APOMETRIA, PROJEÇÃO CONSCIENTE, MEDIUNIDADE, FÍSICA QUÂNTICA

APOMETRIA, PROJEÇÃO CONSCIENTE, MEDIUNIDADE, FÍSICA QUÂNTICA

Apometria funciona?

Sim, funciona, mas temos que evoluir, entender os processos e estudar. Não basta praticar mecanicamente e empurrar com a barriga só porque funciona. Existe o teórico que não pratica (teoricão) e o prático omisso e preguiçoso que não estuda (praticão). Todos dois estão errados!

Aliás, estudar não basta, entender é difícil. A percepção é diferente nas pessoas e INTELECTUALIDADE e/ou MEDIUNIDADE e/ou EXPERIÊNCIA PESSOAL não são verdades absolutas e podem ser distorcidas a gosto da má interpretação do freguês e até virarem dogmas pessoais intransponíveis. Leia mais sobre intelectualidade x discernimento consciencial aqui.

Tem o estudante intelectualizado, o pesquisador teórico que devora livros, cursos e entrevista todo mundo. Tem o médium ostensivo cheio de talentos parapsíquicos, rico de experiências pessoais. Tem o projetor consciente também rico em experiências pessoais projetivas. Leia aqui uma comparação sobre Mediunidade x Projeção. Seria melhor se fosse possível que reuníssemos um pouco de cada um destes três itens que citei anteriormente. Um pouco de intelectualidade, um pouco de mediunidade, um pouco de projetabilidade e muito coração e mente abertos, que são sem dúvida mais importantes que tudo na humildade lúcida e madura de aprender com as experiências, as vivências pessoais de si, de terceiros, aprender com os espíritos (amparadores e obsessores) e com todo mundo. Não deixe de ler este artigo correlato a este parágrafo.

Mas nada disso isolado garante discernimento consciencial. É preciso mente e coração abertos (humildade lúcida genuína). Premissa básica: quero aprender, portanto, sempre posso estar errado! O pesquisador não pode desejar convencer os outros, apenas observar as teorias que endossam sua “fé” – tem que observar os axiomas a favor e os contra sua hipótese de forma inseta e ética. Para entender mais profundamente a correlação CIÊNCIA e ESPIRITUALIDADE leia este artigo ilustrado.

Ele deve olhar as teorias e críticas mais ferrenhas que o contrariam. O espiritualista que deseja provar a espiritualidade de forma científica tem que ouvir os céticos, tem que ouvir os cientistas, além de ouvir somente os espiritualistas. Aliás, o pesquisador não pode ter fé, ele deve desejar buscar apenas a verdade, com coragem para a possibilidade de encontrar o oposto justo que desejava antes comprovar, ou seja, ele deve desejar aprender de forma legítima.

É bom lembrar que “achismo” não é ciência e só porque está escrito em algum lugar também não é verdade absoluta. Tem que sair da inércia e começar a admitir as limitações de Kardec e de outros autores e saber que nenhum pesquisador, médium, projetor ou escritor é alguma coisa sozinho ou detém a verdade completa e integral.

Tem muito espírita e outros louvando Kardec e contrariando tudo que ele ensinou e se achando o melhor “espírita”. Kardec não era dogmático, apaixonado por doutrina, por teoria, por verdade absoluta, por dogma pessoal, por dar passe ou distribuir sopa cegamente. Tem muita gente se dizendo universalista, mas não passa de um ortodoxo. Vou dar uma dica apesar de ser suspeito para falar: leia meus livros ESTUDOS ESPIRITUALISTAS e o PARADIGMA QUÂNTICO que você vai levar um banho de loja. É o básico. Depois a gente conversa. Não deixe de ler TUDO de André Luiz e Chico que lá apesar de ter cara de romance espírita, é tudo esclarecimento avançado, profundo e importante, é o básico. Sobre Viagem Astral, leia os livros de Wagner Borges e Waldo Vieira para entender o que é experiência fora do corpo antes de teimar e insistir que médium sai do corpo em mesa de Apometria. Até sai, mas é RARÍSSIMO! Ele se desdobra, isso é diferente! Leia este artigo específico sobre tal ponto para entender minha argumentação.

