TÉCNICAS COERCITIVAS NA APOMETRIA…, E NA VIDA

TÉCNICAS COERCITIVAS NA APOMETRIA…, E NA VIDA

Bem, este não é bem um artigo, é uma vivência que tive num Congresso de Apometria no CEPEC em 23/09/2016 (hoje estamos em 19/09/2017), portanto, já faz um ano. O CEPEC – Centro de Estudos e Pesquisas Espíritas de Curitiba, é um Centro Espírita enorme, antigo e bem organizado no Bairro Alto de Curitiba, capital do Paraná, onde já frequentei eventualmente e até já ministrei minicursos para os grupos tanto de médiuns como da turma de Apometria.

Eles possuem um trabalho muito bom com uma gama ampla e sempre gratuita de atendimento. Uma das coisas que gosto no CEPEC é que ele compartilha o conhecimento sem medos e sem mistérios, e inclusive cobra valores mínimos, praticamente simbólicos, para quem quer mesmo estudar. Em síntese, eles são muito bons e recomendo seus trabalhos de atendimento em Apometria e noutras áreas.

Mas voltando ao assunto chave, que é o tal congresso, todo ano a Casa do Jardim de Porto Alegre – onde o respeitável Dr. José Lacerda trabalhou e desenvolveu os primeiros estudos de Apometria no Brasil (e do mundo) – faz um congresso da Apometria e eventualmente este encontro é em Curitiba no CEPEC, cidade onde resido e tenho oportunidade de ir. NOTA: congresso este que ninguém das linhas alternativas da Apometria comparece.

Então foram recebidos 4 preletores da Casa do Jardim – entre eles o Presidente João Pedro – que ocuparam a tribuna e dissertaram muito bem seus assuntos com simpatia e amizade a todos, abrindo para perguntas e algumas fotos com autorização (que inclusive já postei aqui no site). As restrições de filmagens e gravações foram solicitadas, pois o rigor da Casa do Jardim, se precavendo contra os “milagreiros New Age” que  tudo distorcem e exageram.

João Pedro, o Presidente atual da Casa do Jardim, aproveitou o evento para lançar o livro Fundamentos da Apometria (onde adquiri um exemplar e estou fazendo uma lenta e fragmentária resenha, aqui – e – aqui, e algures… kkkk, quando eu terminar sem nunca abandonar meu bom humor e irreverência).

João Pedro abriu um item para comentário que é o título deste post: TÉCNICAS COERCITIVAS NA APOMETRIA. E eu, Dalton, e meu amigo Gilberto (conhecido e competente Apômetra de Curitiba – um dos meus prediletos) entramos no debate e tal. Eu confesso, que faço muita força para ficar de boca fechada, mas devido a inflexibilidade das pessoas aos bons debates e falta de foco nas ideias, estou aprendendo a falar menos e escrever mais, e respeitar as limitações e “crenças” de cada um. Quando escrevo, é em meu ambiente, onde não incomodo ninguém, e quem quer vem aqui ler, ou se não quiser não aparece. Inclusive deixo espaço para comentários elegantes e educados ao fim de cada post, que também pode ser votado de 1 a 5 estrelas de forma anônima, dando espaço democrático tanto aos que não gostaram dos artigos pelo foco das ideias, como pelos que simplesmente não gostam do autor por fanatismo e discordância ideológica (ataque pessoal). NOTA: meu amigo Gilberto fala mais do que eu kkkkk.

E João Pedro discorreu CONTRA as conhecidas TÉCNICAS COERCITIVAS da Apometria e as condenou, pelo fato de que ainda temos muito carma negativo, e que o uso da força e da coerção (ou coação) na sala de Apometria pode “estourar”, dar errado e sofrer um imenso ataque trevoso bem sucedido. E a seguir sugere, o diálogo, mesmo que demore uma ou duas horas de conversa com os obsessores. E também fala muito, mas MUITO MESMO, sobre o Evangelho e a evangelização dos médiuns, dos colaboradores e tal. E DEIXOU BEM CLARO, QUE SÓ HÁ SALVAÇÃO PELO EVANGELHO.

Quanto a “Salvação” pelo Evangelho eu intercedi e argumentei que o Evangelho surgiu em certa data no globo terrestre, e perguntei, como fica antes desta data então? João Pedro foi COERCITIVO comigo, não respondeu, não quis conversar e nem me deu mais espaço para argumentar mais nada!

Quer dizer que temos que ser fraternos e conversar com obsessores sem coerção, mas podemos ser coercitivos com colega pesquisador, que faz uma argumentação inteligente? Que ética é esta?

