DIFERENÇA ENTRE CIÊNCIA, ESPIRITUALIDADE E O “NEW AGER”

DIFERENÇA ENTRE CIÊNCIA, ESPIRITUALIDADE E O “NEW AGER”

Segundo a Wikipedia o movimento New Age tem como característica uma fusão de ensinos metafísicos, vivencias espiritualistas, animistas e paracientíficas, com uma proposta de um novo modelo de consciência moral, psicológica e social; propondo uma integração, uma simbiose com o meio envolvente, com a Natureza, o Cosmo e todas suas multidimensões (observa-se, pela vivência da projeção da consciência, a existência de muitas dimensões além da dimensão física, experimentada pelo corpo biológico humano). Tendo muitas vezes como base um caráter liberal e de oposição à ortodoxia e o conservadorismo das religiões organizadas.

Como evento novo – ainda imaturo – possui seu lado bom e positivo e seu nado negativo. Mas a base fundamental de tal movimento são os talentos PSI (talentos parapsíquicos, mediúnicos, projetivos – viagem astral – e uma intuição transcendente, etc).

Na verdade, este movimento é uma influência da ONDA DE KALKI – visão pessoal – o vigésimo quinto Avatar (enviado de Deus), que vem em forma de “onda dispersa” transcendendo o paradigma falido cartesiano newtoniano e apresentando o novo Paradigma Consciencial ainda insípido e mal-entendido na sociedade. É o amadurecer de uma nova ordem social e humana a surgir depois da Idade Média (de 476 a 1453).

Porém, o que aconteceu a partir deste movimento contra o materialismo ortodoxo cartesiano associado ao surgimento e crescimento da internet, foi uma MISTIFICAÇÃO desses “conhecimentos” ainda insípidos e imaturos, que misturados a ingenuidade e boa-fé espiritualista do brasileiro e de outros povos, descambou para uma distorção generalizada, uma mistificação exagerada dessas ideias tão novas.

A precaução anti New Age do autor do livro Mentes Interligadas, que corrobora minhas preocupações

(…) Para deixarmos as coisas bem claras, essas especulações estão sendo proposta em artigos e livros de físicos tradicionais e não por místicos de olhos brilhantes e arregalados, envolvidos com as filosofias da Nova Era. – A precaução anti New Age do autor do livro Mentes Interligadas, que corrobora minhas preocupações

(…) Para deixarmos as coisas bem claras, essas especulações estão sendo proposta em artigos e livros de físicos tradicionais e não por místicos de olhos brilhantes e arregalados, envolvidos com as filosofias da Nova Era.

 

O New Ager é o indivíduo que acredita, participa na New Age em diversos contextos. A New Age se manifesta através de todas as mídias e se mistura com todos os conhecimentos modernos e antigos, seja de conhecimentos clássicos cartesianos ou recentes, espiritualistas e metafísicos. Este sentimento é livre da religião, no entanto, se mistura com elas à revelia em forma de sincretismo ou conjunção mais organizada.

Portanto, tudo que foi reprimido no passado humano (Idade Antiga e Idade Média) pela inquisição da Igreja Católica feudal e outras ordens e reinos do passado em toda geografia mundial histórica, por processo natural das leis do carma (reequilíbrio de energias dos sistemas) vem agora (Idade Moderna [de 1453 a 1789] e Idade Contemporânea [de 1789 aos dias atuais]) explodir de forma descontrolada como meio de compensação cármica e psíquica das sociedades reencarnadas. Há ainda um agravante de duas guerras mundiais nesse período que atrasaram e distorceram o processo evolutivo planetário.

Nós somos os New Agers, os bruxos e bruxas do passado, com suas devidas nuances, formas, intensidades, exageros e graus, atribua o título a si que quiser ou a linha e opção evolutiva não-materialista que se encaixar, mas isso não importa, pelo conceito somos todos New Agers.

