Grupos de estudo

Muitas pessoas pensam em abrir em suas cidades um Grupo de Estudos, principalmente cidades menores com menos recursos

Nesta página vamos deixar instruções e dicas detalhadas para empreender tal movimento. No entanto, é apenas uma sugestão que deve ser adaptada a situação de cada grupo, pessoas e cidade.

Vamos sugerir sistemas e métodos de estudo e procedimento, bibliografia e práticas.

Vamos descrever uma situação ideal, exagerada, plena, completa, mas saibam que para um grupo de estudos bastam 2 pessoas, um local e um livro, o resto vai da vontade e do coração.

 


 PRÉ REQUISITOS E DICAS PARA GRUPO DE ESTUDOS

RECURSOS PSÍQUICOS

  1. Disciplina, método e muita perseverança.
  2. Dividir os encontros em TEORIA  e a PRÁTICA.
  3. Desenvolver a INTELECTUALIDADE, a VONTADE BIOENERGÉTICA, a COMUNICABILIDADE e a DIDÁTICA.
  4. Desenvolver a desinibição.
  5. Suportar fases de desânimo, tédio e desmotivação.
  6. Muita paciência com os colegas e as diferenças de opinião (IMPORTANTÍSSIMO).
  7. Ter imaginação e criatividade.
  8. Saber quebrar a rotina de forma engenhosa e inteligente de vez em quando.
  9. Saber efetuar meditação.


 RECURSOS BIOENERGÉTICOS

  1. Tem que saber orar (poucos sabem) – vamos explicar melhor depois.  Leia aqui: http://consciencial.org/oracoes/oracao-correta-em-3-fases/
  2. Grupos têm que preparar para serem atacados por encarnados, por espíritos trevosos, pelo próprio ego do grupo.
  3. Saber efetuar práticas bioenergéticas.


 RECURSOS FÍSICOS

  1. Ter local adequado e tranquilo para encontros e estudos.
  2. O local deve ser de acesso relativamente fácil e seguro para quem translada de transporte público.
  3. Possuir livros.
  4. Possuir recursos didáticos e equipamentos eletrônicos: quadro negro ou branco, giz ou pinceis atômicos e apagadores, som, computador, projetor multimídia e o que for necessário.


 QUANTIDADE DE PESSOAS NO GRUPO DE ESTUDO

Para existir um grupo bastam 2 pessoas, mas o mínimo razoável serão 3. O tamanho ideal são cerca de 12 pessoas, pois com mais gente surgem conversas cruzadas, muita dispersão e perda de foco. As vezes fofoca, negativismo e indisciplina, com risadas e brincadeiras excessivas. O líder tem que ter uma combinação com estilo enérgico com educação e sutileza elegante para cortar. Muita gente cria aquela sociabilidade inócua que destrói o estudo, os obsessores usam isso com muita facilidade e a ingenuidade das pessoas de boa fé chega a ser insuportável.

O ideal é fazer um círculo de cadeiras, se puderem ser cadeiras de braço, melhor ainda, caso não possam as de PVC são as mais leves, práticas e baratas e pode-se usar prancheta ou mesmo um caderno grande de capa dura para apoiar e escrever.

Quem quer aprender sempre anota sem preguiça. A questão de gravar ou filmar fica por conta de concordância – se unânime – do próprio grupo, pois hoje em dia com celulares é fácil gravar ou filmar uma exposição de conteúdo.

De minha parte – Dalton – não gosto de celular no grupo, eles tem ficarem desligados, não em volume baixo, mas desligados total para evitarem aquela olhadinha rápida que retira o foco.

As vezes montar um grupo é fácil e cria-se a tal empolgação que vai virar decepção e frustração na próxima curva, portanto, sugiro criar um grupo fechado, que a pessoa deve ser entrevistada para entrar e testada. Claro que quem está começando, não recomendo nada disso, apenas montar, reunir e conversar. No início vale tudo, até mesmo aquele social que diminui mesmo os estudos quando as amizades estão mesmo muito boas e simpáticas.

