculares e nas juntas; dor de cabeça; vômito e náuseas e falta de vontade de
fazer sexo. Benson (2006) avaliou exatamente esse fenômeno de estresse explicando,
que a situação de vida a que estamos sujeitos diariamente nos destrói, pois grande parte
das pessoas ficam num padrão de onda cerebral estressante e não utiliza de nenhum
meio de relaxamento e nem busca ajuda de profissionais da área, facilitando assim um
agravamento do problema.

As pesquisas realizadas por Benson, demonstram que a fé e a meditação
melhoram a saúde. Portanto, ele receita 20 minutos de meditação, duas vezes ao dia,
para prevenção e combate de problemas como insônia, tensão pré-menstrual,
infertilidade e hipertensão. Além disso, alivia os efeitos de doenças crônicas e
tratamentos químicos fortes, como o de câncer. Benson (2008) concluiu que de 60% a
90% das doenças podem ser curadas pela mente.

5.Objetivos
5.1.Objetivo Geral

Usar da tecnologia computacional para combater o estresse, utilizando para isto,
conhecimentos de pesquisas da área de neurociência aplicada à técnica de estimulação
de ondas cerebrais por meio de som binaurais.
Desenvolver um aplicativo de som binaural para dispositivos móveis na
plataforma android, de fácil manuseio para ativar ondas cerebrais.

5.2.Objetivos Específicos

 Validar a aplicabilidade do som binaural por meio de referência de pesquisa na área
da neurociência como uma ferramenta eficiente para reduzir o estresse e também
ativar diferentes estados de consciência.

 Estruturar informações que possam ser base para construir as faixas de áudio de
som binaural que serão colocados no aplicativo.
 Avaliar qual a IDE (Integrated Development Environment)3 apropriada para a
construção do aplicativo ativador de onda cerebral.
 Demostrar o aplicativo criado.

6.Embasamento Teórico
6.1.Ondas Cerebrais

Todo o processo cerebral ocorre por meio de atividade elétrica das células cerebrais.
As ondas cerebrais são, ondas eletromagnéticas, produzidas pelo somatório
das interações elétricas dos bilhões de neurônios do cérebro. As frequências dessas
ondas elétricas são medidas em ciclos por segundo ou Hz (Hertz). As ondas cerebrais
mudam de frequência baseando-se nas atividades elétricas dos neurônios, que estão
relacionadas com mudanças de estados de consciência (concentração, excitação,
relaxamento, sono, dentre outros).
Cada pessoa tem sua própria característica de ações das ondas cerebrais. Tendo
um padrão e um ritmo, que incorpora as frequências Gama, Beta, Alfa, Teta, e Delta em
vários níveis.
Através das execuções diárias, o cérebro as modula para se adequar às
determinadas tarefas. E cada onda estimula a produção de um neurotransmissor
especifico, que vai gerar uma mudança química no organismo (BEAR, 2002), (TIMO
LARIA, PEREIRA, 1971), (CRICK, KOCH, 2003), (EMPSON, 1986), (LENT, 2001).
3 IDE- Ambiente de Desenvolvimento Integrado, é um programa de computador que reúne características
e ferramentas de apoio ao desenvolvimento de software com o objetivo de agilizar este processo. MYATT
(2007).

6.2.Faixas de ondas cerebrais

O tipo de onda cerebral é definido pela frequência que esta pulsa e esse tipo particular
de pulsação influenciará o nosso estado mental.
Existem cinco tipos básicos de padrões de ondas cerebrais. É a predominância
de um padrão sobre os outros que determina o nosso estado de consciência. A seguir,
segue uma breve descrição de cada um dos cinco principais padrões, bem como o seu
intervalo de frequência e respectivo estado mental.

Figura 1. Tabela das Ondas Cerebrais
FONTE: Expandir a mente, 2015.
As frequências específicas usadas no aplicativo para cada onda, foram
escolhidas pelas características que elas apresentam e pelos estudos realizados por
autores que testaram tais efeitos.
Ondas Gama: as ondas cerebrais gama são responsáveis por ligar e processar as
informações de todas as outras partes do cérebro. A elevada quantidade de atividade de
ondas gama no cérebro é associada com inteligência, compaixão, autocontrole e
sentimentos de felicidade, além disso, as ondas cerebrais gama têm sido associadas à
melhora da memória e uma maior capacidade de percepção da realidade.
Esta onda foi observada e estudada nos monges experientes em meditação,
(BENSON, 1974), (DAVIDSON, 2013), (CRONE et al., 2001), (BURLE et al., 2000);
(MILTNER, 1999), (JOHN, 2001), ( MUNK, 1996).
No aplicativo foi adotado a frequência de 40 Hz referente a onda gama, que está
associada a atividade mental de alto nível e que ajuda na resolução de problemas, de
acordo com os autores citados anteriormente.
Ondas Beta: esse estado está relacionado aos processos de atenção, concentração,
cognição. Sendo assim você está pronto para trabalhos que requerem atenção total.
Essa onda mostrou ser também eficiente para tratar fadiga e problema de
aprendizagem e concentração, chamada de transtorno de déficit de atenção. Em outros
estudos também foi confirmado melhora na acuidade visual, coordenação, no tratamento
de dislexia e falta de concentração. Bem como, ganho de QI na faixa de 8 a 10 pontos. A
onda beta influencia a autoconfiança e a socialização, torna a pessoa mais otimista e
energética. Além disso, ajuda nos estudos e nas práticas esportivas. (BRENNER, 1986),
(EGNER, 2004), (HAURI, 1981), (SIEVER, 2004), (HOWARD 1986), (PATRICK,
1996), (Damasceno, 2012). Os autores indicam a frequência de 15 Hz que foi adotada
no aplicativo.

