O QUE SÃO PRÁTICAS BIOENERGÉTICAS OU ENERGÉTICAS

O QUE SÃO PRÁTICAS BIOENERGÉTICAS OU ENERGÉTICAS

Sinônimos: práticas energéticas, práticas bioenergéticas, prática bioenergética quântica, práticas bio-energéticas, práticas conscienciais, práticas com os chacras, práticas com os chakras, prática com a aura, limpeza da aura, limpeza da energias, mobilização básica de energias, MBE, M.B.E., circulação de energias, circulação de bioenergias, trabalhar as energias, impulsionar as bioenergias com a vontade, autoconsciência energética, autoconsciência bioenergética, prática consciencial, etc.

O que não é: visualização, visualização criativa, meditação, reflexão, estado alfa, estado alpha, oração, prece, reza, mantra, cântico, louvor, relaxamento, imaginação, viagem astral, viagem da alma, viagem mental, viagem espiritual, viagem consciencial, projeção astral, estado alterado da consciência, estado modificado da consciência e afins.

Com que pode se confundir: se mistura com a concentração, pois exige foco para lidar com a própria força de vontade. Se mistura com meditação guiada, embora não o seja, pois esta lida com imaginação e a prática bioenergética também pode ser guiada.

Característica principal: foco, concentração e força de vontade.

NOTA IMPORTANTE: não deixe de ler este artigo aqui para discernir o que é e o que não é mais claramente.

O QUE SÃO PRÁTICAS BIOENERGÉTICAS OU ENERGÉTICAS

Até bem poucos anos atrás, falar em meditação e bioenergias era tido como coisa de místico, pelos céticos “espertos”. Após 25 anos ou mais que a meditação veio do oriente para o ocidente, inúmeras pesquisas científicas sérias comprovaram repetida e cansativamente seus benefícios, muito além do misticismo e devoção religiosas. O mesmo aconteceu com as bioenergias. No início era comum ouvirmos deboches pelo céticos “conscientes”: “As energias não estão boas”…

A atualmente a acupuntura, os pontos bioenergéticos e os nádis, são reconhecidos pela medicina de vanguarda. Estes pontos chamam-se chacras e são utilizados não somente pela acupuntura, mas por vários tipos de massagens, cujos benefícios são inegáveis e comprovados.

Os chineses já sabiam disso há milhares de anos e os hinduístas também, mas no ocidente tudo têm que ser comprovado cientificamente. O cientista japonês Masaro Emoto, utilizando fotos dos cristais de água deu uma nova perspectiva científica quanto à real influência das bioenergias humanas.

A literatura diverge quanto ao número de chacras (pontos energéticos) no corpo humano, alguns dizem 88.000, outros 75.000, e ainda 250.000, etc., mas sabemos com certeza que existem sete chacras maiores principais, e segundo o famoso psicólogo Carl Gustav Jung, não são apenas chacras, mas centros de consciência. As pessoas mais densas, rudes e animalizadas possuem a consciência focada nos centros inferiores, e as mais espiritualizadas e sutis, nos centros superiores. Quanto mais espiritualizado for o indivíduo, mais consciência tem de seus chacras e sabe utilizá-los com desenvoltura e sabedoria.

Diversas escolas e linhas de pensamento falam sobre experiências fora do corpo, corpos sutis, cordão de prata, amparadores, mentores, magos negros e chacras, mas muito poucas ensinam o estudante a trabalhar e desenvolver os seus de forma sadia e independente.

Pensando nisto estamos desenvolvendo uma série de obras sadias para conscientizar as pessoas das bioenergias, chacras, aura, karmas e dharmas. As pessoas possuem imensa dificuldade de visualizar e de se concentrar no que não vê, então fizemos um CD multimídia (para computador) cujas práticas são passadas como filmes coloridos (animações gráficas), didáticos e bem ilustrados. Sonorizadas ao fundo, o interessado vê os chacras, as cores, as energias, os amparadores, os cenários e os mantras em sincronismo seqüenciado. Além das imagens dinâmicas como filme, há textos explicativos concomitantes.

A prática se desenvolve ao lado do texto, para que a pessoa tenha uma visão associada e de conjunto. Com isto esperamos poder contribuir com os professores que queiram demonstrar o CD em suas turmas utilizando projetores multimídia e para com os alunos que desejam praticar sozinhos em seus lares. Fomos pioneiros a nível mundial neste trabalho e desconhecemos qualquer outra fonte que já tenha desenvolvido algo similar.

Agradecemos imensamente o apoio espiritual e dos Amigos de Ramatís que nos inspiraram nesta modesta empreitada.

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.---- "Se você não quer ser criticado, pelo amor de Deus, não crie nada novo./ A única maneira de pensar fora da caixa é inventar um jeito de sair dela./ Se você quer inovar, deve estar disposto a ser incompreendido./ O fracasso e a inovação são inseparáveis." - Pensamentos de Jeff Bezoz CEO da Amazon internacional

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)