O que sugerimos é separar, fazer um estudo sério e se a turma for boa, depois saem para comer uma pizza, um cachorro quente, algo assim. Tem que ter disciplina, mas com flexibilidade, nada de sistema militar demais não.


 LIDERANÇA

Liderança não é chefia. Liderança é um processo natural, fluente, simples e doce. O líder tem voz ativa, de comando, estimula tal ação ou a inibe se necessário. Tem fincar o pé nos horários que devem ser respeitados com rigor. Depois vamos debater a questão do atraso.


 RESPONSABILIDADES

Quem cria o grupo, geralmente o líder natural é que carrega tudo sozinho nas costas, inclusive as despesas. A água, o copo descartável, o papel higiênico, a luz, a limpeza, que devem ser divididas aos participantes firmes. Isso vai funcionar como um filtro de sugadores, quero dizer, sempre aparecem os “vampiros”, aqueles que só querem receber e também os curiosos. Então os “vampiros” e o “curiosos” só vão entrar se colaborarem com 2 ou 3 reais para ajudar nas despesas ou o que o próprio grupo estipular.


LIVROS E UMA FUTURA BIBLIOTECA

A biblioteca é sonho para o futuro, começa-se com um livro que o líder ou os primeiros componentes decidem. Pode-se até pedir doações de forma pessoal a amigos ou pela internet, o Facebook está aí para isto.


RECURSOS DIDÁTICOS

Claro que um dia o grupo terá um quadro branco para aulas no estilo antigo, pois a disciplina do grupo a certa altura da maturidade irá responsabilizar cada um dos integrantes a preparar uma aula do capítulo do livro que está sendo estudado e a expor com boa vontade. Aqui ninguém tem que ser mestre ou craque, tem que fazer na tranquilidade como em meio a amigos que apoiam, ajudam e serão coautores na aula também.

Depois terão o notebook com a TV de LED grande com slides do Power Point (pago) ou o OpenOffice (grátis), os criadores de Mapas Mentais grátis na Web: MindMesiter, Coogle It, MindNode, StormBoard, etc, uma extensão do grupo de estudos no Facebook, um News (grupo de notícias) e talvez até um fórum de debates, o Googlge DOCs, Thinkbinder, Skype, Vyew, Diigo, etc. Se tiver dúvida para o que são e como funcionam procure no “oráculo” chamado Google que ele sabe tudo! Todos esses recursos contam com diversas opções grátis e podem corroborar e fortalecer o grupo.

Uma observação que faço quanto ao Facebook: não sejam “amigos virtuais” no Facebook, apenas entrem no grupo criado e moderado pelo líder. Esta questão de ser amigo na Facebook vai dar diferença de opinião e briga. Um é fanático pelo PT e outro é fanático pelo PSDB e isso não vai dar certo. Aliás, um fanático, vai ser indigesto no grupo mais cedo ou mais tarde.


RECEBER TERCEIROS

Quanto a visita eventual de terceiros, depende! Se alguém leva um ou mais convidados será ótimo, nem precisa avisar. As vezes aparece um interessado em estudar que deseja conhecer o grupo e isto é ótimo. Mas tem gente que é muito, mas muito cara de pau, já soube de casos que alguém que fingiu interesse no grupo apenas para fazer rede de contatos para vender coisas!!!!! É mole!!! Então essa gente tem que ser cortada na raiz e com energia. O que conta é o julgamento de caráter e discernimento do integrante que leva ou convida a pessoa para conhecer o grupo.

Não há problema em levar um curioso que vai apenas uma vez e nunca mais, isto é até bom, pois divulga o grupo. Depois o próprio sujeitos as vezes indica o grupo para outros colegas se achou interessante embora não quisesse prosseguir.