Ondas Alfa: esse estado está relacionado aos processos de relaxamento, visualização,
criatividade, memorização e alívio da dor. No estado alfa a pessoa sente que a ansiedade
desaparece, proporcionando uma sensação de paz e bem-estar. Ela é eficiente no
tratamento do estresse, assim como também na solução de problemas de memorização,
relaxamento e práticas de visualização. Essa onda mostrou ser um excelente potencial
terapêutico para tratar os distúrbios de memória, tendo excelentes resultados em idosos.

Existe um estudo que usou a onda alfa em conjunto com a teta para tratar vícios de
álcool e drogas, visto que pessoas com personalidade propensas ao vício tem pouca
atividade destas ondas. Esta pesquisa mostrou um decréscimo de 55% no consumo de
álcool depois de sessões de treinamento alfa e teta (WILLIAMS, 2001, 2006),
(NOMURA et al., 2006), (OSSEBAARD, 2000), (ROSSITER, 2004), (HAMMOND,
2005), (TRUDEAU, 2000). Para o aplicativo foi adotado a frequência de 12 Hz
conforme as pesquisas dos autores mencionados.

Ondas Teta: esse estado está relacionando aos processos de criatividade, intuição
potencializada, conexões emocionais mais intensas que eleva a sensibilidade e sensação
de tranquilidade por eliminar a ansiedade. Ela também favorece a melhora das
habilidades para resolver problemas por reter quantidades muito maiores de informação
num período mais curto de tempo. Outras funções seriam as habilidades para atingir o
subconsciente sugestionando-o positivamente e reprogramando mudanças, sendo uma
excelente ferramenta para hipnoterapia. Ela possibilita também a cura do corpo na
produção de neurotransmissor que deixa o sistema imunológico mais forte para
enfrentar doenças, como também abaixar o nível de cortisol e equilibrar os níveis de
serotonina e melatonina, o que auxilia na cura de processos de depressão, insônia e até
inchaços. As ondas teta são responsáveis por gerar mais vigor e energia por ser um
revitalizante, além de relaxante, (WICKRAMASEKERA, 1977) (SABOURIN et al.,
1990). Esses autores indicam a frequência de 4 Hz, que foi adotada no aplicativo.

Ondas Delta: essa é a onda mais lenta e que leva ao estado mais profundo de sono,
desempenhando assim saúde e bem-estar por produzir um efeito restaurador de um sono
completo. Ela leva ao estado inconsciente, onde a intuição pode aflorar facilmente. A
onda delta é ideal para o sono, a recuperação física, mental e meditação profunda. Ela é
também responsável para a liberação de hormônios antienvelhecimento e o hormônio do
crescimento GH, que é benéfico para a regeneração celular. A onda delta leva a um
estado de felicidade e empatia onde a pessoa se sente mais conectada com sigo mesma
melhorando a intuição e memória. A faixa de frequência usada no aplicativo é 2,5 Hz
que além das funcionalidades anteriores, faz a produção do sedativo opiáceos
endógenos que alivia a dor (BOTELLA-SOLER et al., 2012).

Tendo como referência as características mentais associadas a cada padrão de
onda cerebral, é possível induzir um padrão específico, de forma a facilitar
determinadas atividades mentais. Uma forma de fazê-lo, baseia-se no princípio
científico da Harmonização, também conhecido como Arrastamento de Ondas
Cerebrais. Este é ativado pelo recurso dos sons binaurais4 que podem ser usados para
harmonizar ou sincronizar ambos os hemisférios cerebrais num só padrão sinérgico de
ondas cerebrais.

6.3.Arrastamento de Ondas Cerebrais por Som Binaural

O princípio de arrastamento ou harmonização foi descoberto aproximadamente em
1665, por um cientista holandês chamado Christian Huygens (MORAIS, 2003 apud
STROGATZ, 2003).
Ele observou um comportamento muito interessante que ocorria com seus
relógios de pêndulos que estavam pendurados nas paredes da mesma sala e que cada um
movia ao seu próprio passo dessincronizado de todos os outros, mas com a passagem do
tempo os pêndulos entravam em sincronia, adaptando-se naturalmente o ritmo de cada
um até todos os pêndulos se moverem em sintonia, em uníssono. Essa sincronização é o
resultado do princípio da harmonização que é um fenômeno físico que ocorre de forma
sistemática na natureza sempre que a oportunidade se proporcione.
Esse processo também possui implicações diretas no nosso cérebro, esse opera
de modo semelhante a uma caixa de ressonância5. As ondas cerebrais pulsam a
diferentes amplitudes e frequências, dependendo do nosso grau de envolvimento em
determinadas atividades. Tal como o pêndulo do relógio, o nosso cérebro pode ficar
sincronizado com determinados padrões de ondas se for exposto aos estímulos
apropriados.

