AMPARO E OBSESSÃO – TIPOS E NÍVEIS

AMPARO E OBSESSÃO – TIPOS E NÍVEIS

Conceituarei amparo como o relacionamento espiritual do amparado intrafísico (ser ou consciência encarnada) com o amparador (amigo espiritual, ser ou consciência desencarnada).

O amparo positivo é o baseado na cosmoética (e não nas boas intenções sem discernimento consciencial). Visa à evolução das consciências (amparador e amparado), ao fomentar o autoaperfeiçoamento, baseado no esforço próprio, sem paternalismo e com esclarecimento sadio.

Todos têm um amigo espiritual sadio ou podem tê-lo, se o desejarem, por meios do empenho na senda do comportamento cosmoético, ou seja, desde que trabalhem efetivamente pelo melhoramento íntimo, o amparo é providenciado. Seu amparador é alguém (uma consciência extrafísica ou espírito desencarnado) semelhante a você (talvez até um pouco melhor) em cultura, ideal e potenciais bioenergéticos, intelectuais e conscienciais.

O amparo negativo é baseado em interesses bioenergéticos e de poder (é uma forma de relacionamento espúria). Exemplo: os assediadores (obsessores) protegem um determinado mendigo (alcoólico e toxicômano), de doenças e outros riscos à integridade física, a fim de manterem vivo aquele negativo portal interdimensional. Eles bebem, fumam, fazem sexo e tomam drogas por meio daquele ser. Podem proteger os negócios de um alto empresário canalha que faz muitas pessoas e funcionários sofrerem, para vampirizarem aquelas energias de sofrimento.

Criamos nossos próprios conceitos, visão e termos que expomos a frente, mas esses termos e conceitos podem receber outros nomes e abordagens diferentes também.

 

Amparo

  • Amparo positivo eventual

Quando você ajuda alguém, você faz as seguintes amizades: com o encarnado que você ajudou, e, com o desencarnado (o amparador do ajudado), além dos membros da família extrafísica do ajudado, que podem eventualmente tornarem-se seus amparadores também por simpatia.

 

  • Amparo negativo eventual

Quando você tem qualquer sentimento negativo contra alguém (alguém aqui é o sujeito 1 – o alvo), os assediadores extrafísicos deste captam imediatamente suas energias negativas, vindo para cima de você em apoio (você é o sujeito 2). Esses obsessores incentivam você (sujeito 2) a fim de que cada vez mais prejudique (com seus pensamentos e sentimentos ruins) quem eles odeiam (sujeito 1).

Isto nada mais é que uma obsessão eventual, que denominamos de “amparo negativo eventual”, pois esses obsessores que instigam o sujeito 2 contra o sujeito 1 – (inimigo de seu inimigo, jogando um contra o outro), não desejam o mal diretamente ao sujeito 2, embora o obsediam naquele momento eventualmente.

 

  • Amparo de função – contínuo

Privilégio de abnegados e operosos trabalhadores espirituais, quando do desempenho de suas tarefas de assistência maior a outras consciências (encarnados e desencarnados). Acontece nos trabalhos de assistência espiritual regular, metódica e disciplinada pessoal e grupal, em trabalhos com bioenergias, tarefas energéticas pessoais, cursos, palestras e obras de bons sensitivos, já práticos e bem treinados para isso desde o curso intermissivo.

O amparador, mentor do trabalho de tal tarefeiro, acopla e “domina” o sensitivo e discretamente faz todo um trabalho bioenergético, e o médium, consciente, lúcido e de comum acordo, cede o corpo e as energias em acoplamento intenso com espírito sadio, voltados ao alcance do melhor resultado para o universo (para o bem de todos, espíritos e encarnados).

Este tipo de amparo espiritual é contínuo, enquanto o tarefeito se dispor ao trabalho espiritual, ou seja, enquanto permanecer na função. Se por acaso em algum momento da vida ele se desviar do trabalho espiritual, da função de servir consciencialmente, ele perde tal amparo.

 

Assédio (ou obsessão)

  • Assédio eventual

Em determinados dias, horas e locais não estamos muito bem quanto aos pensamentos e sentimentos. Por consequência, estando mal energeticamente, os obsessores percebem as energias com “fissuras” – e passam a vampirizá-las, e quando ficarem satisfeitos (se ficarem), irão embora –. É uma obsessão por oportunismo.