RIGOR NOS HORÁRIOS

A questão dos horários tem que dançar num meio termo entre a disciplina e a flexibilidade. Não há um ponto exato, fixo e radical. Acredito que deve ser adequada, adaptada as condições diversas de cada grupo.

Por exemplo, pode haver participantes que morem longe, que dependam de transporte público, que saiam do serviço direto para o grupo e essas exceções devem ser bem estudadas. A questão da disciplina deve ser pensada para motivar o grupo e não para cercear gratuitamente com desculpa de disciplina com rigidez.

Outro problema que vejo – acontece no meu próprio grupo – todo mundo chega no horário, mas fica conversando e rindo demais, atrasando o início já com todos presentes, acho isso muito relapso e uma falta de foco, Só não interfiro por que Andréa é que administra o grupo e o grupo é muito amigo com forte relação social e uma intrusão mais enérgica pode destruir as duas coisas de uma só vez, então vou com jeito.

Quando um grupo inicia um trabalho consciencial cria-se um campo energético específico com as bioenergias dos participantes mais a administração dos amparadores e as necessidades espirituais dos espíritos doentes a serem tratados no dia de estudo. Assim, quando alguém sai ou entra no campo, na bolha de energias, vai haver uma intrusão, uma alteração e quando sai, leva energias da bolha e atrapalha a proteção que os amparadores montaram, ou seja, faz um buraco momentâneo no campo.

Dessa forma, deve ser evitado o fluxo após ter iniciado o trabalho, seja, com atraso ou não. Se há banheiro, água, chá, café, não importa, deve estar o mais próximo possível do ambiente de estudos, pois os amparadores sabendo disso já ampliam o campo para esses arredores sabendo do fluxo natural das necessidades fisiológicas humanas dos participantes.


PERIODICIDADE DOS ENCONTROS

A periodicidade mínima deve ser semanal. Se o grupo quiser e puder mais vezes fique a vontade, mas cuidem para que não façam nada com euforia, pois euforia é “fogo de palha” e acaba rápido. Podem fazer grupos de estudos diferentes por questão de horário e dias da semana para que outros possam participar – e que não poderiam – na grade anterior. Pode ser também assunto ou livro diferente, assim valerá a pena participar de todos os grupos e adquirir mais conhecimento.

É importante ser democrático e ouvir a todos, mas também ser prático e ter pés no chão;


ESCOLHENDO UM LIVRO

Há dois livros básicos e super importantes para um grupo se iniciar na espiritualidade / espiritualismo / espiritismo: O Livro dos Espíritos de Kardec e Mensagens do Astral de Ramatís e Hercílo Maes.

No entanto, uma coisa que faço questão nos meus grupos é que todos adquiram, comprem para si o livro que está sendo estudado no momento. Cada um que leia, rabisque e marque o seu com liberdade e sem pudor. Hoje em dia pode ser e-book e como muitos possuem smartphones de tela grande ou tablets ou mesmo e-readers, então pode comprado ou baixado da internet.Os e-books saem mais barato também.

Então para iniciar não abro mão desses dois livros, mas para continuar os estudos após estes dois temos o pentateuco de Kardec. Eu pessoalmente detesto o Evangelho (qualquer evangelho), não gosto de coisas moralistas, piegas com aquele jeito padrão religioso – mas isto sou eu – e estudaria as outras obras do pentateuco, mas seu grupo é quem decide.

Outra opção que eu adoro mais que Kardec é a Coleção ditada pelo espírito André Luiz e Chico Xavier!!! Esta coleção que disfarçadamente é escrita em forma de romance, não tem nada de romance, é conhecimento puro, esclarecimento puro. Obras de profundidade relevante. Esta seria a próxima a ser devorada.

Depois da anterior eu iria para a Coleção Ramatís – Hercílio Maes, adorável, indispensável, insubstituível!!!

Em seguida eu iria para as obras de Ramatís com outros médiuns a gosto do grupo.