Através do som binaural podemos ativar o princípio de Harmonização que faz os
hemisférios cerebrais entrarem num só padrão sinérgico de ondas cerebral. Neste caso o
som é o mecanismo de atuação para o funcionamento do som binaural, por isto será
explicitado a sua definição básica, segundo a Física.
O som se produz ao comprimir e descomprimir um determinado elemento, com
produção de vibrações moleculares que emitem ondas. Por serem ondas de natureza
mecânica, necessitam de meio para difundir-se por certo período de tempo, (BEAR et
al., 2002).

As diferentes frequências de ondas acústicas definem a quantidade de ciclos em
um segundo (Hertz). O som audível para um ser humano compreende a frequências
entre 20Hz e 20.000Hz, independentemente da complexidade e desde que seja com
amplitude maior que 0 dB (decibel), (BEAR et al., 2002), (KOLB et al 2002).
A sensação de batidas binaurais auditivas ocorre quando dois sons coerentes, de
frequências quase similares, são apresentados um em cada orelha com fones de ouvido
ou alto-falantes estéreo. O cérebro integra os dois sinais, produzindo uma sensação de
um terceiro som chamado a batida binaural.
4 Som binaural é quando sinais de duas frequências diferentes são apresentadas separadamente, uma para
cada orelha, o cérebro detecta a variação de fase entre as frequências e tenta conciliar essa diferença.
Oster (1973).
5 O corpo de um instrumento musical, um violão, por exemplo, é uma caixa de ressonância. As vibrações
da corda entram em ressonância com a estrutura da caixa de madeira que “amplifica” o som e acrescenta
vários harmônicos, dando o timbre característico do instrumento. A ressonância é a propriedade de
aumentar a intensidade de um som.
Site:http://www.seara.ufc.br/tintim/fisica/ressonancia/ressonancia5.htm
Figura.2 Batida Binaural.
Fonte : Pandit, 2014.

Por exemplo, se uma frequência de 114 Hz chega na orelha direita e outra de
124 Hz chega na orelha esquerda, uma batida binaural de 10Hz é criada pelo cérebro.
As ondas cerebrais tendem a se igualar, ao “seguirem” a batida binaural.
Se a batida binaural é de 10 Hz, o cérebro entra no padrão de onda alfa.
O som binaural gerado pelo cérebro origina-se no núcleo olivar superior do
tronco cerebral, o local de integração contralateral de entrada auditiva (MONROE,
1985). Essa região do cérebro é demostrada conforme a figura 3.
Figura.3 Batida Binaural Gerada no Cérebro.
Fonte:Neil (2011).
A batida binaural é neurologicamente transportada para a formação reticular, que usa
neurotransmissores6 para iniciar mudanças na atividade das ondas cerebrais, (OSTER,
1973 apud MONROE, 1985).

6.4.O benefício da batida binaural

Como observado na figura 1, cada onda possui sua característica é função específica.
Com isto notamos que não existe um estado de uma onda que seja “melhor” do
que outra, cada faixa de frequência de onda cerebral tem suas vantagens e funções
específicas. Cada indivíduo possui um padrão específico e dominante e é exatamente
este padrão que descreve como é o estado de consciência da pessoa. De acordo com as
pesquisas Benson (2006), a maioria das pessoas são carentes do padrão de ondas
cerebrais alfa, pois os fatores de estresses aumentam a cada dia, pela vida ser cada vez
mais corrida. Junto cresce o medo, a ansiedade e a tensão. O excesso de trabalho tende a
arrastar o indivíduo para frequências de ondas desequilibradas de alta atividade, que
estão longe do ciclo da onda alfa.

A onda alfa é um antidepressivo natural, pois ela permite a produção do
neurotransmissor serotonina. A serotonina é responsável por regular a primeira fase do
sono, chamado de “sono lento”, e quando sua transmissão não está tão efetiva gera casos
de depressão, ansiedade e outros distúrbios afetivos. No caso dela estar ativada, ocorre
uma melhora no humor, diminuindo também a ansiedade e irritabilidade, de acordo com
o neurologista Godoy (2013), do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo.
Outra atuação da serotonina é no tratamento da enxaqueca, pois ela alivia a dor.

Segundo o neurologista Cruz Leandro (2013), a serotonina é importante reguladora das
vias sensoriais de nosso corpo, inclusive da via dolorosa. Esse neurotransmissor
também diminui casos de agressividade, já que o neurotransmissor está ligado ao
controle de impulsos em nosso sistema límbico. Ele também atua na saciedade, pois a
serotonina é responsável pelo chamado estado de vigília quieta, diretamente relacionada
a essa. Esse estado previne a fome. Um fator curioso observado pelas pesquisas foi de
que os sintomas da TPM também estejam ligados à baixa transmissão de serotonina no
cérebro, segundo o neurologista Godoy (2013). Quando a produção de serotonina cai
abaixo do nível normal no cérebro, a pessoa se deprime.