No entanto, há o New Ager ingênuo, que acredita em tudo, exagera, mistifica, mitifica e distorce, não compreende, não distingue, mistura tudo, faz uma salada mística esotérica exotérica que dá pena. Por não entender nada pela falta do próprio discernimento natural dos talentos PSI (citados e explicados anteriormente), é vítima de textos, artigos, livros, sites, cursos suspeitos e levianos que visam apenas ganhar dinheiro. Antigamente era a “clarividente” e o baralho na praça ou leitura de mãos por uns trocados, agora ficou mais fácil (e caro) usar a internet para comprar a ilusão efêmera, milagre e cura confortável, rápida e fácil.

Qual é o nome de meu anjo da guarda? A Hierarquia angélica e arcangélica está comigo? Fui importante em vida passada? Qual o nome do meu amparador? Que horas o anjo encosta? Qual o raio em que me encaixo? Saint Germain gosta de mim? Leia meu futuro. Blá, blá e blá…

Aliás, quero deixar registrado que FRAÇÃO da mitologia dos povos e os folclores locais, são também o resultado das manifestações PSI pessoais e coletivas, que impressionam ignorantes (sem pejorativo – de ignorar) e suas respectivas culturas e tradições. De certa forma isso também vem eclodir na New Age de forma inconsciente.

Paul Brunton (jornalista e escritor fluente, nascido Raphael Hurst, – 21 de Outubro de 1898 — 27 de julho de 1981) foi um filósofo britânico, morreu em 1981, em Vevey, na Suiça. – veja suas obras nas *notas ao fim) disse:

“As pessoas conseguem o ensinamento que merecem. Uma pessoa falsa, defeituosa, propensa ao exagero, emocionalista e crédula, aceita com fé o conteúdo de interpretações extravagantes, clamores pessoais exagerados, profecias selvagens e inferências injustificadas. Deste modo, a seita ou grupo, com seus sonhos de messianismo interventivo e organização utópica, iguala-se ao caráter e capacidade dos seus aderentes. Todos são vítimas de fantasias: os seguidores das fantasias do líder e o líder de suas próprias”.


Este é um trecho do livro “Evolução no Planeta Azul”, Ramatís e Vovó Maria Conga (um espírito sábio de “Preta Velha”), pela Editora do Conhecimento.

Ramatís faz alusão ao movimento New Age (Nova Era) como tendo muitos “milagreiros”, ou seja, pessoas que prometem mundos e fundos de cura (vendem uma ilusão de cura), a pacientes ingênuos, que desejam uma resolução rápida e terceirizada de sua reforma íntima.

“… Isso não quer dizer que se deva fazer atendimento apométrico em “consultórios” improvisados, regiamente remunerados e com a participação de sensitivos, situação que se prende aos

Livro Paradigma Consciencial

Livro Paradigma Consciencial

instrutores milagreiros da Nova Era; aventureiros e despreparados das questões da Espiritualidade, que se encontram dependentes financeiramente desse meio de vida distorcido…”

Digo que há os tratamentos espiritualistas e conscienciais clássicos, comprovados e eficazes, mas têm-se inventado “porcarias” demais, com nomes pomposos, com firulas demais que não agregam nenhum valor nos sistemas tradicionais terapeuticos, só para exemplo: Reiki, Homeopatia, Florais, Passe, Cura Prânica, Hipnose, Psicoterapia TR, TVP e outras tantas que não há como citar aqui.


Médicos espíritas X Espíritas se metendo a médicos

Nota de Dalton: este texto se adequa bem ao que sempre venho escrevendo, que o médium de Ramatís Noberto Peixoto já comentou, que Wagner Borges já comentou, e agora, Lázaro Freire Comenta. É o caso dos “Milagreiros New Age’s” e suas crenças pessoais impostas como terapias mirabolantes e incoerentes. Lázaro é um Terapeuta clínico estudado e muito experiente, e tem propriedade no que escreve e diz.

Texto de Lázaro Freire – www.voadores.com.br

Eu sou um psicanalista espiritualista, mas vejo por aí muito espiritualista se metendo a “terapeuta” ao vender “conselhos baseados em crenças pessoais” (oi?) sem o mínimo de embasamento sério em psicopatologia, psicodinâmica, neurociência, psicanálise, psicologia ou pelo menos manejo de transferência: fujam!

