SINERGIA DE AMOR

SINERGIA DE AMOR

Te amo!

Você é meu mundo e minha vida.

Sem você minha vida se torna medíocre e desaba.

Perdoe-me por meus erros.

Você é muito mais evoluída e melhor que eu em todos os aspectos.

Eu sou meio e você é um, e na sinergia de um casal que soma 1/2 + 1 = 4, em que você é a maior parte.

 

Eu fui amadurecendo e aprendendo e cada vez mais me autoconhecendo.

Minha vida é uma bênção, eu amo viver e sou grato ao Todo, mas muito mais grato por estar a seu lado.

 

Minha única amargura vem de meu autoconhecimento.

Se conhecer é levar soco na cara, faca no peito, se sentir humilhado e tolo…

 

Não estou falando de psicanálise ou de psicologia, mas de profundo, visceral e despudorado autoconhecimento consciencial.

 

Já morreram os dias em que me achava evoluído…

Já passaram os tempos em que me achava espiritualizado…

Já passou a época que eu achei que sabia alguma coisa…

 

Hoje, algum autoconhecimento que tenho me devassa, me corta e me rasga a mente, coração, alma e consciência.

 

Sabe, sou um homem bem fora dos estereótipos sociais.

Eu me emociono com facilidade,

Eu escrevo poesias,

Eu adoro discutir a relação,

Não gosto de futebol e nem de beber.

Ainda acredito que a única causa de existir é aprender o amor pelos caminhos do servir, independente de minha lista de defeitos.

 

Às vezes olho em volta e me sinto medíocre.

Tem horas que me sinto um grande nada.

É o holopensene[1] do padrão social estremecendo minha autoestima ainda não tão convicta.

 

O brilho instável de minha aura diminuiu.

Autoconhecimento faz isto com a gente.

Você vê a própria luz ou a falta dela.

 

O ego falso e vaidoso do brilho artificial foi substituído por um brilho opaco, mais firme e mais sincero, daquele que se expõe e não se mascara mais, assumindo o simples.

 

Eu prefiro o silêncio que as festas ruidosas,

Eu prefiro a solitude contemplativa que as multidões,

Eu prefiro meus chinelos e bermudas que os Shoppings,

Eu prefiro você que a mim mesmo…

 

Mas prefiro muito mais ser eu em “nós dois” e sentir você também em “nós dois”.

 

Sabe, eu nunca te dei flores…

Naquela época o “ser superior conscienciológico” não permitia.

Era piegas, era “coisa de psicossoma[2]“…

 

Mas por outro lado sempre achei as flores tão efêmeras por mais energias boas de amor que elas veiculassem.

 

Então eu resolvi te escrever minhas declarações de amor e espalhá-las aos quatro ventos e gritar: EU TE AMO!

Talvez eu continue a não lhe dar flores, mas também prometo a escrever o que me vier à cabeça quando meu coração falar e gritar, por mais simples que pareça, e ser sempre sincero e espontâneo como estou sendo agora.

 

O único dharma de um homem é vencer a si mesmo,

O resto é consequência.

 

Te amo Andréa, muito mesmo.

Paz, Amor e Luz.

E que todos os Anjos de Deus e os bons espíritos nos abençoem.

 

Do seu, sempre seu,

Pequeno Tio Dalton

[1] Conjunto de formas pensamento.

[2] Expressão utilizada por pessoas arrogantes e patológicas, que possuem baixo QE – Inteligência Emocional e consequente baixo QS – Quociente Espiritual ou Inteligência Evolutiva.

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)