A onda alfa aumenta a consciência global do indivíduo de si mesmo, relaxando o
corpo e diminuindo o fluxo de pensamentos, deixando assim a mente completamente
relaxada, o que leva a pessoa a se sentir um pouco sonolenta. O corpo se livra do
estresse, da tensão e da ansiedade.

Ativar a onda alfa desperta a criatividade e ajuda na resolução de problemas por
aumentar a capacidade lógica devido esta onda integrar uma comunicação harmônica
entre os dois hemisférios cerebrais7 podendo agora o indivíduo usar maior recurso
cognitivo para resolver ou encontrar uma solução criativa por seus problemas. Isto
ocorre porque antes o indivíduo usava apenas o hemisfério esquerdo do cérebro para
pensar no problema. Depois de entrar no estado alfa ele também adquire a ajuda e
6 Os neurotransmissores são substâncias químicas liberadas pelos neurônios e utilizadas para a
transferência de informações entre eles. Neurotransmissores produzidos pelos neurônios, as células
nervosas com a função de biossinalização. Por meio delas, podem enviar informações a outras
células. Podem também estimular a continuidade de um impulso ou efetuar a reação final no órgão ou
músculo alvo. Dicionário inFormal (2012).

7 O cérebro é dividido em dois hemisférios esquerdo e direito. O hemisfério esquerdo tem sido associado
com habilidades verbais pensamento lógico, racional e analítica. O hemisfério direito tem sido associado
com habilidades visuais / espaciais, emoção, aptidão musical, intuição e pensamento imaginativo. Há uma
razão que temos dois hemisférios: são ambas necessárias e complementares, e funcionam melhor quando
eles estão trabalhando juntos, Schwartz, (1975).

recursos do hemisfério direito que possui uma visão completamente diferente de
enxergar as coisas (BENCA, 1999), (ATWATER, 1988), (CHOPRA et al., 2013),
(GODOY, 2013), (MORRIS, 1990).

6.5.Desenvolvimento
6.5.1.Aplicativos para Dispositivos Móveis

Os aplicativos possuem algumas denominações particulares tais como: aplicativo para
celular, aplicativo móvel, aplicativo mobile. Mas, em grande parte das vezes escutamos
apenas ser chamado de App (application).
A função de um App é ajudar a resolver e solucionar problemas simples do
cotidiano das pessoas que na maioria das vezes começa logo quando a pessoa acorda
com seu App de despertador e seguem seu dia usando vários outros para cada função
especifica, como pesquisar algo em particular, fazer contas, anotar uma lista de coisas,
procurar um local pelo GPS ou entrar em contato com uma pessoa por mensagem de
texto ou voz. São inúmeras as possibilidades devido ao seu poder de aplicação e
flexibilidade na mobilidade.

6.5.1.1.Android

Android é o nome do sistema operacional que opera nos dispositivos móveis
(smartphones, netbooks, tablets e etc). Esse sistema operacional é baseado no Linux e
foi desenvolvido pela Open Handset Alliance, uma aliança entre várias empresas, dentre
elas a Google.

A função desse sistema é gerenciar todos os processos dos aplicativos e do
hardware do dispositivo para que esse mantenha o pleno funcionamento.
As empresas e os desenvolvedores buscam uma plataforma moderna e ágil
para o desenvolvimento de aplicações corporativas para auxiliar em seus
negócios e lucros. Já os usuários comuns buscam um celular com um visual
elegante e moderno, de fácil navegação e uma infinidade de recursos. Agora,
será que existe alguém para atender esses dois mundos completamente
diferentes? Para acompanhar essa evolução da tecnologia e satisfazer os
usuários, os fabricantes e operadoras de celulares, as empresas e nós, os
desenvolvedores, existe uma grande corrida estrelada pelas maiores empresas
do mundo em tecnologia móvel para competir por esse nicho do mercado. O
Android é a resposta do Google para ocupar esse espaço. Consiste em uma
nova plataforma de desenvolvimento para aplicativos móveis, baseada em
um sistema operacional Linux, com diversas aplicações já instaladas e, ainda,
um ambiente de desenvolvimento bastante poderoso, ousado e flexível
(LECHETA, 2010).

A escolha do Android foi baseada na recomendação de Lecheta (2009) bem
como, pelo grande número de usuários. De acordo com os dados divulgados pela
empresa de consultoria Gartner, o sistema operacional Android continua líder absoluto
entre os consumidores brasileiros, dominando o mercado em 85,1% dos aparelhos
vendidos no Brasil, TecMundo (2014).