Normalmente o Dalton é assim mesmo, ele pega na veia! No ponto fraco, onde ninguém viu (te desafio a ler meus originais artigos no consciencial.org), ninguém observou ou observou e não teve coragem de falar! Então já que não pude conversar de forma livre, aberta e democrática, eis-me aqui escrevendo o fato TESTEMUNHADO por umas 100 pessoas, tanto do CEPEC quanto de diversas casas espiritualistas da cidade. Claro, depois fui conversar com João Pedro, comprei o livro e pedi para ele autografá-lo sem nenhum ônus pessoal, pois debato ideias e refuto comportamentos quando são especificamente direcionados a mim.

Há o Velho Testamento, há o Novo Testamento e depois o Evangelho de Kardec. Todos têm data, todos nasceram numa época e lugar, mas antes deles muitas culturas e conhecimento espiritualistas fizeram seu papel, e pergunto, esqueceram dos Xamãs, dos Celtas, dos Vedas? Sabe-se lá o tempo que os Vedas existem 5.000 ou 10.000 anos, recheados dos conhecimentos mais sábios e avançados de toda história do planeta! Ou será que “O Evangelho” é algum clube de futebol? E seu time é o melhor?

Quem não quer um debate, não se expõe, ou então não acuse o Padre Quevedo de radicalismo, pois já chega, temos radicais demais dentro dos próprios grupos, gente com “convicções” firmes demais que esqueceram a ARTE DO APRENDER.

Autógrafo João pedro da CAsa do jardim - Fundamentos da Apometria

Doutrina e Evangelhos quaisquer que sejam, NÃO SÃO ESTADOS DE CONSCIÊNCIA, e não salvam ninguém! A religiosidade é diferente de religião, ser espiritualizado é diferente de espiritualista. Sim, sou espiritualista e não sou ainda espiritualizado, mas tento aprender a aprender sendo cada dia mais flexível, e como digo, saí sim de todos grupos virtuais, de todas as discussões digitais, NÃO MINISTRO MAIS CURSO E PALESTRAS e nenhum lugar que não seja de meu controle, meu local de poder, onde posso discordar dos absurdos e tolices tanto New Age quanto as Espíritas ortodoxas por aí e outras mitificações espiritualistas absurdas.

E pelo jeito jeito João Pedro está mais preocupado em adaptar a Apometria aos velhos espíritas ortodoxos que sempre alegaram razão máxima e última a doutrinação e ao diálogo com os obsessores, do que autenticar a já reconhecida eficácia de tal tratamento espiritual. Evidente que, tudo que puder ser mais suave e ameno, que assim seja tentado, testado e praticado, mas quando não for possível, que sejam usadas SIM, as cosmoéticas e eficientes técnicas coercitivas. Vamos ser práticos e lembrar que as “técnicas coercitivas evolutivas” dos Engenheiros Siderais estão tirando do planeta as consciências recalcitrantes a um orbe mais atrasado – você acha isso uma atitude radical? Também vamos lembrar que temos policiais armados nas ruas, para quê isto? Vamos dialogar com os bandidos e nem precisaremos prendê-los.

E outra, os espíritas ortodoxos nunca aceitarão a Apometria por mais que se force a encaixá-la nos livros espíritas. As bases de estudo do livro de João Pedro citam os livros de Ramatís, Gabriel Delanne, Camille Flammarion, entre outros, que os espíritas nunca irão aceitar sequer como sendo livros espíritas. Não dá para expandir consciências com bibliografia, não dá para ampliar intelectos com livros, mas quando conseguirmos fazer isso com nossos exemplos (e sempre me incluo) a repercussão será melhor do que é atualmente.

Além do mais, quando os paradigmas científicos ortodoxos materialistas forem vencidos (e vai levar gerações,) as coisas vão tomar um rumo diferente. A CIÊNCIA ESPÍRITA que todo espírita cita, mas não compreende, exige um pensamento mais aberto e racional como o meu, que não observa apenas a “cara” da moeda, mas também a “coroa” e abeiradinha do lado. Isso exige mais coragem, ousadia e universalismo sempre mantendo o campo aberto para debates e refutações, mesmo que elas puxem os tapetes dos paradigmas pessoais e grupais.

NOTA: consciência de culpa pelos erros de encarnações passadas, não justificam nada. Você não é quem você foi, você é quem você é se transformando em quem você será. Erros passados, todos temos.

Abraços fraternos,

 

 

 

 

 

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque – auto intitulado como “Tio Dalton” de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade.
—–
Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e “New Age’s”.
—–
Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática.
—–
É simples, irreverente, se denomina “caipira” e “sente muitas saudades de seu planeta”.
—–
O que mais aprecia é escrever, aprender, criar “coisas” novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. — -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)