TÉCNICA DE MEDITAÇÃO

TÉCNICA DE MEDITAÇÃO

Às vezes você chega em casa tão cansado, liga a TV e fica como que olhando, só que você não está vendo e nem ouvindo nada, não está participando. As informações saturadas do seu dia começam a se extrapolar quando você relaxa.

Você vai à praia, olha para o mar e começa a contemplá-lo, você relaxa e sente-se bem. Você está de frente para uma fogueira a noite e olha para um ponto fixo dentro do fogo, mas sem a menor atenção e também se sente relaxado. Você começa a contemplar alguma coisa, relaxa e neste estado alfa, começa a liberar o estresse do dia.

Estas são formas rotineiras de contemplação em que você atinge espontaneamente um estado meditativo (estado theta). Então são três formas diferentes: A Meditação, a Concentração e a Contemplação. Pelas três formas podemos atingir o estado theta, só que a mais eficiente e fácil é a Meditação TRANSPESSOAL. Ela não utiliza a contemplação e nem a concentração. Procura cortar caminho e conquistar um atalho mais rápido ao estado theta ou meditativo.

Como a maioria dos ocidentais tem extrema dificuldade em diminuir o fluxo de pensamentos, podemos utilizar um mantra como artifício para nos ajudar. Para não nos perdermos em técnicas complicadas e ter que calcular o mantra através do levantamento do perfil fisiológico pela medicina ayurveda, iremos utilizar apenas dois mantras. Um para pessoas mais dispersas e desconcentradas (OM) e outro para o restante das pessoas (IN). O mantra deve ser entoado mentalmente, pois não necessita ser em voz alta.

 

O que é Meditar?

Para efeito prático e direto é relaxar e se equilibrar, se desligar, se isolar intimamente e se interiorizar, captar energia, enquanto se elimina o estresse.

 

Começando a Meditar

Válido para maioria das técnicas de meditação.

Evite estar de estômago cheio, algo como após o almoço ou jantar. Meio cheio de forma confortável é aconselhado ou mais para vazio.

1- Fecha-se os olhos, faz-se um relaxamento. Procure sentir-se bem fisicamente e relaxe o máximo que puder sem perder a atenção. Numa posição cômoda de coluna ereta e sem encostar a cabeça, observe seus pensamentos fluírem sem se envolver com eles e sem se entregar a devaneios.

2- Sente-se o silêncio, deixa-se os pensamentos fluírem como eles quiserem.

3- Procura-se deixar o mantra vir SEM FORÇAR, se os pensamentos persistirem, deve-se deixá-los por tempo indeterminado até que nas próximas meditações (mesmo que demore) o mantra chegará suave. Se o mantra estiver vindo fluente, deixe-o à vontade, SEM FORÇAR. Será extremamente difícil manter o mantra muito tempo. Quando houver momentos em que não se pensa em nada e nem o mantra é o ideal.

4-Não se concentre no mantra, meditação não é concentração.

5- Se o mantra quiser fugir, deixe-o fugir, porém continue mantendo a atenção, observando os pensamentos sem se envolver com eles. Em pessoas cujo sono esteja atrasado, é melhor dormir bastante antes, para colocar o sono em dia.

 

Não tente ver nada, não tente ouvir nada, não tente pensar nada, não se concentre no mantra, apenas deixe fluir. Não se deve forçar nada, é por isto que a meditação é uma técnica eficiente e fácil, pois é natural, não violenta você. Não se deve fazer esforço para substituir os pensamentos pelo mantra.

 

Terminando a Meditação

Pare de meditar e continue relaxado e de olhos fechados de 2 a 3 minutos para não voltar de modo súbito e se sentir indisposto.

 

Você está meditando certo quando

 

– Se sente melhor que o normal

– Se sente pior que o normal (no princípio)

– Se sente relaxado

– Boceja

– Respira fundo alternando com respirações rasas e lentas

 

Você pode apresentar qualquer um destes sintomas, é perfeitamente normal. Não desanime, meditar é tão fácil que você já está meditando, embora possa duvidar disso. O segredo é relaxar. Sinta-se bem. O fluxo de pensamentos que você exterioriza já é uma eliminação imediata de estresse.

 

Sintomas prováveis da eliminação do Estresse

– Mioclonia

– Coceira

– Tensão na nuca e/ou na cabeça

– Desconforto físico e necessidade de movimentação

– Lacrimejamento

– Liberação de calor (um pouco raro)

– Queda de temperatura do corpo enquanto se está meditando

– Aparecimento de espinhas e cravos

– Aumento do apetite

– Manchas na pele, etc.