7.Desenvolvimento do Aplicativo Ativador de Onda Cerebral

O aplicativo Ativador de Onda Cerebral é uma tecnologia que funciona simplesmente
enviando diferentes sons ou tons para cada orelha através de fones de ouvido estéreo.
Os dois hemisférios do cérebro, então, agem em uníssono para “ouvir” um
terceiro sinal, a diferença entre estes dois tons. Este não é um som real, mas um sinal
elétrico que só pode ser percebido dentro do cérebro por ambos os hemisférios cerebrais
que trabalham em conjunto.
A ideia do aplicativo é usar este método para treinar o cérebro a produzir os
cinco tipos de frequências de ondas cerebrais. Isso pode ajudar as pessoas a melhorarem
a concentração, promover o relaxamento e o sono, induzirem o estado meditativo, e
aumentarem a criatividade e aprendizado. Ele também pode promover a sincronização
do hemisfério cerebral e reduzir o estresse.
A primeira parte para implementar esse projeto foi criar as faixas de sons
binaurais de acordo com as pesquisas de Gerald Oster (OSTER, 1973) e Robert Monroe
(MONROE, 1985). Para isto, foi usado o software Audacity que é um editor de áudio
open source para vários sistemas operacionais. Ele possui a capacidade para construir as
frequências de áudios que foram utilizadas no aplicativo.

Foram criadas cinco faixas diferentes de som, com a duração de 10 minutos cada
e com as seguintes frequências:

a) Som Gama 40 Hz;
b) Som Beta 15 Hz;
c) Som Alfa 12 Hz;
d) Som Teta 4 Hz;
e) Som Delta 2.5 Hz;

Figura 4. Software Audacity para a construção do som Binaural

A segunda etapa do processo de desenvolvimento do projeto foi construir o
aplicativo. A primeira tentativa de sua construção foi com a escolha da IDE Intel XDK,
que possibilita desenvolvimento integrado multi-plataforma (Android, iOS e Windows
Phone). No entanto, esse intento não funcionou, pois, a versão da IDE Intel XDK
possuía um bug no plugin de controle de áudio que estava sendo revisto pela equipe de
manutenção da IDE. Esse defeito afetou a qualidade da aplicação.

Diante disso, partiu-se para a adoção da IDE Android Studio, com as linguagens
de programação Java e XML. Essa IDE conseguiu atender plenamente os requisitos, se
mostrando bastante estável. Essa estabilidade refletiu na qualidade da app.
Apesar desse contratempo com a IDE Intel XDK ela em nenhum momento foi
considerada de baixa qualidade para desenvolver Apps apenas continha um defeito no
módulo de áudio, essencial para o App proposto. E por meio dessa experiência foi
possível perceber novas ideias e rever erros cometidos.

Antes de começar a construção do aplicativo foi feita uma modelagem
elaborando várias formas não apenas do layout como a definição de quais informações
seriam apresentadas ao usuário para instruí-lo sobre o tema, assim com a disposição das
informações no menu.

O aplicativo usa a linguagem de design visual que o Google nomeou de
Material Design, com o intuito de demostrar que o visual é fundamental para criar uma
experiência intuitiva para o usuário.

Todas as 5 faixas de áudio de onda cerebrais estudadas foram acrescentadas no
aplicativo que podem ser facilmente acessadas por meio do menu lateral expansível. O
menu possui também conteúdo de informações que orientam o usuário na utilização do App.

Figura 5. Tela inicial do app
Figura 6. Menu do app Figura 7. Tela da onda Gama

8.Resultado

O aplicativo foi concluído e os testes realizados ainda são incipientes. No momento esse
trabalho está aguardando a autorização para uso com humanos, solicitada pela
Plataforma Brasil. Também se iniciou o contato com o Núcleo de Inovação e
Transferência de Tecnologia (NITTEC), do IF Sudeste MG, para o registro de software.
Após concluídas essas etapas, será desenvolvida a etapa de testes de comprovação da
eficácia da app. A expectativa é que esta fase seja realizada por uma equipe da área
médica. Essa equipe provavelmente usará ou um leitor de ondas cerebrais Emotiv
Insight8 em um grupo de controle ou um EEG9, para registrar se o usuário que estiver
usando o app está conseguindo entrar no padrão de onda pretendido. A metodologia de
teste para verificar a eficácia do aplicativo ainda estará a cargo da equipe médica da
área.
Mesmo não tendo sido realizado ainda os testes conclusivos, vale destacar que o
processo de desenvolvimento do aplicativo seguiu as referências apontada neste artigo.

9.Conclusão

Esse trabalho apresentou o aplicativo Ativador de Onda Cerebral como um meio
alternativo para tratar o estresse. Buscou-se integrar o conhecimento da neurociência
aplicada a tecnologia da informação, no desenvolvimento do aplicativo, que roda em um
dispositivo portátil, cuja finalidade é eliminar o estresse e criar mudanças
comportamentais profundas, entre outros benefícios conforme a onda usada.
No entanto, não foi traçado comentários sobre indicações e contraindicações
desse produto, bem como, os riscos para a saúde do usuário, pelo fato dos testes ainda
não terem sido realizados.
Como perspectivas futuras, está previsto a ampliação e melhoria do aplicativo,
bem como, a possibilidade de disponibilizá-lo para o usuário baixar na Google Play
Store. Será desenvolvido também um web site, com informações extras, bem como,
outras faixas de sons com frequências novas. Em breve serão disponibilizadas versões
para as plataformas iOS e Windows Phone.
8 É um aparelho tipo um tiara elegante equipada com sensores, sem fio que registra suas ondas cerebrais e
as traduz em dados significativos que você possa entender. https://emotiv.com/
9 O EEG (Eletroencefalograma) é um exame que analisa a atividade elétrica cerebral espontânea, captada
através da utilização de eletrodos colocados sobre o couro cabeludo. Site:
http://www.einstein.br/busca/busca.aspx?k=*EEG%20*.