 

  • Assédio constante (contínuo)

Aqui já cai na classificação de fascinação ou até subjugação. Eis aqui um dos mais graves fatos oriundos de vidas passadas. Um obsessor, mantendo intacto ódio intenso, pode perseguir incessantemente sua vítima durante uma ou mais vidas inteiras, a fim de procurar a vingança eterna. Costuma não (querer) perceber que “a vítima” mudou ao longo dos séculos, de que já não é a mesma pessoa que as prejudicou (ou a mesma pessoa que elas pensam que as prejudicou) em um momento do passado.

Existem grandes assédios que têm cura a curto prazo (uma vida carnal), existem pequenos assédios que não têm cura a curto prazo – exige mais de uma vida para ser curada. É uma relação patológica mais complexa e difícil de ser curada.

 

  • Possessão

Qualquer forma ou condição de obsessão ou assédio espiritual (a mesma coisa), são doenças morais em graus variados da humanidade. Quanto mais intensa a obsessão, maior é o grau da doença moral do obsidiado. No entanto, esta abordagem, apesar do termo “moral”, não é moralista no sentido social ou religioso. É analítico do ponto de vista evolutivo e consciencial e observa uma relação negativa, patológica e viciosa de dois seres humanos encarnados e/ou desencarnados.

Allan Kardec em seus livros já definiu muito bem os níveis e intensidades desse processo: obsessão, fascinação, subjugação e possessão. Ainda há a auto-obsessão, ou seja, as manifestações anímicas, inconscientes e influências negativas do ego do sujeito (vidas passadas) – que diversas correntes terapêuticas e psicológicas estudam.

A possessão é oriunda de erros graves do passado, de sentimento de vingança e forte afinidade com seres negativos. Consiste em domínio da vontade do desencarnado (espírito) sobre o encarnado (possuído).

Dessa forma, são muito comuns crimes hediondos pelo mundo afora. Há determinados casos de dupla personalidade que não são frutos de psicose e/ou esquizofrenia, mas da prevalência da mente mais forte de ânimo, de desencarnado obsessor, sobre a mente de vontade mais fraca, do encarnado obsidiado. No entanto, qualquer processo psiquiátrico atrai por sintonia a devida obsessão por demérito cármico e lei dos semelhantes.

O exercício das práticas de assistência e da cosmoética fazem crescer a sadia força de vontade e alimentam a autoestima e a autoconfiança, para que o obsidiado se desvencilhe dessas consciências extrafísicas vingativas lentamente.


Outras formas de relacionamento bioenergético e acoplamento (obsessão ou amparo) já bem conhecidas:

 

(a) Encarnado-encarnado;

(b) Encarnado-desencarnado;

(c) Desencarnado-encarnado;

(d) Desencarnado-espírito.

 

Essas formas de relacionamento podem ser obsessão ou amparo, conforme a qualidade da energia que compõe o processo de entrelaçamento no momento.

Realmente somos uma espécie primária, tendentes ao primitivismo comportamental. Estamos mesmo em evolução lenta e gradual. Este Planeta é um “hospital-escola”, “manicômio judiciário”, “colônia penal de almas enfermas”, ou, simplesmente, “ralador de egos”.

A evolução se dá de qualquer forma, por bem ou por mal. O mal é relativo, serve de instrumento do bem, tudo pesa a favor da evolução, até as piores “desgraças” coletivas. Tudo está no seu devido lugar. A administração da Justiça Cósmica é perfeita e infalível. Nela não existem falhas. Dela não provêm acasos, coincidências, fatalidade, injustiças ou eventos inexplicáveis do destino.

Repararemos nossas dívidas centavo por centavo. O amor é regra imposta. Dele não há como fugir. Em visão mais ampla, não existe livre-arbítrio, pois só há o caminho do amor universal.

Preciso deixar registrado aqui que o livro de nossa autoria O Karma e suas Leis explica mais detalhadamente e com ilustrações os processos de interligação positiva e negativa de energias entre duas pessoas, não deixe de ler.

 

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque – auto intitulado como “Tio Dalton” de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade.
—–
Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e “New Age’s”.
—–
Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática.
—–
É simples, irreverente, se denomina “caipira” e “sente muitas saudades de seu planeta”.
—–
O que mais aprecia é escrever, aprender, criar “coisas” novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. — -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)