Kardec tinha mente e coração abertos e era um ótimo pesquisador, por isto usou a estatística para cruzar informações de diversos médiuns, descartando inclusive o que se chama tecnicamente “desvio padrão”. Ele não aprendeu com os livros, aprendeu com as pessoas. Eu pesquiso em livros, mas ainda prefiro “ler” pessoas, conversar com elas e entrevistá-las informalmente, como amigo ou por e-mail. Isto me tem sido uma ferramenta poderosa. Tenho conhecido gente boa por aí.

Se alguém tem certa vivência pessoal em seu processo psíquico, parapsíquico, mediúnico, projetivo, não significa que a interpretação da experiência que ele vivenciou seja correta. A experiência é uma coisa, o entendimento dela é outra. Não existe medida ou receita para explicitar bem o que é discernimento, mas é uma percepção mais sagaz, profunda e abrangente das coisas.

Exemplo: você vai a uma tribo de índios e vai falar com o Xamã, então o Xamã diz: “O espírito da águia me leva para as tribos dos ancestrais”. Então você vai a outra tribo e o Xamã diz coisa bem parecida. Vai em 30 tribos e eles falam coisas bem semelhantes. Então você percebe que há um contexto cultural e este contexto molda, modula a experiência deles (um arquétipo). Você sabe que estes Xamãs saem do corpo, vivenciam viagem astral, mas o contexto, a linguagem, a cultura dá uma pintura de interpretação característica e própria a coisa. Então se você, pesquisador ocidental, que foi na tribo não tem bagagem cultural, não tem visão de conjunto, não tem alguma experiência pessoal, você não compreende, pois vai interpretar a sua pesquisa de forma errada, vai interpretar a partir do ponto de vista da cultura de seu grupo apenas e isto é infinitamente limitado. O pesquisador com bagagem vai entender que são experiências fora do corpo!!!!

Acontece a mesma coisa nas mesas de Apometria. Há um contexto cultural que molda as respostas quase padrão dos médiuns. Muitos médiuns são excelentes. Mas você vai questioná-los e eles respondem:

“Não Dalton, você está errado, eu saio do corpo sim”,

Mas eu teimo: NÃO SAI NÃO!

Mas Dalton, Dr. Lacerda escreveu no livro, que na Apometria há um desdobramento.

Mas está certo só porque está escrito? Mas qual o sentido do termo desdobramento? No meu livro também está escrito? E aí? Lacerda é infalível e está 100% correto e absoluto em tudo?

Você está transformando Lacerda num novo tipo de Kardec inquestionável? Novo dogma?

O contexto cultural do médium da Apometria ainda está por demais condicionado ao espiritismo ortodoxo sim, limita a interpretação da experiência dos mesmos. Eu estou olhando a coisa de cima e sem paixão.

A questão das ondas cerebrais já destrói a argumentação de sair do corpo. Eu nem precisaria insistir muito. Um indivíduo para sair do corpo tem que estar ou dormindo ou em meditação profunda, ou cochilando ou profundamente relaxado. Se alguém está falando, conversando, observando seja aqui ou longe por clarividência, não vai estar em ondas alfa, vai estar em beta, as ondas de atenção e vigília. Reclamem para a medicina e para a fisiologia, não para mim, eu apenas busco a informação correta e clara sem Kardecismo, Lacerdismo ou Ramatismo (ou anti-ramatismo também – uma nova religião de obsessores espíritas kkkk).

apometria-projecao-consciente-mediunidade-fisica-quantica

É necessário o sono completo, para a emancipação do Espírito?

— Não. O Espírito recobra a sua liberdade quando os sentidos se entorpecem; ele aproveita para se emancipar, todos os instantes de descanso que o corpo lhe oferece. Desde que haja prostração das forças vitais, o Espírito se desprende, e quanto mais fraco estiver o corpo, mais o Espírito estará livre.

