SEUS PONTOS FRACOS

SEUS PONTOS FRACOS

Você tem medo de se arriscar em novas experiências pessoais ou profissionais?

Busca sempre a perfeição, mas é o fracasso que ronda seus projetos?

Até que ponto o julgamento dos outros influencia sua vida?

Você é capaz de dizer não sem constrangimento de magoar alguém?

Seus desejos e fantasias provocam algum sentimento de culpa?

Sua aparência, inteligência ou desempenho profissional são fonte de preocupação?

Se você reconhece nessas perguntas alguns dos medos e inquietações que afligem seu cotidiano, saiba que sentimentos como a insegurança e a ansiedade acabam limitando sua capacidade de realização e seu potencial para a felicidade.  Transpor essas barreiras, porém, está ao alcance de todos, e a receita é das mais simples: encarar os obstáculos do dia a dia com paixão e determinação.

 Se pudéssemos simplesmente olhar para um ponto fraco e dizer adeus para ele seria maravilhoso. Reconhecer os defeitos não nos faz uma pessoa com autoconhecimento, mas é o início da caminhada.

Embora seja uma tarefa difícil no qual temos que lidar com nossa autossabotagem, o autoconhecimento é o melhor empreendimento que uma pessoa pode fazer na sua vida.

Você ouvirá e compreenderá exatamente o que quiser ouvir, em função de seus valores, convicções, preconceitos, história pessoal.  O comportamento de autodestruição e as maneiras de superá-lo constituem assuntos difíceis de abordar.

Muitas pessoas esboçam o desejo de se melhorar como pessoa, mas fica só no desejo, a ação não é feita.  Temos muitas vozinhas dentro de nós que nos impede de sair do lugar comum, nos impede de seguir nessa jornada.

É difícil mudar.  Se você for como a maioria das pessoas, cada fibra sua reagirá contra a dura tarefa de eliminar os pensamentos que servem de base a seus sentimentos e comportamento autoenganadores.

Examinar os pontos fracos, acolhê-los e buscar a transformação requer compromisso, dedicação, responsabilidade e coragem.

Coragem para fuçar e tirar de debaixo do tapete esse pó que se acumula e que só faz as energias ficarem estagnadas. Responsabilidade de não transferir para o outro aquilo que só você é capaz de fazer: a mudança interna.  Compromisso com sua evolução pessoal e dedicação para manter-se firme no propósito de mudar.

Se você controla seus pensamentos e os sentimentos vêm dos pensamentos, então você pode controlar seus sentimentos […].  Trocando em miúdos você acredita que as coisas ou as pessoas é o que o tornam infeliz, mas isso não é verdade – é você que se faz infeliz, por causa dos pensamentos que tem a respeito das pessoas ou coisas que fazem parte da sua vida.  Tornar-se livre e saudável inclui a necessidade de aprender a pensar de modo diferente.

Pensar diferente significa mudar de perspectiva, mudar o ângulo, enxergar além do que se vê. Abrir mão de ideias, valores e condutas arraigadas.

Aceitar-se a si mesmo com base no que você julga acertado é algo que você pode decidir imediatamente.  O aperfeiçoamento dos aspectos que, em sua opinião, não satisfazem esses padrões pode constituir tarefa sumamente agradável e não há razão para sentir-se desprezível somente porque há determinados aspectos a serem aperfeiçoados em você.

O não gostar de si mesmo pode assumir muitas formas, eis algumas:

  • Dar créditos aos outros quando cabe a você.
  • Submeter suas opiniões aos outros.
  • Evitar caprichos como flores, vinhos […]

São detalhes que muitas vezes não percebemos, mas juntando esses e outros, a lista fica grande.

Abrir sua mente a novas experiências quer dizer desistir da noção de que é melhor tolerar alguma familiar do que se esforçar para modifica-los, porque a mudança é carregada de incerteza.

Esse livro mostra que dá sim para sair do papel de vítima e coitadinho e melhorar sua autoestima. Se você não se ajudar e não tomar qualquer iniciativa para melhorar sua situação, ninguém vai fazer por você.

A mudança exige sair do lugar comum, deixar a rigidez para assumir a flexibilidade.

Podemos escolher viver uma vida seguindo os mesmos padrões, sem questioná-los ou abrir a cortina, nem que seja uma fresta para começar, e ver um mundo de possibilidades, ideias, ferramentas, pessoas, recursos para seguir por outro caminho.

 

Se você acha que esse texto pode ajudar, então compartilha.

Até a próxima!

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Andréa Lúcia - Leitora voraz, escritora, professora, e pesquisadora das áreas de espiritualidade, autoconhecimento e desenvolvimento pessoal. Terapeuta holística (fitoenergética, cromoterapia, radiestesia, terapia com cristais, psicossomática) e coaching. Sigo tentando aplicar na minha vida o que pesquiso e estudo. O autoconhecimento não está em chegar a algum ponto e sim apreciar o que o caminho nos proporciona.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)