TEMPOS DE ESPERANÇA

TEMPOS DE ESPERANÇA

Meus amigos que permeiam a morada na carne, novos tempos estão por vir. É hora de renovar as esperanças com fé no amor e em novas épocas que estão a surgir.

Este foi e está sendo um ano de sérias e profundas transformações conscienciais. Estas transformações poderão estar travestidas de sucesso ou de dor, mas são transformações profundas a fim de sensibilizar seus corações.

O amor existe e é fato contundente em nossas almas. Ele é factível e está mais próximo do que vocês podem perceber. É preciso renovar as esperanças, mirar o horizonte para elevar o padrão dos pensamentos a fim de acelerar a aproximação deste tempo de bem-aventurança.

É preciso paciência e fé. Não uma fé cega, doutrinária ou dogmática, mas uma fé na sabedoria do Criador, fé no amor e em si próprio. É necessário acreditar no bem e no conforto da alma, se desapegando dos eventos terrenos. As coisas que os fazem sofrer são tão pequenas.

Não choreis o ente amado que se foi. Ele está vivo, se libertou e anseia ao bailado junto aos amigos astrais. Um dia chegará a sua hora e no momento de partir verá que o corpo é só um mecanismo efêmero, não existe morte.

Tudo é vida, o nascimento é vida e a “morte” é vida. São ciclos de transformações.

Suportai com paciência e carinho a doença depuradora que corrói a sua carne em evento sublime para retificação da alma. Ainda não tens lucidez para compreender que as dores são necessárias para elevação do nível de consciência.

A carne e a matéria são fugazes e meros instrumentos descartáveis para dinamizar sua lucidez consciencial. A dor da vida em seus atritos terrenos é como um parto em que a humilde mãe sofre para dar à luz seu bebê e logo então em vista do novo ser que reencarna, a mãe sorri feliz, esquecendo-se da dor imediatamente.

Existe amor em cada grão, em cada gota de chuva, em cada esquina e em cada passo da vida. O mal não é nada mais senão a ignorância e leviandade humanas sendo trabalhadas nos canais da consciência cósmica por seres mais elevados.

Ninguém, absolutamente ninguém está abandonado. Os melhores seres espirituais estão em volta e têm o domínio absoluto de tudo e de todos os eventos.

O que falta às pessoas é a percepção sábia e amorosa no plano espiritual. As religiões populares e a vulgar fé em Deus não se prestam a nada e são apenas rótulos cotidianos e encontros sociais. Não adianta se apegar a religião como fuga por conter carências em outras áreas, isto gera um desequilíbrio fundamentalista que só faz sofrer.

Falta humildade nas pessoas e há um excesso de arrogância independente do nicho consciencial onde se encontram.

O amor que anestesia os sofrimentos é factível já, mas a falta de humildade e boa vontade impedem a abertura destes profundos canais energéticos em suas consciências.

Enquanto não trabalharem estes canais de conexão consciencial terão de sofrer por tempo indeterminado, pois estas são as leis de evolução pautada na sabedoria infinita e incognoscível do Criador.

Não estou falando de intelectualidade ou frio parapsiquismo, estes canais transcendem a este cientificismo periférico e fugaz. É preciso trabalhar e abrir a alma de dentro para fora com vontade inquebrantável e vulcânica.

Os poucos que estão trabalhando estes canais profundos e complexos estão transformando seu carma negativo em amor e felicidade e estão permeados pelo dinamismo evolutivo.

Os seres das esferas superiores não querem impor nada e respeitam o seu momento evolutivo. Eles trabalham com amor incondicional e justo em cada plano deste orbe atuando e intuindo nas consciências abertas e susceptíveis às suas ideias de amor.

Ninguém está dizendo que é fácil, mas é factível.

O pior é não tentar e se estagnar no sofrimento e se assim se encontra, porque não sofrer para uma transformação para melhor?

Pobres são as pessoas sem esperanças, pois não acreditam no amor!

São almas secas e vidas vazias.

Estes viverão buscando e sofrendo pelos valores da matéria, fechando cada vez mais seus canais conscienciais.

Não podemos fazer nada sozinhos.

Precisamos de tarefeiros espirituais do bem para se fazerem de ponte para nossas ideias pautadas num real e prático modo de viver. É preciso praticar responsavelmente o que se fala e se escreve.

Um exemplo vale mais que mil imagens e que dez mil palavras.

Não podemos só consolar. É preciso mobilizar duros “puxões de orelhas” conscienciais em todos os humanos e principalmente nestes tarefeiros do bem que se encontram na linha de frente destes vulcânicos trabalhos de amor.

Estes sim, têm que ter uma humildade ainda maior e serem portadores de um amor corajoso que diz SIM e NÃO com respeito e carinho profundos aos seres que os rodeiam, resistindo bravamente para não se tornarem estrelas ou transformados em heróis.

Seu nome será: trabalho, trabalho e trabalho sem recompensas terrenas. Muitos investirão egoicamente contra estes que não serão bem vistos aos olhos dos homens de má-fé, mas os “olhos do céu” os estarão apoiando 24 horas por dia em suas empreitadas conscienciais.

A estes jamais faltará o sustento e o pão nosso de cada dia a alimentá-los e a suas famílias, pois o zelo do alto será multiplicado a tão precioso trabalho.

Precisamos de vocês, ajudem-nos a ajudá-los.

Ramatís – Curitiba, 13/11/2003 –

Gostou desse artigo?  Então compartilhe, alguém pode estar precisando desse esclarecimento.

Ah, deixe seu comentário, isso pode me ajudar a criar outros conteúdos.

Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

Gostou desse conteúdo? Queremos saber sua opinião, deixe seu comentário logo abaixo.

Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.---- "Desvio-me daquilo que não posso aperfeiçoar e me aproximo daquilo que posso. Se não tenho condições de curar meu corpo, tenho condições de curar minha mente e, assim, me libertar para tomar decisões sensatas. Eu escolho o que me preocupa. O pensamento pode ser dirigido tanto para o caos quanto para a quietude. Posso optar por não esboçar infinitamente as “causas” das minhas dificuldades e projetar, no futuro, as suas limitações e agonias. Se não posso evitar que certas pessoas me condenem, posso parar de analisar seus motivos e deixar de defender meus atos. Não importa de quais aspectos eu não goste ou tenha medo, posso interromper minhas desgastantes tentativas de torná-los perfeitos." Hugh Prather - A Arte da Serenidade

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)