FÉ CEGA x FÉ RACIOCINADA

FÉ CEGA x FÉ RACIOCINADA

Mas é bom lembrar que muito do resultado das pesquisas (senão ela inteira) foram obtidos através do exercício da fé cega. E agora?

 

Se até a fé cega funciona, fica a pergunta: será que a fé raciocinada funciona? Será que a fé (cega ou raciocinada – não importa) atuaram nos processo bioenergéticos de seus portadores auxiliando-os e curando-os? Se a fé afeta (e de fato sei que afeta) as bioenergias das pessoas, então não será inteligente começar a reconsiderá-la?

 

Discernimento não torce para time nenhum, apenas mantém a mente aberta para as possibilidades de descobrirmos outras e novas verdades.

 

Perguntas hipotéticas de trabalho diante dos fatos científicos apresentados:

 

  • Será que a “fé cega” é mais eficiente que a “fé raciocinada”?
  • Se é, então por quê? Qual a diferença?
  • A “fé raciocinada” atua em nível cognitivo e a “fé irracional” atua em nível emocional? Será a emoção nesse caso mais importante que o mental-intelectual-cognitivo?
  • O efeito placebo funciona cerca de 20% – será porque somente estes 20% acreditam (fé) sinceramente? E os 80% possuem uma crença racional (fé raciocinada) que não funciona?
  • Em que circunstâncias a “fé irracional” é mais eficiente que a “fé racional”? E vice-versa?
  • Será que a fé cega, por ser ingênua e pura é mais eficiente que a fé raciocinada analítica e questionadora?
  • Será que a alegada ausência de fé das linhas de pensamento avançadas, institucionalizadas ou franqueadas alcançariam os mesmos bons resultados num outro lote comparativo nas pesquisas?

 

A fé racional é cognitiva e intelectual. A fé irracional é mais instintiva e com ressalvas em seus questionamentos. Mas o fato é que ambas sobrevoam uma questão subjacente do que é a “fé” simples, natural, espontânea e verdadeira, antes de ser rotulada numa ou noutra. Talvez seja uma percepção, capacidade de captação inconsciente, instintiva e intuitiva, algo realmente transcendental, transracional.

 

Numa perspectiva a fé racional, cognitiva, intelectual, questionadora pode ser apenas um “entender”, uma compreensão do processo e não ser fé nenhuma. Dentro do conceito social do que é a inteligência, esta última sempre irá parecer “mais inteligente” numa sociedade e cultura que valorizam apenas o intelectualismo.

 

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e também em Educação em Valores Humanos. - Não sou pesquisador da consciência, nem de religiões ou afins, sou apenas um escritor intuído e poeta ingênuo e romântico, médium intuitivo e inspirado, anímico e mediúnico. - Não sou entendido e nem autoridade em nenhum assunto, nem evoluído ou melhor que ninguém, até pelo contrário. - Este site é apenas uma modesta tarefa de redenção consciencial e mais nada, serve para dar vazão o que me surge na mente e que "vaza" pelo coração. Aqui estão "esculpidos" todos os meus defeitos e limitações , sem mais aparências, enfeites ou rótulos, não sou nada e nem sei de nada. Sou o "Tio Dalton" de forma irreverente, bem humorado e brincalhão. Curto rock progressivo, rock pesado, música new age e músicas mais espirituais em geral, adoro filmes de ficção científica e ação, curto eletrônica, áudio, física e matemática, tomo muito café, como carne, estou negligente na leitura e na meditação além de muito preguiçoso. Sou simples, irreverente, caipira e "sinto muitas saudades do meu planeta". MEU SONHO É UNIR AS PESSOAS NUM ÚNICO PROPÓSITO DE EVOLUÇÃO CONSCIENCIAL e a transcender as vaidades pessoais e egoísmos materiais; (utopia factível se não fosse a "babaquice" das pessoas). - "Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso". ------------- DEIXE UM COMENTÁRIO EDUCADO, ELEGANTE E BEM ESCRITO, MOTIVE-NOS!! Não abuse, os comentários são moderados.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)