As pessoas confundem o direito inalienável de um profissional ter e até professar publicamente suas crenças com a MALUQUICE que é tentar impor o invisível pessoal como forma de fundamento, julgamento e tratamento na sua área profissional. O nome disso é PSICOSE.

Sou bruxo e espiritualista JP exatamente porque sei o escopo pessoal, intransferível, subjetivo, ético, filosófico e interno daquilo que estudo e aplico primeiramente a mim mesmo, ou no máximo a quem me procura NESSE sentido. Quanto à profissão, eu a exerço profissionalmente, e o que estudo internamente se faz presente mais em minha postura, caráter e profundo respeito ao mundo subjetivo do paciente do que como imposição do meu INTERNO E SIBJETIVO ao EXTERNO E OBJETIVO dos demais.

Link de notícia de caso médico:
http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2016/12/medica-e-condenada-em-mt-por-dizer-que-crianca-e-culpada-por-estupro.html?utm_source=facebook&utm_medium=share-bar-desktop&utm_campaign=share-bar


Cito extrato de um texto do Professor Wagner Borges de São Paulo, SP do site www.ippb.org.br, respeitável médium, sensitivo e projetor consciente com trabalho sólido há muitos anos, cujo título é “Orientação espiritual para quem usa computadores em casa”:

(…)
Este é um assunto muito sério e convido a todos os leitores, visitantes e amigos sem fronteiras, para me acompanhar na leitura. Se por um lado, hoje temos acesso a muita informação de Luz na internet, o contrário também é verdadeiro. Nunca em outros tempos, houve tanta desinformação sendo compartilhada e o pior, tanta gente que se diz ‘’trabalhador da Luz’’ publicar, divulgar e compartilhar tanto caos, tantas ‘’pseudo-canalizações’’, mensagens de tantos falsos profetas (aqui incluem-se também certos canalizadores, mestres, médiuns, etc), tantos ‘’cursos’’ duvidosos e eventos prometendo a ‘’queima e limpeza total’’ do seu karma, vendendo a ascensão, etc e mais uma infinidade de absurdos. Assim, imaginem o lixo energético que circula por nossos computadores todos os dias! Então, aos que acreditam, tenho certeza de que este será um post muito útil e interessante. (…)

***

Podemos distinguir com certa elegância o NEW AGER do místico ou espiritualista universalista no qual nós fazemos parte. Enquanto o primeiro se revela um ingênuo e incauto da New Age, o segundo é apenas um espiritualista tratado com outro termo, mais popular. O misticismo é a vivência do místico e o misticoidismo é ingenuidade do misticóide ou NEW AGER. No entanto, não importa, isso é mero conceito didático, pois como já escrevi acima, sou também um New Ager.

Ao nos referirmos ao espiritualismo, entenda-se Espiritualismo Universalista, linha de pensamento vivenciada pelo espiritualista ou místico lúcido, maduro e responsável, baseada na síntese ponderada, pessoal e transdisciplinar entre diversas correntes de pensamento, situadas fora e dentro do campo consciencial (composto pelas religiões, filosofias espiritualistas e ciências ou para / neo / metaciências correlatas).

NÃO DEIXE DE LER O IMPORTANTE E CURTO COMPLEMENTO DESTE ARTIGO: http://consciencial.org/ciencia-espiritualidade/new-age-como-nicho-consciencial/

Neste artigo traçamos paralelo comparativo, ponto-a-ponto, entre três relevantes modos de compreensão da realidade:

