SÍNDROMES EVOLUTIVAS

SÍNDROMES EVOLUTIVAS

Sinônimos: Síndromes Evolutivas, patologias conscienciais, patologias espirituais, fugas conscienciais inconscientes.

Mimese: substantivo feminino;

  1. figura em que o orador imita outrem, na voz, estilo ou gestos, em discurso direto.
  2. recriação da realidade na obra literária.

O sentido que utilizamos a expressão “MIMESE” aqui é uma “imitação de si mesmo”, ou seja, repetição de atitudes de encarnações passadas.

E o contrário, ANTIMIMESE, também refere a atitude de vidas passadas, mas de forma simétrica.

***

Existem dois erros evolutivos graves: as mimeses e as antimimeses. As mimeses são repetições dos erros efetuados nas encarnações passadas, algo bem comum, mas essa interpretação pode ter desdobramentos que veremos depois.

A antimimese é o extremismo antagônico, diante do erro efetuado em vida passada, que leva ao extremo oposto no presente. É o paradoxo da lucidez. Lúcido do erro que cometeu em vida passada, e desesperado para não repeti-lo, inclina-se a pessoa para o extremo oposto, cometendo um erro novo e grave em sentido contrário; e se efetuado com extremismo, pode se manifestar com radicalismo.

A lucidez relativa e suficiente de perceber o erro passado não é suficiente para perceber o novo erro presente, tornando a repeti-lo por meio de atitudes radicalmente opostas.

Há várias síndromes evolutivas comuns:

1. Sentimento de Estrangeiro ou Síndrome do Estrangeiro;
2. Síndrome da Repetição ou Mimese;
3. Síndrome da Antimimese ou Extremismo do Contrário;
4. Síndrome de Swedenborg, o desvio da programação existencial (dharma) no fim do curso da vida;
5. Síndrome do Descaso Evolutivo;
6. Síndrome do Atacadismo Consciencial;
7. Síndrome da Salvação;
8. Síndrome do Evoluído;
9. Síndrome do Fundamentalismo.

A seguir iremos explicar melhor cada uma.

1. Síndrome do Estrangeiro ou Sentimento de Estrangeiro

São pessoas que encarnaram com bagagem de um bom curso intermissivo, mas possuem imaturidades marcantes em diversas facetas de sua personalidade.

Apresentam muitos pontos positivos e podem melhorar bastante numa vida. São inadequados em grande período da vida ou em toda ela, apesar de mostrarem talentos e bons traços de caráter e inteligência. Possuem traços de ingenuidade, apesar da excelente bagagem espiritual e forte intelectualidade.

A característica dessa síndrome é que parcela expressiva das pessoas que são “espiritualistas” (não espiritualizadas) tentam se encaixar à força nela, pois a maioria das pessoas possui algum tipo de inadequação e insegurança, mas isso é normal e natural em 99% das pessoas. Já escrevemos um artigo específico sobre esta síndrome no site www.consciencial.org.

2. Síndrome da Mimese ou Síndrome da Repetição

Quando repetimos um acerto de vida passada, chama-se “acerto”, mas quando repetimos um erro, chama-se “mimese”. Repetir o acerto é denominado continuísmo consciencial, ou seja, uma continuação de um trabalho social/espiritual/consciencial que dinamiza a própria evolução espiritual.

Se fizermos uma análise reencarnatória, a rigor tudo será sempre continuísmo, seja piorando, seja melhorando consciencialmente, pois nós somos e seremos sempre nós mesmos, e tudo, quando não for a semântica, será a interpretação que se dá aos conceitos que se propõem.

O que escrevo aqui são apenas conceitos sob minha interpretação. Peço que o leitor não leve o texto ao rigor absoluto da letra, mas como ideia geral bem flexível.

3. Síndrome da Antimimese ou Extremismo do Contrário

É um pavor criado, oriundo de um trauma extrafísico, num desencarne qualquer, óbvio, em vida anterior. A pessoa leva uma vida correta seguindo o plano de seu curso intermissivo[1] muito bem. Depois de seguir um bom percurso, ela de desvia ou desiste por qualquer motivo, o que não vem ao caso agora, e perde um bom trabalho que realizou. [1] Temos outro artigo explicando em detalhes o que é curso intermissivo, no mesmo site citado.

A pessoa desencarna e quando vai analisar seus resultados no extrafísico (plano astral) fica chocada e aborrecida (trauma). E ela promete a si mesma não repetir o erro nas próximas vidas e introjeta isso com tanta força que, ao reencarnar, radicaliza essa emoção e age ao contrário ao erro da vida anterior, radicalizando em seus pensamentos e ações. Um exemplo, grosso modo, desse comportamento seria uma pessoa que se desviou da ciência para a religião numa vida e na seguinte radicaliza suas posições no sentido da ciência.

A antimimese, sob visão de duas vidas, pode ser simplificado assim: numa vida, o início num bom caminho e o desvio ao final; na vida seguinte, o início no bom caminho e o desvio ao final, mas em posições opostas.

4. Síndrome de Swedenborg

Emanuel Swedenborg (1688-1772) foi um grande cientista de seu tempo, o mais erudito entre seus contemporâneos. Desenvolveu muitos estudos e ideias sofisticadas para sua época. Aos 55 anos de idade, teve um momento de clarividência mais intensa e a partir dessa época voltou-se ao dogmatismo religioso.