Comentário de Kardec: É assim que o cochilar, ou um simples entorpecimento dos sentidos, apresenta muitas vezes as mesmas imagens do sonho.

O Livro dos Espíritos – Cap. 8 – Emancipação da Alma – 407

Bem, vamos a algumas questões levantadas sobre Apometria.

  1. Os médiuns “desdobrados” saem do corpo como todo mundo acredita dentro da tradicional cultura apométrica?
  2. O que acontece quando o médium está desdobrado e é preso por obsessores no umbral?
  3. O que é vidência e clarividência?
  4. O que é alterar o spin?
  5. O que é salto quântico?
  6. O que Física Quântica tem a ver com Apometria?
  7. Apometria Cósmica funciona?

 

RESPOSTAS – por Dalton – www.consciencial.org

 

  1. Os médiuns “desdobrados” saem do corpo como todo mundo acredita dentro da tradicional cultura apométrica?

Não! Os médiuns na mesa de Apometria não saem do corpo como 99% dos apômetras acreditam!

Eles têm seus duplos etéricos dilatados, suas auras dilatadas, suas psicosferas dilatadas e seu psicossoma se descoincide alguns centímetros aumentando todas as suas parapercepções conscienciais para efetuar o trabalho de assistência espiritual. Esta condição é ainda reforçada e mais ampliada através da presença dos amigos espirituais. Chamo a atenção para o caso de incorporação profunda e plena. Um espírito pode tomar o controle do corpo do médium e este sair TOTALMENTE do corpo e ir onde quiser, até na Lua! Os casos de mediunidade mecânica são totalmente diferentes, não vou entrar no mérito agora.

 

  1. O que acontece quando o médium está desdobrado e é preso por obsessores no umbral? Como prendem os médiuns “desdobrados” se o Dalton diz que não estão projetados?

 

Boa pergunta! Se os médiuns estivessem desdobrados teriam que estar com metabolismo baixo, ou seja, com a emissão de ondas cerebrais em alfa ou theta. Teriam que estar sem falar, super relaxados. A projeção da consciência (viagem astral, desdobramento ou emancipação da alma) EXIGE que as ondas cerebrais estejam baixas, fazendo o metabolismo cair (fisiologia), para que o corpo astral (psicossoma) seja de fato lançado para fora do corpo.

É praticamente IMPOSSÍVEL pelas condições FISIOLÓGICAS (algo que não tem nada a ver com espiritualidade e é CIENTÍFICO) alguém estar relaxado falando e preservando a atenção, situação em que se encontram os médiuns de trabalho na mesa da Apometria. O estado de atenção emana ondas mentais beta, situação rara de se sair do corpo, ou seja, de se desdobrar.

Mas então se o Dalton falou que fisiologicamente, pelas leis do metabolismo físico, é impossível alguém conversando e observando, estando ligado e atento, em ondas beta, sair do corpo, como é que prendem o médium no umbral, por exemplo?

É simples: prendem energeticamente! – Leia mais sobre lei de ressonância aqui.

O médium está com o corpo sentado na cadeira rente à mesa de Apometria, mas está com a clarividência projetada em outras dimensões do umbral ou da crosta. Então ele está emitindo uma clarividência viajora. Este tipo de clarividência se dá pelo chacra frontal, que funciona como se emitisse um pseudópodo bioenergético para a multidensidede (dimensão) – local onde está observando.

Então através dessa conexão energética pela clarividência do médium ele é “preso”. Os obsessores lidam com ele à distância, energeticamente, como se ele estivesse presente de corpo astral (psicossoma). Eles fazem as mandingas deles e o médium até reage fisicamente diante da mesa de Apometria. Isto é difícil explicar do ponto de vista espacial em 3D como se conhece o dia a dia. Realmente é meio complexo e abstrato. Não é preciso grades astrais para reter um médium em sintonia com o umbral. A prisão é realizada através de sintonia. É como um caso de obsessão, pois o obsessor prende o obsidiado por sintonia – e porquê fica tão difícil livrar certas pessoas da obsessão? É a mesma coisa!