 

Se você leitor, chegou até aqui, então merece a monografia em seu original PDF, clique aqui

Estes documentários estão em inglês, mas você pode ativar a legenda e pedir para traduzir para seu idioma, dá para acompanhar perfeitamente bem, embora seja rápido, d~e pausas para ler. Eles não têm a ver diretamente com a monografia, mas nela havia um link de referência que me levou a tais documentários. Coisa apra gente inteligente, aprecie e aproveite. Dalton

 

 

Referências

Atwater, F.H. (1997). Accessing anomalous states of consciousness with a binaural beat
technology. in journal of scientific exploration, 11(3), pp. 263-274.
Atwater.(1988), F. The Monroe Institute’s Hemi-Sync Process, A Theoretical
Perspective. The Monroe Institute of Applied Sciences. pp. 4, 7.
Benson H. (1974). Transcendental meditation – science or cult? JAMA ;227:807.
Benson H. (2006) , Casey A, eds. Stress control. Harvard Health Publications. Brown,
B. B., Stress and the Art of Biofeedback. New York: Bantam Books.
Bonaldi, Vieira (2004). Bases Anatômicas da Audição e do Equilíbrio. São
Paulo:Santos.
Bear MF, (2002), Connors BW, Paradiso MA.(2002). Neurociências: desvendando o
sistema nervoso. Porto Alegre: Editora Artmed.
Benca, (1999), RM, Obermeyer, WH, Larson, CL, Yun, B., Dolski, I., Kleist, KD,
Weber, SM, & Davidson, RJ. EEG alpha power and alpha power asymmetry in sleep
and wakefulness .Psychophysiology, 36, 430-436.
Budzynski, T. H. (1991). The Science of Light and Sound. Fall City, WA: ThetaTech
Publications.
Benson, Herbert.(1975). The Relaxation Response. New York: Morrow.
Benson, Herbert.(2011). Site: Harvard Business Review, ”Estresse, uma questão de
equilíbrio”, http://hbrbr.com.br/estresse-uma-questao-de-equilibrio/
Borin CMA (2006), Natali MRM. Estresse: síndrome dos tempos modernos. Arq Mudi.
10(1):5-10.
Berger, H. (1929). Uber das elektrenkephalogramm des menschen. European Archives
of Psychiatry and Clinical Neuroscience, 87(1), 527-570.
Burle, B., & Bonnet, M. (2000). High-speed memory scanning: a behavioral argument
for a serial oscillatory model. Cognitive Brain Research, 9(3), 32 337.
Brenner, Ulrich, Spiker, Sclabassi, Reynolds, Marin, & Boller, (1986). Computerized
EEG spectral analysis in elderly normal, demented and depressed subjects.
Electroencephalography and clinical neurophysiology, 64(6), 483-492.
Botella-Soler, V., Valderrama, M., Crépon, B., Navarro, V., & Le Van Quyen, M.
(2012). Large-scale cortical dynamics of sleep slow waves.
Benson,(2008). Entrevista com Herbert Benson para Revista Bons Fluídos,
http://www.cienciameditativa.com/entrevista-com-herbert-benson-para-revista-bonsfluidos/
Carter, G. (1993). Healing Myself. (Norfolk: Hampton Roads Publishing Company).
Cesar Timo Laria, Walter Carlos Pereira (1971). Mecanismo das ondas elétricas
cerebrais funcionais em indivíduos hemisféricitos.
Crick & Koch (2003). A Framework for consciouness. Nature Neuroscience, v. 6, p.
119-126.
Cahn, B. R., & Polich, J. (2006). Meditation states and traits: EEG, ERP and
neuroimaging studies. Psychological Bulletin, 132(2), 180-211.
Cardoso, R. (2005). Medicina e meditação: um médico ensina a meditar (2a ed., 134
pp.). São Paulo: MG Editores.
Carlson, L. E., Speca, M., Patel, K. D., & Goodey, E. (2004). Mindfulness-based stress
reduction in relation to quality of life, mood, symptoms of stress and levels of
cortisol, dehydroepiandrosterone sulfate (DHEAS) and melatonin in breast and
prostate cancer outpatients. Psychoneuroendocrinology, 29, 448-474.
Chaves, J.: Biofeeedback: A Terapia do Século 21. Revista Cérebro & Mente, dezembro
1997-fevereiro 1998.
Crone, N. E., Hao, L., Hart, J., Boatman, D., Lesser, R. P., Irizarry, R., & Gordon, B.
(2001). Electrocorticographic gamma activity during word production in spoken and
sign language. Neurology, 57(11), 2045-2053.
Chopra, Deepak; Tanzi, Rudolph E.(2013), Supercérebro – Como Expandir o Poder
Transformador da Sua Mente, Editora Alaúde.
Cruz, Leandro (2013). Conheça as setes funções da serotonina no organismo, Revistas
Gazeta do Arroio, edição numero 343, 7p.
Cleide.(2006), Estresse: Síndrome Dos Tempos Modernos. V. 10, N. 1, P. 5–10.
Damásio,A(1996). O erro de Descartes:emoção,razão e o cérebro humano. São Paulo:
Companhiadas Letras.
