Livre arbítrio

O Livre arbítrio é um grau de liberdade de ação do ser humano, dentro de um contexto, sempre relativo. Não existe livre arbítrio absoluto, ou seja, não existe liberdade total, para nada, ninguém ou coisa alguma. Estamos imersos em leis evolutivas inexoráveis, e estamos sempre limitados a estas.

Quanto menor o nível consciencial menor é o livre arbítrio. Você me pergunta: quer dizer então que quem tem mais dinheiro, possui mais liberdade de ter as coisas, viajar, etc, etc, tem nível de consciência mais altos que os não abastados? Não é assim! Este é um ponto de vista meramente intrafísico.

Podemos ter consciências altamente limitadas no plano físico, com elevado nível de consciência, apenas escolheram uma prova maior, ou simplesmente para se esconderem atrás de um corpo e vida simples, para não serem incomodados em suas tarefas evolutivas avançadas. Os serenões são um tipo de consciências que se encaixam bem neste perfil.

Concluímos que o livre arbítrio é sempre relativo ao contexto consciencial do percipiente (espaço-tempo-dimensão).

O que você achou?
« Back to Glossary Index

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.---- "Desvio-me daquilo que não posso aperfeiçoar e me aproximo daquilo que posso. Se não tenho condições de curar meu corpo, tenho condições de curar minha mente e, assim, me libertar para tomar decisões sensatas. Eu escolho o que me preocupa. O pensamento pode ser dirigido tanto para o caos quanto para a quietude. Posso optar por não esboçar infinitamente as “causas” das minhas dificuldades e projetar, no futuro, as suas limitações e agonias. Se não posso evitar que certas pessoas me condenem, posso parar de analisar seus motivos e deixar de defender meus atos. Não importa de quais aspectos eu não goste ou tenha medo, posso interromper minhas desgastantes tentativas de torná-los perfeitos." Hugh Prather - A Arte da Serenidade

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)