Quando alguém está seriamente obsidiado está preso em alguma grade astral? Não, há um espírito doente em sintonia com ele. Mesmo se ele se sacudir e descer de tobogã vai estar com o obsessor colado, é sintonia, frequência, vibração.

Mas Dalton, há algum autor ou dado que possa corroborar o que você está dizendo sobre este negócio dos médiuns não saírem do corpo de fato nas seções de Apometria? É que eu não confio em você!

Tudo bem, tenho sim. Pegue o livro Projeciologia – Panorama das Experiências Fora do Corpo de Waldo Vieira, um dos papas da projeção consciente na página 113 bem no último parágrafo. O meu livro é a 3ª edição com data de 1990, e vou transcrever o parágrafo para todos a seguir entre aspas:

Espasmos – Quando se produz a projeção integral da consciência pelo psicossoma ou pelo corpo mental, deixando o corpo humano de cérebro vazio, se instala a imobilidade completa e nem estes pequenos espasmos acontecem com tanta frequência, porque os reflexos orgânicos quase anulam completamente no organismo que permanece inanimado e apenas com vida vegetativa.

Este parágrafo faz parte do item 72. PROJEÇÃO CONSCIENTE E O SONO no dito livro e acho que se não encerra, dá uma boa ideia sobre o assunto.

A seguir ainda dentro deste número, tópico, item, alguma informação sobres as ondas cerebrais a seguir para enriquecer ainda mais o assunto:

  • Ondas Gama: Correspondem ao estado de superatenção. O cérebro está acordado atento ao mundo exterior. São mais raras e quase não são citadas – frequências acima de 20 Hz.
  • Ondas Beta: Correspondem ao estado de vigilância e atenção. O cérebro está acordado atento ao mundo exterior. É a vigília. São estas as ondas da aprendizagem (recepção de informações), estas ondas são ligadas ao estresse. As ondas Beta se caracterizam por frequências rápidas, 13 a 20 Hz.
  • Ondas Alfa: Correspondem ao estado de repouso, ao relaxamento mental e muscular. O estado de consciência experimentado é o de calma, tranquilidade e paz. As pessoas estressadas têm dificuldade de produzi-las. As ondas Alfa se caracterizam por frequências de 8 a 13 Hz.
  • Ondas Theta: São as ondas da meditação profunda, da visualização, da inspiração e da criatividade. O estado experimentado se caracteriza pelo conhecimento do subconsciente e das recordações antigas. As ondas Theta são produzidas frequentemente por crianças, artistas e pessoas criativas. As ondas Theta se caracterizam por frequências de 3 a 7 Hz.
  • Ondas Delta: São as ondas do sono profundo e se caracterizam por frequências de 1 a 3 Hz.

 

3. O que é vidência e clarividência?

Vidência é a condição de ver, qualquer um que não seja cego é um vidente. Clarividência, ou “ver claro”, se refere a uma visão multidimensional. A clarividência é um tipo de visão remota. Esta visão é obrigatoriamente no tempo presente. Percepções do futuro ou do passado NÃO SÃO CLARIVIDÊNCIA. Fazer leitura energética (psicometria) de pessoas e ambientes NÃO É CLARIVIDÊNCIA!

CEGO-VIDENTE-CLARIVIDENTE

Esta visão remota (a clarividência) difere de sensitivo para sensitivo, ou seja, na mesma hora e lugar dois sensitivos focando o mesmo alvo podem ver coisas diferentes (e geralmente veem). Um capta uma frequência / sintonia, outro capta outra frequência / sintonia, uma percebe os amparadores, outro percebe os assediadores e por aí vai.

Temos a clarividência extrafísica, para quem está projetado ou fora do corpo e a clarividência “normal” ou intrafísica de quem a exerce na vigília. Temos ainda os fenômenos de Autoscopia. Temos a Autoscopia Projetiva, que é a faculdade de o indivíduo ver ou sentir a si mesmo. Esta pode ser interna ou externa. A interna, como o próprio nome diz, o sujeito observa o interior do próprio corpo, a externa ele observará o exterior.

