SER FELIZ

SER FELIZ

Espírito Omraam Mikhaël Aïvanhov por Dalton em 03/10/2003

Cada dia é mais uma oportunidade de ser feliz. Já que não podemos mudar o ambiente externo, podemos mudar o interno. Ser feliz é possível, mas é preciso acreditar na felicidade e em seu poder pessoal de conquistá-la. Não podemos exigir nada de ninguém, nem do patrão, do colega de trabalho, do sócio, de um parente ou do governo. O mundo é o que é, em estado primitivo de evolução. Como os homens são rudes, devem procurar melhorar dentro de si mesmos e alimentar gratidão e amor. Sempre há alguém que sofre mais, e outros que são mais felizes. Temos nossos talentos e nossos defeitos e os outros também. O caminhar seria mais doce se aliviássemos nossos peitos com o perdão, a gratidão e a resignação espiritual, mesmo em atividade enérgica, positiva e proativa.

Se você acredita que não pode ser feliz, pois perdeu alguém querido, seja por morte ou afastamento, perdeu bens e faliu, ninguém conseguirá  convencê-lo do contrário. O estado de apego causa sofrimento, o desapego causa felicidade, e a dor é proporcional ao egoísmo de cada um. A felicidade é uma decisão interna, uma atitude íntima, um estado de conexão com Deus. O egoísmo é falta de compreensão e de discernimento e deve ser vencido através do autoconhecimento, das autoreflexões severas e da meditação regular e contínua. Essas disciplinas sadias levam o indivíduo a estados mentais mais susceptíveis de captar as verdades cósmicas e a aplicá-las no meio social, no trabalho e na família. A meditação é muito praticada pelos Budistas e pelas linhas Iogues, com um efeito rápido e notório, e equilibra o indivíduo dando-lhe uma visão mais serena da vida.

A maioria esmagadora das pessoas da Terra é carregada de medo e culpa e insegurança, e venho me perguntando: por quê? As pessoas que são felizes baseadas numa estrutura material, se esta for retirada, a felicidade acaba, e isso não é felicidade, é apenas estado físico e não estado de consciência. A felicidade é um estado de consciência que independe dos fatores sociais e externos. Quantos são felizes realmente? Se você perguntar a alguém, o que o faria feliz, ele talvez respondesse: uma casa, um carro, um amor, um trabalho, etc. Os valores estão invertidos, não é isso que causa a felicidade, essa sensação de felicidade é falsa, é efêmera, é material. O estado de ser feliz é interno e é a partir deste que se consegue conquistar os demais.

Não há mal nenhum em se desejar essas coisas, mas os valores estão invertidos. A prosperidade é sadia e abençoada e deve-se cultivar uma ambição positiva. A inversão de valores é tão grande, que, se dermos estas duas opções às pessoas, elas escolherão a pior:

 

  1. a) Ter muitas posses e bens e ser infeliz; ou
  2. b) Não ter quase nada e ser feliz.

 

É capaz de que a maioria das pessoas escolha a primeira, acreditando instintivamente que ainda seria a melhor.

A falta de sensibilidade, de perspicácia espiritual leva as pessoas a buscarem os objetivos errados. Elas mesmas são responsáveis por seus sofrimentos. Cada qual com sua lucidez, cada qual com suas escolhas.

Texto inspirado espiritualmente por Omraam Mikhaël Aïvanhov, em 3 de outubro de 2003.

 

Quem é o espírito Aïvanhov

Texto retirado integralmente do site www.ippb.org.br do Professor Wagner Borges, com sua permissão.

Omraam Mikhaël Aïvanhov (1900-1986) era búlgaro de nascimento, mas adotou, a partir de 1937, a França como seu lar. Era discípulo do mestre búlgaro Peter Deunov (1864-1944), que foi fundador da Fraternidade Branca Universal.

Aïvanhov levou para a França os ideais do mestre Deunov e, em 1943, fundou seu primeiro centro espiritual, na cidade de Sévres. A partir daí, começou a proferir palestras, que seus discípulos anotavam e gravavam para depois transcrever.

O resultado desses ensinamentos orais está hoje registrado em centenas de livros, publicados em várias línguas. Seu trabalho teve uma grande expansão de 1976 em diante, época em que a Editora Prosveta começou a divulgar seus livros em vários países.

O que mais chama a atenção no trabalho do mestre Aïvanhov é sua simplicidade na abordagem de temas espirituais, em que ele apresenta os exemplos e correlações mais simples para explicar as complexas questões da alma humana.

Ele era um exímio contador de histórias e dotado de um grande senso de humor. Por vezes, para dar uma pausa na palestra, ele interrompia o que estava falando e contava algumas anedotas para alegrar seus ouvintes. Todo seu trabalho estava direcionado para o alargamento da consciência humana em direção ao seu aperfeiçoamento. Em outras palavras, transformar o homem-animal no homem-espiritual.

Gostou desse artigo?  Então compartilhe, alguém pode estar precisando desse esclarecimento.

Ah, deixe seu comentário, isso pode me ajudar a criar outros conteúdos.

Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

Gostou desse conteúdo? Queremos saber sua opinião, deixe seu comentário logo abaixo.

Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)