– Pensamentos diversos

 

Estes são os principais e mais comuns sintomas. Eles variam muito de indivíduo para indivíduo. Esta eliminação é uma coisa positiva, fique feliz!

No princípio, estes sintomas tendem a ser maiores, pelo acúmulo do estresse. Quando no ato da meditação se sentir necessidade de se movimentar, tossir, se coçar, não se incomodem, se ajeitem novamente, e continuem meditando até que progressivamente se tornem verdadeiras estátuas vivas nos momentos da meditação.

A Yoga ou o Tai Chi são recomendáveis como coadjuvantes a meditação, porém não obrigatórios. Se você desejar pode fazer uma caminhada antes da meditação, lhe ajudará a relaxar. Lembre-se que não existem regras para nada, cada pessoa tem sua característica e sabe o que é melhor e mais confortável para si. O importante e que você não tenha preconceito, experimente algumas e escolha a que melhor lhe convier.

 

Sobre os pensamentos durante a Meditação

Um evento produz uma tensão. Isto é, causou uma impressão no pensamento, que causou uma tensão. Se você libera este pensamento, você libera esta tensão. Quando libera esta tensão, você está dissolvendo um impulso de pensamento em seu cérebro. Este pensamento no instante que está se liberando pode ser a lembrança associada ao evento tensionador. Daí quando se medita abre-se caminho a um grande número de pensamentos, que parecem vir completamente ao acaso. Cada pensamento é seguido de um sentimento de que alguma tensão foi liberada.

O mantra funciona como um veículo de interiorização, indo em direção a fonte do pensamento. Esta é a tendência natural da mente que ela considera a mais atrativa. Ao contrário do pensamento que começa na fonte e vem a superfície.

Na mente consciente percebemos os pensamentos. É onde ele “estoura”. É a parte mais grosseira, ou menos sutil. Com a prática regular da meditação iremos perceber pensamentos em níveis mais sutis. Imagine como bolhas de ar que sobem do fundo do oceano e eclodem na superfície. Você é o mergulhador da mente que observa este processo. A medida que você consegue mergulhar mais profundamente no interior de sua mente, você vai sentindo cada vez mais calma e paz, tal qual o mergulhador que imerge no oceano.

As tensões físicas acumulam-se no corpo e impedem as funções naturais. O natural é o melhoramento constante, um crescimento físico e mental. Vivemos para evoluir, e evoluir é melhorar em tudo, física, mental e espiritualmente também. A vida é espiritual, e independente da crença das pessoas. Nós não somos seres humanos com experiências espirituais, somos seres espirituais tendo uma experiência humana – do livro Meditando com Brian Weiss.

Uma das finalidades da meditação é dissolver tais tensões. O sistema nervoso acumula tensões, e estas vão reduzindo nossa sensibilidade. Se nós reduzimos nossa sensibilidade, nós vamos embrutecendo, ou voltando a ser animais mais rudes. Vamos diminuindo nossa afetividade, nossa paciência, nosso respeito, nossa serenidade, nossa educação, nossa memória, nosso sono, e todo nosso potencial de saúde e de felicidade. É a perda da qualidade de vida que o “progresso” nos impõe.

O sono descansa e dissolve as tensões, ou pelo menos deveria dissolver. Em muitos casos ele descansa mais o corpo e menos nossa mente. Adquirimos aqueles reflexos condicionados negativos que ficam profundamente enraizados e o sono não consegue desfazê-los.

A meditação é um processo muito mais poderoso que o sono, e é capaz de dissolver as tensões enraizadas na nossa vida. A vantagem é que o benefício do meditante é muito rápido e não agride o praticante, não impõe condicionamentos e controle mental.

O que todos procuramos na vida em tudo que fazemos? O PRAZER! O prazer é um processo natural da vida. Procuramos o belo, o conforto, o rápido, o suave, o gostoso, etc. É perfeitamente natural. É por isso que nos motivamos a viver. A meditação é um processo natural que não violenta o praticante, porque é natural.

 

Mantra versus Pensamentos

Nessa técnica de meditação, não nos concentramos, não tentamos pensar o mantra claramente. A repetição mental não é uma pronunciação clara, ela é somente uma idéia vaga. Não tentamos fazer um ritmo do mantra. Não tentamos controlar os pensamentos. Não desejamos que os pensamentos não venham. Se um pensamento vem, não tentamos empurrá-lo para fora. Não nos sentimos tristes por isso.

