CULPA

CULPA

Largue o medo, abrace o trabalho.

Abandone a culpa, abrace o labor.

Deixe a insegurança, abrace a labuta.

Transcenda o ego da vaidade e do orgulho, suplantando-os com silenciosa e eficaz assistência.

Enxugue as lágrimas e arregace as mangas.

Supere a falta de confiança, assuma suas responsabilidades.

Venha que o melhor labor espiritual lhe espera.

A Luz invisível aos olhos do rosto, mas sensível às energias da alma o iluminará pelos caminhos brilhantes do céu, mesmo na terra, diante de sua abnegação perseverante.

Todo trabalho demanda esforço e impulso maior a fim de vencer a inércia inicial daqueles que ainda sequer tentaram.

O Alto precisa mais de você do que você do Alto: você pode ajudar mais seus amparadores e mentores do que ao contrário.

Não abandone seu posto, senão alguém menos qualificado, porém mais confiante, irá assumi-lo e este sim, receberá a assistência espiritual que não é nem de um nem de outro, mas da tarefa em si; que não é senão uma pequena engrenagem de um grande mecanismo cósmico que não pára jamais.

Você possui um corpo denso, cheio de energias densas próprio para habitar e agir aqui em baixo, e os espíritos luminosos não podem agir diretamente, senão por um médium, um projetor consciente ou não, um ser intuitivo, não importa, mas um alguém que se preparou e se dispôs a ser tarefeiro do bem.

Do que adianta você cursar a “faculdade” do Bem e desistir na prova final do último ano? Assim que você deu o primeiro suspiro no corpo, você assumiu a prova final e não há jeito de devolver, voltar ou fugir.

Em caso de dúvida, sirva sempre e trabalhe muito, que com isto você não poderá estar errado. E se com isto você “morrer afogado” no meio do caminho sem conseguir “alcançar a praia” do completismo * existencial, de qualquer forma terá se “afogado” na Luz das boas intenções mediante obras e ações práticas que jamais irão lhe condenar, mas serão um álibi contundente a fim de defendê-lo diante do tribunal de sua própria consciência, quando for a hora de habitar as colônias extrafísicas nas hostes celestiais.

Paz e Trabalho. – Dalton e Amigos Espirituais –

– Nota: * Ato de completar a programação existencial ou programação cármica ou projeto reencarnatório.

Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

Gostou desse conteúdo? Queremos saber sua opinião, deixe seu comentário logo abaixo.

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque – auto intitulado como “Tio Dalton” de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade.
—–
Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e “New Age’s”.
—–
Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática.
—–
É simples, irreverente, se denomina “caipira” e “sente muitas saudades de seu planeta”.
—–
O que mais aprecia é escrever, aprender, criar “coisas” novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. — -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)