Semânticas e polêmicas à parte, a Autoscopia me parece um tipo de Clarividência. Neste ponto exato, sugiro aos pesquisadores sérios e sem preguiça mental, os que não estejam por demais condicionados em Kardec e Chico / André Luiz (que são excelentes), ler o livro de Waldo Vieira – Projeciologia. A clarividência é anímica e pode ser ampliada por condição mediúnica diante de um acoplamento áurico de amparador. A clarividência do amigo espiritual somada com a clarividência do sensitivo (sinergia), se reforçam abrindo os canais de percepção. No fenômeno da clarividência não há interferência de uma mente externa, senão cai no fenômeno da Telepatia.

Estes conceitos que proponho, são de minha autoria e responsabilidade e como estudante acadêmico de Parapsicologia como ciência, devo advertir que na Parapsicologia as conceituações são diferentes quando não são justo o contrário. Citarei trecho de Parapsicologia de site estritamente acadêmico e científico para vocês um pedacinho da diferença.

*** Do site: http://www.pesquisapsi.com/content/view/2267/86/lang,pt/ ***

“Um dos maiores desafios para os estudiosos da ESP é a questão da violação das leis de tempo e espaço propostas pela Física clássica. A percepção extra-sensorial divide-se, didaticamente, em telepatia e clarividência. A telepatia ocorre quando há transmissão ou captação de informação entre duas pessoas. Quando a informação é obtida do meio ambiente, sem o envolvimento de uma outra mente, diz-se que ocorreu um fenômeno de clarividência. As pesquisas evidenciam que não há limites de distância entre a pessoa que “recebe” a informação e a pessoa ou local de onde ela possivelmente teria partido. Portanto, desafia os limites impostos pelo conceito de espaço em Física.

Quanto ao tempo, tanto a telepatia quanto a clarividência podem ser: (a) precognitivas (quando a informação se refere a um fato que ocorrerá no futuro); (b) simulcognitivas (quando o fato está ocorrendo no mesmo momento em que a informação é transmitida ou captada); (c) retrocognitivas (quando diz respeito a um evento ocorrido no passado sobre o qual a pessoa que “recebe” a informação não tinha conhecimento prévio).

Como foi dito, essa divisão é meramente didática e serve mais para estabelecer parâmetros de objetivos nos experimentos feitos em laboratórios. No caso dos fenômenos psi que ocorrem no cotidiano, muitas vezes é impossível distinguir e denominar didaticamente o que ocorreu. Por isso, Rhine introduziu a denominação percepção extra-sensorial em geral para englobar tanto os fenômenos de telepatia quanto os de clarividência. A sigla utilizada para a percepção extra-sensorial em geral é GESP, do inglês general extrasensory perception. (Beloff, 1993, p. 135).

A psicocinesia, outra categoria de fenômenos estudada pela Parapsicologia, diz respeito aos fenômenos extra-motores. Assim, a psicocinesia, ou PK (do inglês psychokinesis), está relacionada à movimentação de objetos sem a intervenção dos músculos ou utilização de algum aparelho ou mecanismo conhecido. Popularmente, a PK é conhecida como a ação da mente sobre a matéria.”

*** Fim da citação.

 

Diga-se de passagem, explicar os fenômenos mediúnicos é mais complicado que explicar os fenômenos projetivos, que me parecem um pouco mais elucidados (pelo menos na literatura existente e pelo menos para mim). Há pessoas que possuem enorme resistência a termos novos (neologismos) e já fui sumariamente expulso da lista Espíritas e Simpatizantes do yahoogrupos, apenas por usar num artigo simples, impessoal, esclarecedor e sem qualquer emoção ou negatividade a palavra “holopensene”, no entanto, néscios, incautos e ortodoxos a parte, é preciso aceitar novos termos, novas abordagens e novas ideias. Imaginem um estudante que vai fazer medicina, durante as aulas e recusa os termos técnicos? Não passa de um tolo.