Quando um pensamento vem, a mente está completamente absorvida no pensamento. Quando nos tornamos conscientes de que não estamos pensando o mantra, voltamos tranquilamente para o mantra. Pensamos o mantra muito facilmente e se em algum momento sentimos que o estamos esquecendo, não devemos tentar persistir em repeti-lo ou tentar lembrá-lo. Somente começamos facilmente e o tomamos quando ele aparecer, e não tentamos deter o mantra se ele tende a fugir.

Não há necessidade de tentar parar de pensar porque os pensamentos são uma parte da meditação. Mesmo se a mente for preenchida com outros pensamentos, enquanto o mantra estiver presente, não há conflito. Nossa preocupação é com o mantra e se, outros pensamentos estiverem junto com ele, nós não nos importamos com eles e não tentamos removê-los. Não estamos interessados neles. Inocentemente favorecemos o mantra. Esta é a situação do meditante iniciante, após algum tempo o domínio do estado theta já estará automatizado e o meditante entrará em estado meditativo com amplo conforto imediatamente, com sensação de confiança e bem estar indescritíveis.

 

Recomendações para o Meditante

1- Estômago mais para o vazio (somente para não haver desconforto)

2- Posição confortável e segura (evitar situações que exijam equilíbrio)

3- Coluna ereta (para manter a mente alerta e a distribuição de energia mais homogênea pelo corpo)

4- Cabeça desencostada (para manter a mente alerta, não dormir e evitar tensão na nuca)

5- Olhos fechados (para diminuir os estímulos externos)

6- Quando possível, um lugar silencioso (para diminuir os estímulos externos)

 

Outras Sugestões

  1. Evitar música, para não se concentrar na música e abandonar a meditação, pois esta é uma atitude instintiva.
  2. Iniciantes não meditarem mais de 20 minutos para não sentirem desconforto.
  3. Não meditar em lugares muito quentes como na praia ou em saunas, pois a meditação tende a abaixar a temperatura do corpo, criando assim condições (ambas naturais) mas contrárias.
  4. Se sentir sono, parar a meditação e ir dormir, pois se está sentindo a necessidade de dormir durante a meditação é porque seu organismo está precisando.

Todos estes itens são apenas sugestões e nada é obrigatório. Repetimos, cada pessoa tem suas próprias características e para os seres vivos não existem regras fixas.

 

Dicas para quem sente dificuldades de relaxar

Se você não tem preconceito e tem dificuldades de relaxar por excesso de tensão, no início das práticas da meditação para ajudar vale tudo.

1- Acender um incenso a seu gosto;

2- Suave iluminação azul;

3- Tomar um banho antes de meditar (super recomendável);

4- Inicie ouvindo uma música relaxante por alguns minutos de olhos abertos. Quando começar a se sentir relaxado, desligue o som e inicie a meditação.

OBS: Não ficar dependente para sempre destes recursos ou “bengalas”.

 

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e também em Educação em Valores Humanos. - Não sou pesquisador da consciência, nem de religiões ou afins, sou apenas um escritor intuído e poeta ingênuo e romântico, médium intuitivo e inspirado, anímico e mediúnico. - Não sou entendido e nem autoridade em nenhum assunto, nem evoluído ou melhor que ninguém, até pelo contrário. - Este site é apenas uma modesta tarefa de redenção consciencial e mais nada, serve para dar vazão o que me surge na mente e que "vaza" pelo coração. Aqui estão "esculpidos" todos os meus defeitos e limitações , sem mais aparências, enfeites ou rótulos, não sou nada e nem sei de nada. Sou o "Tio Dalton" de forma irreverente, bem humorado e brincalhão. Curto rock progressivo, rock pesado, música new age e músicas mais espirituais em geral, adoro filmes de ficção científica e ação, curto eletrônica, áudio, física e matemática, tomo muito café, como carne, estou negligente na leitura e na meditação além de muito preguiçoso. Sou simples, irreverente, caipira e "sinto muitas saudades do meu planeta". MEU SONHO É UNIR AS PESSOAS NUM ÚNICO PROPÓSITO DE EVOLUÇÃO CONSCIENCIAL e a transcender as vaidades pessoais e egoísmos materiais; (utopia factível se não fosse a "babaquice" das pessoas). - "Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso". ------------- DEIXE UM COMENTÁRIO EDUCADO, ELEGANTE E BEM ESCRITO, MOTIVE-NOS!! Não abuse, os comentários são moderados.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)