CIÊNCIA CARTESIANA

PARADIGMA NEWTONIANO

POSIÇÃO ORTODOXA

ESPIRITUALIDADE ESPIRITUALISMO

PARADIGMA CONSCIENCIAL

Espiritualista universalista lúcido

MISTICOIDE

NEW AGE EXAGERADO

INGÊNUO

Milagreiro New Age

É racional e materialista É racional e transcendente É irracional e incoerente
Baseia-se na observação Baseia-se na observação e experiência pessoal sua e de terceiros maduros Baseia-se no “achismo” pessoal e dogmático
É, no máximo, multidimensional (teoria das cordas), ou seja, materialista – paradigma cartesiano É multidensional em todas as instâncias – paradigma consciencial É multicrente
Considera apenas a si mesma Considera a si, sem perder o foco da ciência convencional, conjuga o cartesiano com o consciencial Considera qualquer coisa que possa contribuir com suas ilusões
É maya denso É maya denso e sutil É um simulacro confuso de maya
É multidisciplinar É multi, trans, metadisciplinar e  multi, trans, metaconsciencial É multi-incoerente
Estuda a contradição newtoniana e o paradoxo quântico Estuda os paradoxos evolutivos É contraditória e incoerente
Usa apenas o QI e quando muito a intuição aplicada ao materialismo Usa o QI, QE e QS (inteligência evolutiva) multidensionalmente Usa apenas o QE – paixão e emoção que embotam o raciocínio lógico e a intuição
É unitemporal: aqui e agora; no máximo, observa a linha cronológica histórica temporal É multimilenar, multi-existencial É multimísticóide e uniracional
Observa o corpo Observa o corpo, as energias, os veículos de manifestação e a consciência ou holossoma Observa e emula as idiotices
Auto e hetero-evolução material e social Auto e hetero-evolução consciencial transcendente Auto-reprovação evolutiva
Heteropersuasão, modelo e replicabilidade Auto-experimentação, autopersuasão e replicabilidade relativa Auto-ingenuidade feliz
Ciência padrão: física e matemática Ciência padrão: espiritualismo universalista – consciência Anticiência e ignorância (de ignorar)
Matéria e energia Consciência, multidensionalidade e bioenergética Adornos, enfeites, muletas, mistificações, mitificações e rituais inócuos e desnecessários
Até no máximo 5 sentidos – intuição implícita Mais de 5 sentidos – intuição explícita, transcendência franca Menos de 5 sentidos – intuição implícita
Coincidência Sincronicidades contundentes Acaso, destino, vitimismo e congêneres
Antropocentrismo Conscienciocentrismo Ignoranciocentrismo
O social O consciencial O subconsciencial
Ciência Ciência + Paraciência Anticiência
Institucional Supra-institucional Grupal (grupúsculo)
Defesa isenta da razão Defesa isenta da consciência Defesa apaixonada de um ponto de vista egóico e umbilical – “Me engano que eu gosto”
Parte do subjetivo ao objetivo Parte do objetivo ao subjetivo Parte do devaneio ao delírio místico
Abstração intelectual e mental Abstração transcendente Não consegue racionalizar, muito menos abstrair
Valorização da tecnologia Valorização do parapsiquismo, da cosmoética e da tecnologia Valorização da mágoa, do ressentimento e do deslumbramento
Discernimento materialista limitado Discernimento consciencial ampliado Sem discernimento ou lucidez
“Acredita” nas energias e raios cósmicos detectáveis por aparelhos “Acredita” nos amparadores e nos autotestemunhos vivenciais discernidores Acredita em coisas quânticas, portais místicos exagerados, vota pró-armas por não conhecer morfopensenes e a lei dos semelhantes, votam pró-aborto, seu mestre é o maior e melhor, seu grupo é mais evoluído, possui monopólio sobre verdade absoluta ou verdade relativa e dispersa-se em elucubrações fúteis e delirantes
Não acredita Sabe que mensagem canalizada e mensagem mediúnica são a mesma coisa Crê que mensagem canalizada é diferente de mensagem mediúnica
Não acredita Sabe que quem assina mestres demais está mistificando Acredita que quem assina mestres demais é “demais”
Só aceita explicações simples e lógicas Só aceita explicações simples e lógicas Aceita explicações místicas exageradas e sem bases
Acha irrelevante Compreende que perdão é do coração Acredita em perdão da boca para fora
Acha irrelevante Efetua práticas bioenergéticas todos os dias Mal conhece práticas bioenergéticas
Acha irrelevante Ora todos os dias Ora pouco só para pedir ou quando está mal
Acha irrelevante Agradece a tudo e todos Reclama
Não acredita Sabe que as obsessões são culpa de si mesmo Pensa que não tem responsabilidade nas obsessões
Não acredita Sabe que tudo funciona: terapias, sistemas de cura, rituais, magia, decretos, evocações, cristais e firulas várias, mas que tudo depende de si mesmo e da força de vontade, aplicação, concentração e persistência de si mesmo. Acredita em todas as firulas e que basta efetuá-las e depois dormir em berço esplêndido que tudo se realizará sozinho sem seu esforço contínuo.