Davidson, (2014). Rapid changes in histone deacetylases and inflammatory gene
expression in expert meditators.
Damasceno, (2012), Psicologia o Neurofeedback Como Recurso Neuropsicoterápico
para o Transtorno do Déficit de Atenção com ou sem Hiperatividade e Impulsividade.
Neuropsicoterápico para o Transtorno do Déficit de Atenção com ou sem
Hiperatividade e Impulsividade.
Dicionário inFormal, (2012). Neurotransmissor. http://www.dicionarioinformal.com.br
/neurotrasmisso
D.Corydon Hammond, (2005), Neurofeedback treatment of depression and anxiety.
Egner, T., & Gruzelier, J. H. (2004). EEG biofeedback of low beta band components:
frequency-specific effects on variables of attention and event-related brain potentials.
Clinical Neurophysiology, 115(1), 131-139.
Empson, J. (1986). Human Brainwaves: The Psychological Significance of the
Electroencephalogram. (London: The Macmillan Press Ltd.).
Expandir a mente. Disponível: http://expandiramente.blogspot.com.br/2009/10/ondascerebrais.
html. Acesso: Dezembro/2015.
Ferrarelli F., Smith R., Dentico D., Riedner B. A., Zennig C., Benca R. M., Lutz A.,
Davidson R. J., & Tononi G. (2013). Experienced mindfulness meditators exhibit
higher parietal-occipital EEG gamma activity during NREM sleep. PLoS ONE, 8(8),
e73417. PMCID: PMC3518553.
Fehmi, Lester F., and George Fritz. “Open Focus: The Attentional Foundation of Health
and Well- Being.” Somatics, Spring 1980.
Godoy (2013). Conheça as setes funções da serotonina no organismo, Revistas Gazeta
do Arroio, edição numero 343, 7p.
Hauri, P.(1981). Treating psychophysiologic insomnia with biofeedback.Archives of
General Psychiatry, 38(7), 752.
Hutchison, M. (1986). Megabrain: New Tools and Techniques for Brain Growth and
Mind Expansion. New York: Ballantine Books.
Hutchison, Michael. Megabrain Power. New York: Hyperion, 1994. pp. 22–23.
Howard CE, Graham LE, 2nd, Wycoff SJ. A comparison of methods for reducing stress
among dental students. J Dent Educ. 1986;50(9):542-544
Jacobs GD, Benson H. Topographic EEG mapping of the relaxation response. Biofeed
Selfreg 1996; 21.
John, E. R., Prichep, L. S., Kox, W., Valdes-Sosa, P., Bosch-Bayard, J., Aubert, E., &
Gugino, L. D. (2001). Invariant reversible QEEG effects of anesthetics.
Consciousness and cognition, 10(2), 165-183.
Janet, P (1889). The dissociation theory of Pierre Janet, October 1989, Volume 2, Issue
4, pp 397-412.
Kliempt, P., Ruta, D., Ogston, S., Landeck, A., & Martay, K. (1999). Hemisphericsynchronization
during anesthesia: a double-blind randomized trial using audiotapes
for intra-operative nociception control. In Anesthesia, 54, pp. 769-773.
Lacerda, Acioly (2009). Site Globo, http://anamariabraga.globo.com/canais/
Saúde/depressao-4.html.
Lazar SW, Bush G, Gollub RL, Fricchione GL, Khalsa G, Benson H. (2000) Functional
brain mapping of the relaxation response and meditation. NeuroReport; 11:1581-85.
Le Scouamec, R.P., Poirier, R.M., Owens, J.E., Gauthier, J., Taylor, A.G., & Foresman,
P.A. (2001). Use of binaural beat tapes for treatment of anxiety: A pilot study of tape
preference and outcomes. In Alternative Therapies, 7(1), pp. 58- 63.
Liliana Margarida Cardoso Manso (2012). O eletroencefalograma na patologia de
hiperatividade/défice de atenção, pp. 20-27.
Lent R (2001). Cem bilhões de neurônios: conceitos fundamentais. São Paulo: Editora
Atheneu.
Ledoux, Joseph (2001). Cérebro Emocional: Os Misteriosos Alicerces Da Vida
Emocional. Rio De Janeiro: Objetiva, 2001, 336 P.
Lecheta (2010), Livro Google Android – Aprendendo a criar aplicações para dispositivos
móveis com o Android SDK, página 18-19, 2ª Edição.
Monroe, RA (1985). Journeys Extremo . New York: Doubleday.
Morris, S.E. (1990). Hemi-sync and the facilitation of sensory integration. in hemisync
journal, VIII(4), PP. 5-6
Morris, S.E. (1996). Music And Hemi-Sync In The Treatment Of Children With
Developmental Disabilities. In Open Ear, 2, PP. 14-17.
Myatt. (2007). A.Pro NetBeans IDE 5.5 Enterprise Edition, Nova Iorque: Apress, 2007.
Morse, D. R. “ Brain Wave Synchronizers: A Review Of Their Stress Reduction Effects
And Clinical Studies Assessed By Questionnaire, Galvanic Skin Resistance, Pulse
Rate, Saliva, Andelectroencephalograph, ” Stress Medicine 9: 111-126, 1993.
Miltner, W. H., Braun, C., Arnold, M., Witte, H., & Taub, E. (1999). Coherence Of