O que aconteceu com Swedenborg foi um desvio violento de sua programação existencial, após aproximadamente dois terços de sua vida. Portanto, essa expressão só pode ser aplicada nos casos de tarefeiros que trocam suas tarefas de esclarecimento por tarefas de consolação, ou simplesmente as abandonam.

Aos tarefeiros que programaram para sua encarnação tarefas de consolação e as abandonaram não se aplica a presente expressão.

5. Síndrome do Descaso Evolutivo

Aqui se enquadra a maioria esmagadora da humanidade. Entram majoritariamente os antiéticos, sejam céticos, sejam materialistas, sejam espiritualistas. Qualquer um que seja predominantemente antiético. O típico sujeito que deseja levar vantagem em tudo. E também os que vivem uma vida fútil e vazia de princípios e valores humanos.

6. Síndrome do Atacadismo Consciencial

É o fato que surge em movimentos metafísicos – qualquer um que não seja materialista ou cético – estruturas grandes, como forma de se propagarem suas “verdades” e crenças ao maior número de pessoas de forma empresarial, organizada, hierarquizada e em forma semelhante a franquias modeladoras – no caso em estudo, franquias conscienciais.

Um líder gera um movimento que cresce, que se empolga, e se deslumbra, muitas vezes, ao criar uma industrialização, que empacota suas ideias, que antes eram originais e livres, e as reduzem a definições pequenas, conceitos reduzidos, perdendo conteúdo e qualidade. É bom lembrarmos uma lei bioenergética que diz: “Uma multidão se nivela por baixo e um grupo evolutivo se nivela pela média baixa.”

Quanto maior o atacadismo, mais baixa será a qualidade consciencial do produto final. Às vezes o custo-benefício evolutivo de um atacadismo consciencial é pior que um trabalho focado num grupo menor e de maior qualidade. Nestes casos, quanto maior a quantidade, menor a qualidade.

7. Síndrome da Salvação

A Síndrome da Salvação é a febre manipuladora de movimentos dogmáticos proselitistas e absolutistas. Incluem-se aqui também os movimentos que acreditam na reencarnação. Há dogmas oficiais e assumidos, mas há dogmas velados e dissimulados em movimentos que adoram certos ícones e não admitem nada fora de suas obras. A maioria da humanidade está inserida aqui.

8. Síndrome do Evoluído

A Síndrome do Evoluído é mais comum em movimentos mais esclarecidos e intelectualizados. Esses movimentos se caracterizam por possuírem um poderoso acervo dos artefatos do saber. Orgulham-se disso, envaidecem-se, não praticam as virtudes da alma, crendo-se superiores aos demais, que desdenham. Seus adeptos caem na distorção da realidade, própria dessa síndrome.

Com advento da internet e da New Age cheia de milagreiros, concorrentes entre si, esta síndrome está se desdobrando em nomes novos (p. ex.: coisas quânticas, coisas angélicas, celestiais, cósmicas, estelares, coisas cheias de mestres estelares, anjos e arcanjos, etc), com objetivo de marketing e web marketing, a fim de angariar fiéis, clientes, voluntários, consultantes, para diversas linhas de tratamento holísticos / alternativos, muitas vezes apenas para subsidiar um status quo de espiritualista / terapeuta mais evoluído que o “concorrente”, cujos inventam cada vez mais nomes esdrúxulos de tratamento e terapia transformando o universos espiritualista – que já era relativo, abstrato e intuitivo – em um verdeiro circo de delírios, fantasias e desinformação. Aqui o pobre público ingênuo, susceptível, fácil de ser induzido, hipnotizado e manipulado por esses ardis de pessoas sem ética e sem cosmoética, procurando rebanhos para venderem a “salvação”, a “ascensão”, e “iniciação” e correlatos alimentando a ilusão da preguiça mental e bioenergética,

9. Síndrome do Fundamentalismo

Quando a Síndrome da Salvação é praticada por pessoas extremistas, estes a transformam num movimento fundamentalista de diversos graus de ódio e destruição.

Conclusão

As síndromes não são estanques, não são absolutas. Cada grupo ou pessoa pode possuir várias delas em diversos graus. Elas se interpermeiam, gerando características bem peculiares e específicas. São hipóteses conscienciais de trabalho a serem mais estudadas e desenvolvidas com o tempo.

Dalton Campos Roque

Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

Ah, deixe seu comentário, isso pode me ajudar a criar outros conteúdos.
E vote nas estrelinhas bem ao fim.

síndromes, síndromes evolutivas, espiritualistas, conscienciais, patologias, distorções, ego, status quo,

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.---- "Desvio-me daquilo que não posso aperfeiçoar e me aproximo daquilo que posso. Se não tenho condições de curar meu corpo, tenho condições de curar minha mente e, assim, me libertar para tomar decisões sensatas. Eu escolho o que me preocupa. O pensamento pode ser dirigido tanto para o caos quanto para a quietude. Posso optar por não esboçar infinitamente as “causas” das minhas dificuldades e projetar, no futuro, as suas limitações e agonias. Se não posso evitar que certas pessoas me condenem, posso parar de analisar seus motivos e deixar de defender meus atos. Não importa de quais aspectos eu não goste ou tenha medo, posso interromper minhas desgastantes tentativas de torná-los perfeitos." Hugh Prather - A Arte da Serenidade

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)