INFINITO NUM MOMENTO

INFINITO NUM MOMENTO

Um conto de Projeção Astral (parte 01)
Por Dalton Roque e Andréa Lúcia, Curitiba

Fazia um vôo rasante nos campos dourados de trigo.
A leveza de meu corpo astral me trazia euforia.
As bolas de prana estouravam douradas nas moléculas de oxigênio.
O sol prateado sorria sereno para o planeta.
Sob as árvores, eu via duendes e fadas acenando para mim.
Parece que os animais da floresta dialogavam comigo.
Sinto que os anjos me apóiam.

As gotas do oceano me permeavam fazendo chuaaaaá…
A sensação de plenitude era intensa.
Me sentia o dono do mundo.
Meu peito brilhava e meu rosto sorria.
Os peixes pulavam fora dágua,
Enquanto eu volitava rasante.
Me sentia entregue nos braços de Deus.

Mergulhei…

Era como um filme, uma tela de cinema.
E eu era o personagem principal.
A água fria não me molhava e me revigorava.
Um jogo de luzes e cores refletia nos corais e nos peixes.
Ao fundo, todos os sons reverberavam como um só.
Era o som da criação pululando em vida.

Somente mais um mergulho rápido em um abismo abissal.
A escuridão quase me metia medo.
Por algum motivo eu me sentia serenamente seguro.
As luzes de minha própria aura extrafísica iluminavam o ambiente.
Por efeito trancedental eu enxergava tudo por todos os lados.
O abismo era o lado obscuro da diversidade evolutiva.

Incrementando a velocidade exponencialmente subi como um foguete.
Já estava no fim da estratosfera e subindo.
A Terra azul e de aura cinza repousava na Mão Cósmica.
De repente ela se tornou apenas um grão estelar como qualquer outra.
Me sentia pleno no espaço.
O Cosmos era como um irmão mais velho.
Seguro e firme me acalentava qual a um filho mimado.

Sentia jatos de energia branca penetrando pelo alto da cabeça.
Eu aspergia intensa e ofuscante energia por todos os lados.
Havia um feixe intenso descendo pela coluna até a altura de meu coração.
Meu peito brilhava em luz resplandecente.
Esta bola dourada pulsava dilatando-se continuamente
Ondas de prazer descomunais, sobrehumanas e inefáveis me invadiam…

Reverberava saindo de meu peito um som grave e imponente: OOOOOOMMMMMMMM!
Explodi!

Ondas de eternidade se dilatavam de meu peito para o Todo.
Em contínua intensidade eu me diluia no Absoluto.
Mil Deidades me abençoavam no Universalismo Cósmico:
Shiva, Brahman, Cristo Cósmico, Jesus, Maomé, Buda, Krishna, Mãe Divina, Pai Divino, etc.
Numa dimensão atemporal sentia o Tao fora do espaço.
Jatos de sabedoria banhavam minha consciência.

Se fosse possível, eu teria chorado, mas não existia corpo, apenas Eu.
Se isto for real, senti o Infinito num segundo.
Em suave desaceleração, esta expansão de consciência passou.
Eu agora sentia o nada ou Vácuo Cósmico na mente em meditação profunda.
O silêncio perfeito e imperecível fazia interseção comigo.

Agora não mais no peito de um corpo que eu esquecera,
Mas na consciência eu me identificava com o Verbo Divino.
E eu me sentia como o próprio som: OOOOOOMMMMMMMM…
Voltando ao mundo sensório das limitadas cognições intelectuais,
Mas ainda no espaço, tentei racionalizar a experiência.

Sentia um vazio racional impotente diante de mim mesmo.
Meio frustrado, fiz força para esquecer e não perder a alegria.
Eu ainda era um pássaro sideral quando voltei a sentir meu corpo astral.
Em queda acelerada eu só via o oceano.
Um recado mental amigo, me acalmava, me fazendo seguro.
Flutuando sobre aquela cidade eu ouvi firme, mas amigo:

_ Concentre-se no bem espiritual. Agora deseje penetrar nestes corações. O que vê agora?

Eu via milhares de peitos abafados e brilhantes naquele centro urbano.
Milhares de corações sedentos de amor e paz, embora sentissem dor.
Logo em seguida, ouvi de novo:

_ As pessoas possuem o bem e assim o procuram. O que lhes falta é a coragem e a força de assumir a si próprios. O medo de serem criticados e rejeitados em sua personalidade fraca, os faz se acomodarem numa sociedade de costumes negativos. Ser bom, justo e honesto, chega a ser motivo de vergonha.
_ Estas pessoas necessitam de líderes mais seguros e corajosos do que eles, para se motivarem a sair de suas cascas de conforto. Elas desejam o amor, mas não possuem força para lutar por ele e assim sofrem. Nós não precisamos apenas de talento, mas fundamentalmente da vontade das almas pró-ativas, positivas e enérgicas, que confiam em si, se despojam a um trabalho consciencial de amor para empurrar as populações deste planeta atrasado.

Emudeci diante de tanta responsabilidade.
Na verdade me senti insignificante, quase desprezível.
Logo em seguida ouvi de novo dentro de minha mente:

_ Não se furte as tarefas que você mesmo escolheu. Culpa, medo, baixa auto-estima são uma forma de covardia diante das responsabilidades necessárias a evolução. È preciso pegar nos espinhos para colher as flores. É impossível impedir a visita da dor nos caminhos evolutivos. Não nos cabe questionar os desígnios do Pai, mas sim enfrentá-los! O carvão bruto só se torna valioso diamante após sofrer o calor, pressão, corte, esmerilho e polimento. Assim também somos nós. Sofremos o esmerilho da evolução nesta fase animal, para que um dia nos tornemos anjos.
_ Enquanto são poucas neste orbe, as consciências corajosas, que se dispõem a serem catalisadores evolutivos, nós contamos com vocês. Nem por isso, vocês estão livres das dores do próprio karma, da dor da evolução e isento de seus próprios erros. Ajudando aos outros, antes de tudo, vocês estão ajudando a si próprios.

Quando despertei em meu corpo denso e sonolento eu ouvi dentro de minha mente:

_ Que as melhores bênçãos do Universalismo Cósmico sejam fonte inesgotável de Amor em seu coração.
Paz, responsabilidade e trabalho.

 

Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

Gostou desse conteúdo? Queremos saber sua opinião, responda a pesquisa a seguir e deixe seu comentário logo abaixo. E vote nas estrelinhas bem ao fim.

.

Você já teve experiências fora do corpo?

.

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)