Portanto, prepare-se para daqui a pouco ler alguns neologismos que vão surgir no meu texto. Eu previno o leitor, se você sente o estômago embrulhar, é melhor largar tudo e ir participar de churrascadas e danças do créu, que aqui é para gente curiosa, pesquisadora, corajosa que quer estudar sem preconceito. Sinônimo para o termo preconceito: IGNORÂNCIA, MEDO, etc.

Então por minha própria observação despreconceituosa observei dois tipos de clarividência: uma aparentemente mais “externa” em nível de chacra frontal e outra mais “interna” em nível de intuição, se bem que não sei bem se esta palavra serve, mas é o que tenho no momento. A clarividência externa é ocorre fora do corpo (embora ainda dentro da mente expandida do perceptor) e a clarividência interna, ocorre dentro do corpo, embora ainda dentro da mente do perceptor – favor não confundir o “fora do corpo” com experiência fora do corpo, pois aqui me refiro ao fenômeno ocorrer fora do corpo .

Então, levando estas considerações para as outras mediunidades, o processo se repete na clariaudiência também, que pode ser mais externa, em nível de chacra laríngeo, ou mais interna, em nível de intuição.

Considero que os eventos mediúnicos em nível de intuição, se dão mais pelo chacra coronário, embora outros chacras em segunda instância participem também. É algo que preciso desenrolar melhor para o futuro e escrever. Creio que fui claro.

 

  1. O que é alterar o spin?

Alterar o spin se refere aos chacras. Os chacras giram no sentido horário, pela regra da mão direita, para exteriorizar energias e no sentido anti-horário para captar energias. A “regra da mão direita” consiste em fechar o punho (da mão direita, lógico) e levantar o polegar. Encoste o polegar no seu cardíaco (apenas como exemplo e facilidade física). Os 4 dedos dão o sentido do giro do chacra no sentido anti-horário, no sentido da exteriorização de energias. Esta é uma regra da Física estudada no campo de eletricidade que emprestamos para fazer uma prática analogia. Nessas horas é muito bom ser Engenheiro e entender as coisas ou ter uma visão espacial ou até conhecer um pouco de matemática.

regra da mao direita

Regra da mão direita

 

Bem, quanto mais dilatados, limpos e brilhantes os chacras, melhor, mais circulação de energia, mais saúde e mais força. Num desencarnado (espírito) não há mais chacras, existem parachacras ou chacras do corpo astral (psicossoma). A ideia do sentido de giro dos chacras nos espíritos é a mesma do que para os encarnados, mas tudo é mais sensível e vital nas energias e nos chacras destes desencarnados.

Portanto, quando aparece um espírito negativo com muita força mental (por exemplo um super obsessor), é preciso diminuir a velocidade do giro do chacra frontal, para que ele perca força ou até mesmo inverter o sentido do giro do chacra. O chacra frontal é o responsável pela vontade e pelo controle dos outros chacras. Spin, na física e na química se refere ao sentido do giro (rotação) do elétron que é convencionado +1 num sentido e -1 noutro, não importando muito os detalhes, pois há detalhes vetoriais complexos de estudo desses na Física Nuclear e na Física Quântica que praticamente estão convergindo cada vez mais. Então o termo spin, ou melhor, alterar o spin do chacra, se refere a mudar o sentido do giro no chacra. Está elucidado.

 

5.O que é salto quântico?

Outro termo muito utilizado em Apometria. Também se refere à mudança de energia na órbita do elétron situado na eletrosfera. Quando o elétron ganha energia vai para uma órbita mais externa, quando perde energia salta para uma órbita mais interna. Nestes “saltos” ele, o elétron, não pula, ele some e aparece. Daí a força de expressão “salto quântico” quando alguém se modifica demais para o bem ou no sentido de algo. Apenas força de expressão sem nada de física quântica.