Gamma-Band EEG Activity as a basis for associative learning. Nature,397(6718),
434-436.
Munk, M. H.(1996), Roelfsema, P. R., König, P., Engel, A. K., & Singer, W. . Role Of
Reticular Activation In The Modulation Of Intracortical Synchronization.Science,
272(5259), 271-274.
Neil (2011). Disponível: http://www.spinewave.co.nz/vertigo/ Acesso: Fevereiro/2016.
Nomura T, Higuchi K, Yu H, et al (2006). Slow-wave photic stimulation relieves patient
discomfort during esophagogastroduodenoscopy. J Gastroenterol Hepatol. 21(1 PT
1):54-58 .
Oster, G. (1973).Auditory Beats in the Brain. Na Scientific American , 229, PP. 94-102.
Ossebaard HC. Stress reduction by technology? An experimental study into the effects
of brainmachines on burnout and state anxiety. Appl Psychophysiol Biofeedback.
2000;25(2):93-101.
Pandit, Smita (2014). Do Binaural Beats Induce Lucid Dreaming? Disponível:
http://www.buzzle.com/articles/do-binaural-beats-induce-lucid-dreaming.html
Acesso: Fevereiro/2016.
Patrick GJ (1996). Improved neuronal regulation in ADHD: An application of 15
sessions of photic-driven EEG neurotherapy. J Neurother; 1(4):27-36.
Peniston, E.G., and P.J. Kulkowski. (1989)“Alpha-Theta Brainwave Training and Betaendorphin
Levels in Alcoholics.” Alcoholism 13: 271–79.
Pierre Janet (1989). Pierre Janet’s Treatment of Post-traumatic Stress.
Purves,(2004) D. Neuroscience. Sinauer Associates, Inc. 3RD ED. 4, 7.
Rhodes, L. (1993). Use of the Hemi-Sync super sleep tape with a preschool-aged child.
In Hemi-Sync Journal, XI(4), pp. iv-v.Sabbatini,(1997). R. M. E. Mapeando o
cérebro. Revista cérebro e mente. set/nov.
Siever, D. (2004). The application of audio-visual entrainment for the treatment of
seasonal affective disorder. Biofeedback, 32 (3), 32-35.
Schwartz, GE, Davidson, RJ, & Maer, F. (1975). Right hemisphere lateralization for
emotion in the human brain: Interactions with cognition . Science, 190, 286-288.
TecMundo (2014). Android domina 85,1% do mercado de celulares no Brasil,
http://www.tecmundo.com.br/celular/50306-android-domina-85-1-do-mercado-decelulares-
no-brasil.htm
Timo Laria, Pereira (1971). Mecanismo das ondas elétricas cerebrais funcionais em
indivíduos hemisféricitos.
Thomas Rossiter, (2004), The Effectiveness of Neurofeedback and Stimulant Drugs in
Treating AD/HD: Part II. Replication.
Trudeau DL,(2000), “The treatment of addictive disorders by brain wave biofeedback:a
review and suggestions for future research.” Clinical Electroencephalography.
31(1):13-22
Waldo Zuardi, Antonio. (2014) , Fisiologia do estresse e sua influência na saúde. V.23.
Walter Carlos Pereira (1971),Cesar Timo-Iaria. Mecanismos das ondas elétricas
cerebrais.
Williams, J., Ramaswamy, D. and Oulhaj, A., (2006). 10 HZ flicker improves
recognition memory in older people. BMC Neurosci. 7, 21.
Wilson, E.S. (1990). Preliminary study of the Hemi-Sync sleep processor. Colorado
Association for Psychophysiologic Research.
Williams JH, (2001). Frequency specific effects of flicker on recognition memory.
Neuroscience; 104(2):283-286
Wickramasekera I, I. E. (1977). On attempts to modify hypnotic susceptibility:Some
psychophysiological procedures and promising directions. Annals of the New York
Academy of Sciences, 296, 143-153
Zuardi, (2014) , Fisiologia do estresse e sua influência na saúde. V.23.

 

SONS BINAURAIS, FREQUÊNCIAS BINAURAIS, audição binaural, meditação, meditação por app, dreamer, bio feed back, biofeedback, máquina dos sonhos, máquina de meditar, relaxar, relaxamento, ondas alfa, ondas alpha, ondas theta, ondas delta, frequências cerebrais, monografia,

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Este é um texto de um autor, blog, site captado fora do Consciencial.Org e postado numa categoria específica chamada TERCEIROS, com as devidas referências, com endereço do autor e do URL da internet onde foi encontrado. Postamos textos que nos afinizamos que cremos agregar valor de conteúdo aos leitores. Somos um site EDUCATIVO para CONSCIÊNCIA de uma nova era planetária e evitamos as tão em moda mistificações e mitificações da nova era ou new age. Abraços dos autores do Consciencial.Org - agradecemos sua visita e seus comentários.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)