Não temos nada contra as possibilidades infinitas de novos métodos, sistemas e terapias testadas e responsáveis, mas nos preocupamos com informação segura, aberta, ética para com nosso público e as pessoas que desejam de fato investir na autocura e na auto evolução consciencial. Não temos como colocar panos quentes num sistema em que qualquer um decide fazer um curso de final de semana e se tornar terapeuta sem o menor preparo, possuindo as vezes somente uma capacidade de comunicação e marketing poderosa na internet e também a facilidade de escrever alegando, geralmente, psicografia de Mestres Supremos de toda ordem, hierarquia e grau, como se tais Mestres fossem apenas seus criados.

Se você tem novas ideias, uma perspectiva diferente da minha eu lhe peço para postar nos comentários. Eu estou sempre aberto a mudar de opinião e também aprender com você leitor. Seja elegante e cordial, assim podemos evoluir de mãos dadas mesmo se discordarmos no nível das ideias.

Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

Ah, deixe seu comentário, isso pode me ajudar a criar outros conteúdos.
E vote nas estrelinhas bem ao fim.

Veja este curto vídeo para entender melhor:

Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

Ah, deixe seu comentário, isso pode me ajudar a criar outros conteúdos.
E vote nas estrelinhas bem ao fim.


Textos correlatos sobre mestres nos links a seguir:


Eu gostaria muito de melhorar e enriquecer este texto, peço sua opinião. Você pode escrevê-la por aqui ou me passar um contato direto. Estou disposto a editá-la e alterá-la para melhor se você prezado leitor me indicar erros técnicos ou conceituais. Sou flexível em rever minha posição, sou humilde  e posso aprender com você.

*Nota – livros de Paul Brunton:

A Imortalidade Consciente.
A Índia secreta. São Paulo, Editora Pensamento.
O Egito secreto. São Paulo, Editora Pensamento, 1967.
Idéias em perspectiva. São Paulo, Editora Pensamento.
A busca do Eu superior. São Paulo, Editora Pensamento.
A crise espiritual do homem. São Paulo, Editora Pensamento.
A realidade interna. São Paulo, Editora Pensamento.
A sabedoria do Eu superior. São Paulo, Editora Pensamento.
A sabedoria oculta além da Ioga. São Paulo, Editora Pensamento.
O caminho secreto. São Paulo, Editora Pensamento.
Meditações para pessoas em crise. São Paulo, Editora Pensamento.
Meditações para pessoas que decidem. São Paulo, Editora Pensamento.
Mensagem de Arunachala. São Paulo, Editora Pensamento.
Um eremita no Himalaia. São Paulo, Editora Pensamento.
O que é o karma?. São Paulo, Editora Pensamento.
Vislumbres. Carmo da Cachoeira, Irdin Editora, 2007. (Extraído de “The notebooks of Paul Brunton”)
A Graça Divina. Carmo da Cachoeira, Irdin Editora, 2008. (Extraído de “The notebooks of Paul Brunton”)

Tags: Mestres, Mestres Ascensionados, Fraternidade Branca, Grandes Mestres, Mestres professores, Mestres frases, Mentores, Amparadores, Amigos espirituais, Orientadores Evolutivos, Serenões, Serenão, Mestres espirituais, Mestres conscienciais, Mestres da alma, Orientador Evolutivo, Engenheiros Siderais, Maiorais Sidéreos, Consciências Livres, Conclave espiritual, Conclave sideral, conselho cármico, senhores do carma, arcanjos, anjos, devas,

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque – auto intitulado como “Tio Dalton” de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade.
—–
Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e “New Age’s”.
—–
Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática.
—–
É simples, irreverente, se denomina “caipira” e “sente muitas saudades de seu planeta”.
—–
O que mais aprecia é escrever, aprender, criar “coisas” novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. — -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)