A VIDA QUE LIBERTA

A VIDA QUE LIBERTA

Por Espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo

 

Quando o mal aperta, a dor refresca a memória deslocada de um passado obscuro, perdido nos inconscientes humanos.

O sofrimento vem abrupto ou de mansinho e envolve o ser que antes sorria desavisado numa vida de valores amorais.

 

A dor não perdoa feios, nem bonitos, ricos e nem pobres, intelectuais ou ignorantes, teóricos ou sábios, novos ou velhos…

 

É a interseção das retificações em função do passado com as burilações aperfeiçoadoras do presente.

São como ondas de uma forte corredeira levando um pequeno bote que é uma alma humana.

Não adianta remar para andar para trás, pois a correnteza é muito forte e ainda piora o rumo, descontrolando o bote.

O correto é remar a favor da correnteza e firmar o rumo certo da evolução.

 

Tem-se medo da vida assim como o remador tem medo das ondas.

Ele não sabe o que o espera após a curvatura do horizonte e nós não sabemos do dia de amanhã.

Portanto, vamos remar correto hoje, agora e sempre, para que o bote de nossas vidas estejam na posição certa, para evitar que alguma onda nos vire.

 

Muitos se afogam nas diversas formas de autossacrifício existencial, se metendo com drogas, más companhias, promiscuidades sexuais, negociatas desonestas, levando vantagens antiéticas e com muitas outras atitudes “suicidas”.

 

Olhe a sua volta agora e veja a dor batendo a porta na vida das pessoas!

É o carma!

Ele é um professor que não perdoa!

 

Não adianta se esconder da didática do criador.

Mudamos de corpo, de vida, de época, de lugar e as vezes até de família, mas as dívidas estão registradas na ficha de sua consciência.

 

Não deixe o correto para amanhã, pois poderá ser tarde demais.

O carma bate forte e nos exige uma humildade infinita.

Quantos sábios avatares, através dos tempos, já não visitaram a Terra?

O bem está registrado em tantos livros e outras formas de comunicação.

Quem poderá dizer que não sabe?

 

Quando o ser humano vira as costas para o remédio do bem, não poderá reclamar que adoeceu do carma.

Escolha: viva a vida que liberta ou a vida que escraviza.

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.---- "Se você não quer ser criticado, pelo amor de Deus, não crie nada novo./ A única maneira de pensar fora da caixa é inventar um jeito de sair dela./ Se você quer inovar, deve estar disposto a ser incompreendido./ O fracasso e a inovação são inseparáveis." - Pensamentos de Jeff Bezoz CEO da Amazon internacional

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)