QUEM É LIVRE TRANSGRIDE

QUEM É LIVRE TRANSGRIDE

Eu sou livre, eu transgrido.
Quem é livre transgride e contesta física, emocional, intelectual e energeticamente.
Quem é submisso, é escravo, aceita e não refuta.
Concorda, não questiona, engole e repete.

O ser livre é seguro e não deseja impor.
O submisso é inseguro, arrogante e briga para defender a ideia que engoliu ou comprou.

Todo sistema de lavagem cerebral reprime a emoção e o sentimento do grupo manipulado ou o seu intelecto.
Fica mais fácil manipular seres que NÃO estão em equilíbrio, ou seja, em homeostase consciencial.

É mais fácil manipular e induzir, seja apenas, a emoção sem o intelecto ou o intelecto sem a emoção.
Estimula-se um e reprimi-se o outro.

Em alguns grupos a informação livre “é coisa do diabo” ou “não é purismo doutrinário”, em outro “isto é emoção”, “isto é piegas e meloso”, “isto é coisa de psicossoma”, entre muitas outras expressões semelhantes, escravizantes e piores.

Quem é livre, questiona e refuta e não engole ou compra pacote de ideia ou de conhecimento de ninguém.

Quem é livre, transgride e também pode aceitar e filtrar muitas coisas.

Quem é livre, não se escraviza numa ideia só, numa única filosofia, seita, religião, grupo, doutrina ou conhecimento.

Quem é livre, exercita o intelecto e vivencia a emoção sadia. Ri, chora, ama, abraça e beija, com afeto e alegria.

Quem é livre, aprecia e respeita a poesia, a natureza e a simplicidade.

Quem é livre, transgride e simplifica.

Quem é livre, transgride e se liberta das couraças energéticas, dos anéis de tensão e desbloqueia seus chacras e nádis.

A pessoa livre somatiza menos perdoa mais e vive mais feliz em paz consigo mesma.

O ser livre transgride e estuda de tudo e pisa em qualquer lugar.

A pessoa livre transgride, não aceita humilhação ou arrogância em si. Ela fica livre da presunção patológica que prejudica suas sinapses cerebrais e sua evolução consciencial.

Quem é livre transgride, e passa longe do medo de assumir suas fissuras e consegue olhar mais facilmente nos olhos das pessoas com afeto e amizade.

Quem é livre transgride, e julga as ideias sem julgar as pessoas.

Quem é livre, está liberto para ser a si mesmo e conviver com o divino dentro de si.

Quem é livre, canta e dança sem ter vergonha de quem está olhando ou mesmo dentro do chuveiro ou em seu quarto.

Quem é livre, usa o adorno, a roupa ou o enfeite que quiser, sem dependência e sem se preocupar com a censura do escravo que ainda não se libertou.

Quem é livre, não tem medo de perder a “salvação”, o “dharma” e a “programação existencial”, porque confia em si e dispensa grilhões conscienciais e holopensênicos.

Quem é livre transgride, com carinho e respeito adequado ao contexto da transgressão.

Quando nós amamos, somos adultos conscienciais.
Quando queremos ser admirados e amados somos crianças conscienciais.

Na vida e principalmente no trabalho espiritual, sempre nos depararemos com energias antagônicas, nós sempre teremos inimigos, mas é importante sermos livres e não sermos inimigos de ninguém.

Em ambientes (físicos ou virtuais) e sistemas que aprisionam, o ser livre, não é visto com bons olhos, é tido como inimigo.

Mas quem é livre, por ser livre não é inimigo de ninguém.

Eu sou livre, eu transgrido!

Eu sou Dalton Campos Roque – www.consciencial.org – livre pensador e livre transgressor que estuda de tudo e não é inimigo de ninguém, nem mesmo de quem não gosta de mim.

Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

Gostou desse conteúdo? Queremos saber sua opinião, deixe seu comentário logo abaixo.

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

COMMENTS (2)
Responder

Como buscador da verdade, sou um amigo da arte da dúvida, e um amante da arte da crítica positiva. Questionar sempre tudo
que se ler, investigar não acatar certezas e escolhas dos outros contudo respeitando as idéias e pensamentos mas, sem se
submeter sem convicção própria.
Está provado que o homem se encontra no pensamento. A rigor não existe plágio. Parabéns pelo trabalho.
Saudações
Otacílio

    Olá Otacílio, obrigado por participar junto conosco do site. Seja sempre bem vindo! Todos somos buscadores da alma e da “verdade” em função das perspectivas de nosso discernimento temporário. A gente perde o equilíbrio do caminho quando acha que sabe o suficiente. E nem mesmo o suficiente é suficiente kkkk. Tentar alinhar nossos sentimentos mais íntimos reais com o conhecimento que professamos é o mais difícil. Por isso buscamos a sabedoria além do conhecimento. Manter nossa “xícara” meio vazia é sempre sábio se a modéstia lúcida que carregamos no peito for real. Com imensas reverências humildes me curso a todos e ao Universo e repito eternamente: sou mero aprendiz, mero aprendiz, mero aprendiz, mero aprendiz, mero aprendiz, …………………………

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)