Esta expressão, “Salto Quântico” já era muito utilizada mesmo antes dos modismos da dos modismos da coisas / cursos / apometrias / terapias / literatura / consultas quânticas (New Age Quântica – leia mais sobre aquie este outro aqui também)

 

  1. O que Física Quântica tem a ver com Apometria?

Melhor ler o livro do Dr. Lacerda Espírito e Matéria – Novos horizontes para a medicina para ter uma ideia clara da coisa. Para mim a Física ou Mecânica Quântica é ainda muito básica e atrasada para compreender a fundo os processos, fenômenos e condições espiritualistas, energéticas e conscienciais, mas pode e deve ser utilizada como metáfora, como paralelo, como comparação. O que ocorre é que os modismos New Age desinformam e estragam o conhecimento profundo, genuíno e real. Agora a moda é trocar os termos “energético”, “bioenergético”, “vibracional” por QUÂNTICO como se fosse uma coisa nova, mas permanece a mesma coisa do século passado que ora se denominava “algo vibracional” e agora chama-se “algo quântico”. Deixo para seu discernimento sagaz deduzir mera inten$ão de marketing leviana das pessoas. Eu já tive reencarnações de manipulação e desinformação, hoje retorno para fazer o correto doa a quem doer.

O que o Dr. Lacerda fez e demonstrou no excelente e pioneiro livro Espírito e Matéria foi usar o conhecimento da Mecânica Quântica para tentar explicar os processos apométricos (espiritualistas), e o fez muito bem! Da mesma forma eu utilizei a Física e as Leis de Energia para tentar explicar e descrever as ideias no meu livro O KARMA E SUAS LEIS, também utilizando gráficos e equações. Então tudo funciona como analogia e por aproximação e não pode ser levado rigorosamente ao pé da letra.

 

  1. Apometria Cósmica / Angélica / Celestial / XYZ funciona?

Apometria Cósmica / Angélica / Celestial / XYZ é a teoria que espíritos muito elevados se comuniquem, ajudem e trabalhem diretamente com indivíduos densos, atrasados e pretensiosos como a raça humana. Seria algo como contratar Einstein para dar aula no pré-primário, no maternal ou na creche do interior rural e ensinar a Teoria da Relatividade e o Movimento Browniano e tentar explicar Cálculo Avançado Diferencial e Integral para bebês. Tem sentido isto? É a maior má fé espiritualista que já vi. Importantíssimo ler estes artigos a seguir:

Assim vocês irão entender como uma pessoa que não cumprimenta o gari na rua, o porteiro de seu condimínio ou nem consegue ouvir o que seu amparador pessoal tem a dizer, vai conseguir captar – e ainda fazer de criado pessoal – uma entidade elevada que tem mais o que fazer!

Mas retomando a explicação, seus amparadores, os meus e de qualquer um são de um nível ligeiramente melhores que nós. Quando alguém possui uma “missão de vida” melhor que a média é que vem um espírito “melhor que a média” fazer um trabalho e dar uma mão para ele, para mim ou para você – se for o caso.

Quero destacar algumas exceções bem sérias aqui. Espíritos como Jesus, Buda (Sidarta Gautama), Krishna, entre outros, que mesmo em plano mental livres da roda das reencarnações, podem se manifestar para qualquer um de nós, seres simples e singelos, pois eles não são orgulhosos, arrogantes e metidos como nós humanos, que nos sentimos importantes, mas não para exaltar nossos egos, mas sim para algo útil a humanidade. É mais fácil Krishna ou Jesus aparecerem aqui para mim ou para você aí do que para o Papa e outros cargos importantes e considerados pelos humanos. Apometria – Terapia – Curso – Consulta Cósmica / Angélica / Celestial / Quântica / XYZ é mais um fruto da New Age enganadora e “milagrosa” para enganar e ganhar dinheiro.

Eu sou Dalton, e escrevo por minha própria responsabilidade e assumo meus carmas bons e ruins por isto. Sou simples, acessível, afável, poeta, emotivo, brincalhão, mas um observador cortante, profundo e sagaz, especializado em destruir falácias espiritualistas.

Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

Ah, deixe seu comentário, isso pode me ajudar a criar outros conteúdos.
E vote nas estrelinhas bem ao fim.

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)