Aconselho estudar a Teosofia, a Gnose e a Conscienciologia de mente e coração abertos, e vejam bem, se mesmo alguns integrantes desses não lhes pareçam gentis ou flexíveis, não importa, se eles não conseguem abrir a mente e o coração, vocês por aqui conseguem!!!!


DOAÇÃO

Se alguém (ou vários) no grupo não tem condições de comprar um livro eu sugiro quem possa financeiramente cotizarem e comprar o livro. Outra opção é pedir doações. Sempre recebi pedido de doações e já doamos muitos, inclusive cheguei a montar um programa de doação para instituições espiritualistas com CNPJ para não haver abuso de nossa bondade. Nós aqui do Consciencial.org pararíamos 50% dos livros e a embalagem e o doador parceiro (que nunca apareceu) doaria os outros 50% mais o frete.

Sempre aparecem uns folgados – folgados mesmo – que podem comprar, não tem força de vontade e querem tudo de graça. Na verdade são vampiros e obsessores que não compensa ter no grupo, até fazem muita fofoca e estragam os grupos.

Já me apareceu gente que sugeriu fazermos tudo de graça, porque o assunto é espiritualidade e deveria ser de graça e nosso tempo e despesa dispendida seria apenas para doar aos “pobres vampiros preguiçosos” que aliás, não querem nada com comprometimento consciencial pessoal da própria autocura. E eu afirmo a todos vocês, o que é fácil demais, não valorizado, se transforma numa pérola jogada a porcos.

Se uma pessoa não tem sequer o discernimento básico, de notar que os produtores de material espiritual, seja dentro ou fora da internet, não possuem despesas, então não merecem nada mesmo.


TEMPO DE ESTUDO

Para estudo sugiro no mínimo uma hora e meia. Ao iniciar o grupo deve ser efetuada uma prática de 15 minutos e ao terminar também, portanto, sobra uma hora para estudo do livro em questão.


METODOLOGIA

Após a prática de início alguém inicia a leitura em voz alta observando se há dúvidas. Quando houver dúvidas termina-se a leitura da oração até o fim e seja levantada e debatida a dúvida sem pressa, até a exaustão se for preciso, Quando digo oração, quero dizer conjunto de frases até o próximo ponto final. Não deve-se prosseguir enquanto houver dúvida.

Muitas vezes nos grupos que participei e no atual, eu interrompo a leitura de Andréa, levanto uma questão e as vezes é debatido pelo grupo durante uma hora ou mais em função de pontos de vista diferentes. O debate é mais enriquecedor que a leitura e há troca de perspectivas e experiência pessoal. A leitura informa e dá o rumo dos estudos.

Sugiro que cada trecho ou capítulo ou pedaço seja lido por cada um, ou seja, o livro vai passando de mãos. isto ajuda as pessoas a desinibirem e a se exporem e é importante colocar as energias para fora. A leitura pode ser interrompida conforme sistema do grupo, mas quando houver uma interrupção por dúvida, ou termina-se a oração antes e depois debate-se a dúvida.


FERIADOS E VIAGENS

Sem estresse, o grupo decide, cancela, remarca conforme a maioria escolher. Alguém sempre irá perder um ou outro dia de estudo. Se for mesmo interessado lerá o trecho perdido em casa e levará as dúvidas por escrito. O acolhimento de dúvidas já debatido será critério próprio do grupo de forma fraternal.


DIFERENÇAS DE OPINIÃO

Haverá momentos de divergência infinita e irredutível e isso é normal e sadio. Se tudo mundo está 100% afinado o tempo todo há algo errado, está havendo lavagem cerebral. Este é o maior defeito da humanidade atual, basta uma opinião diferente que fulano já antipatiza com beltrano. Então acho mesmo sadio socializar sim e fazer amizade, depois do horário de estudo para fortalecer os laços e não para criticar pelas costas de um e outro.

