O IRRACIONAL, O RACIONAL E O TRANSRACIONAL

O IRRACIONAL, O RACIONAL E O TRANSRACIONAL

Chamar alguém de irracional geralmente soa como um comentário pejorativo, o mesmo que chamar uma pessoa de burra, que não sabe pensar direito. Entretanto, sob o ponto de vista técnico-consciencial, somos todos irracionais e, ao mesmo tempo, racionais.

O animal não pensa como os seres humanos: age apenas por instinto, em uma reação irracional – ímpeto forte e fundamental à evolução (mais que a lógica acadêmica ou os bons modos ante as etiquetas sociais).

É a cobra que dá o bote quando se sente ameaçada. O ser humano que grita quando coloca a mão na chapa quente. O grito a que todos estamos sujeitos (tal qual a cobra está sujeita a dar o bote) não tem nada de racional – portanto, somos todos irracionais também.

A racionalidade pode receber vários atributos e/ou definições. A nossa forma de encará-la vem dos condicionamentos criados pela lógica acadêmica (os cânones da ciência), bem como pelas normas estabelecidas pelo Estado e pelos ambientes social, profissional e familiar, de onde surgem os alicerces da máscara do ego (segundo o espiritualismo) ou as amarras criadas pelo superego (conforme a Psicologia). É o caldo cultural a que somos expostos a cada reencarnação, a representar a mentalidade e os valores (paradigmáticos e relativos) próprios da sociedade de uma determinada época e território.

Em suma, somos todos irracionais também e, às vezes, estupidamente ou linearmente racionais – sob o prisma evolutivo, o comportamento racional pode ser até inferior a um comportamento irracional (compare a violência humana concebida por estrategistas militares e líderes políticos na Segunda Guerra Mundial com as lutas pela sobrevivência entre os animais de uma selva ou savana).

O comportamento irracional estaria adstrito ao cérebro primário (primeiro cérebro), situado logo abaixo do córtex cerebral. Primário aqui não tem sentido de atrasado e sim de antigo. Já o racional, estaria restringido ao neocórtex, o cérebro mais recente da evolução biológica humana.

Em que contexto entra o transracional?

Bem perto das teorias da memória extracerebral. A telepatia e a intuição, por exemplo, são eventos transracionais.

Poderiam ser chamados também de supra-racionais.

Quaisquer eventos que lidam com informações de forma não-material ou não-cartesiana (transcendental) podem receber o nome de transracionais. Qualquer forma de veicular informações pelos canais transracionais será sempre mais veloz que aquela dos canais racionais. O canal racional é o mais lento e linear de todos. Mais lento que o bote de uma cobra, mais lento que o grito humano de quem põe a mão em chapa quente.

O racional, se servir de esteio para uma visão de mundo estreita e fundamentalista, pode ser, inclusive, o mais estúpido de todos os tipos de comportamento, mesmo que aparentemente legitimado pelo manto do discurso científico.

Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

Gostou desse conteúdo? Queremos saber sua opinião, responda a pesquisa a seguir e deixe seu comentário logo abaixo.
E vote nas estrelinhas bem ao fim.

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)