Eu, você, nós e todos sempre cometemos a gafe da fofoca e é impossível não haver, pois nós somos cheios de opinião e de convicção e mesmo mentalmente acabamos por julgar os outros. Pensemos na diversidade e iremos perdoar aqueles que julgamos, pois assim estamos perdoando o agente julgador, ou seja, a nós mesmos. É a prática espiritual mais difícil e mais teorizada.


O SABE TUDO

Muitas vezes aprece um “sabe tudo” ou como brinco, um “sabidão”. hajam com carinho e paciência e usufruam de todo conhecimento útil dele com sabedoria. Sejam como eu, sugadores éticos de conhecimento e aprendam com os livros, os cursos e com as pessoas. O problema é quando essas pessoas acham que não podem aprender mais nada e então criam constrangimentos diversos ao grupo. Nesses casos, deve ser feita uma admoestação elegante e respeitosa, talvez até de forma discreta. Assim, se a pessoa se sentir sensibilizada demais com uma admoestação sadia, então o problema é dela, já se tornou um caso de ego exacerbado.

Recordo a você leitor que todos temos um ego exacerbado, mas administramos a manifestação dele com a máscara social. Quando o indivíduo não consegue sequer se controlar pela máscara, então que fique fora.

E sobre a admoestação, é o que fazem os amparadores a seus médiuns e projetores astrais conscientes, sempre de forma carinhosa e respeitosa. Uma advertência não pode ser efetuada com raiva, indignação ou emoção, mas com serenidade, então é chamada de admoestação. Sejamos amparadores e não obsessores.


O TEORICÃO x O PRATICÃO

Isto é perfeitamente normal, sempre termos pessoas com mais facilidade na teoria e outros na prática. Os verdadeiramente espertos tetam aprender e abrir a mente em seus pontos fracos e observar os de situação oposta. O teórico deve aprender com prático e vice-versa, pois ninguém sabe tudo e todos sabem bem em algum campo e não sabem nada noutros campos da vida, do trabalho, da profissão e da espiritualidade. Portanto, modéstia lúcida é sinal de maturidade com paciência estendida.


HIERARQUIA E MEDALHAS

As vezes temos aquele prático cheio de si, o parapsíquico ostensivo ou o teórico que vai fundo nas definições, conceitos e termos. Então, que sejam administrados até um ponto prático. Muitos práticos são úteis aos trabalhos energéticos do grupo, mas que não sejam aceitos comportamentos arrogantes ou de superioridade. Conheço ao menos três parapsíquicos que se acham superiores a todo mundo por isto e chegam a tratar com desdém as pessoas, embora sejam fraquíssimos ou mesmo primários em outras questões básicas.

Aproveito para dizer que parapsiquismo, mediunidade, projeção consciente, clarividência e etc, não significam inteligência evolutiva, muitas vezes até ao contrário, são verdadeiros “burros” evolutivos. Todos estes dons são apenas ferramentas evolutivas que podem ser bem ou mal utilizadas e não significam virtude. O problema das pessoas é que se impressionam demais com os aspectos fenomênicos PSI humanos e são cegos para a sabedoria consciencial, esta sim, inteligência evolutiva, e sim, superior.

Havia um líder que dizia: “mais vale um prático que dez teóricos”. Eu digo que sim, concordo, mas mais vale um que tem um pouco de ambos – teoria e prática – em equilíbrio e sabedoria, do que dez práticos ostensivos. Então há pessoas inseguras e carentes que são parapsíquicos e tentam se valorizar, compensar sua baixa autoestima se considerando uma “casta” superior por conta desse dom tão ilusório.


NOSSOS LIVROS

Infelizmente não temos como doar e nem fazer descontos, nem mesmo em venda no atacado.

Estamos com dificuldades de imprimir devido aos altos custos das gráficas, que tornam impossível as pequenas editoras e autores independentes a produzirem e comercializarem seus livros.