QUAIS SÃO OS MANTRAS DOS PARACHACRAS?

QUAIS SÃO OS MANTRAS DOS PARACHACRAS?

De forma mais comum, iogues e parapsíquicos trabalham com o lado bioenergético dos chacras. Este potencial é chamado no ocidente de PSI, parapsíquico ou paranormal. É importante, mas não é o fim, apenas o meio (ferramenta) para um desenvolvimento espiritual mais sutil. Desenvolvimento parapsíquico não é o mesmo que desenvolvimento espiritual. Como já dissemos o meio não é o fim.

Muitos paranormais que desenvolveram estes dons efetuam coisas impressionantes, mas vazios de espiritualidade[1] (sem qualquer serviço útil a outrem), sem competência de levar informação, esclarecimento e discernimento consciencial às pessoas. É o lado yang, relativo ao poder, ao paranormal, siddhis, físico-etérico ou o antigo e atraente fenômeno.

Nos diagramas de chacras hindus (geralmente muito ornamentados) veremos que há bijamantras escritos em sânscrito e também divindades protetoras desenhadas, com seus nomes. Muito além de mero misticismo e religiosidade, estas divindades são mantras de ativação e desenvolvimento do lado espiritual dos chacras e se referem à manifestação yin, doce e sutil da divindade (feminino). No caso, chacras do corpo astral (psicossoma), ou seja, dos parachacras.

Estes parachacras não são ativáveis pelos bijamantras, que são mais conhecidos e de vibração mais densa. A vibração dos parachacras é muito mais sutil (elevada, alta) e só respondem a uma ressonância mais sensível a atmosfera espiritual (sintonia fina), uma vez que estão um nível de densidade acima. Discípulos de Ramakrishna, yogue do final do século XIX, chamavam estas “divindades mântricas” ativadoras dos parachacras de “mãezinhas espirituais” dos chacras.
Para cada chacra e seu respectivo parachacra, há um bijamantra e um paramantra[2] (mantra sutil destinado ao parachacra) com exceção apenas do coronário, que por sua natureza altamente elevada e transcendental, não é mais sensível aos bijamantras[3] e paramantras. Ele é a união do “céu” com a “terra”, o “eu” com o “todo” e não comporta mais dualidade ou divisão.

São nomes que evocam egrégoras, ou seja, mantras poderosos para serem vibrados em cada um de seus respectivos parachacras:

Chacra / Parachacra Bijamantra Paramantra / Divindade
Básico LAM Dakini
Sexual VAM Rakini
Umbilical RAM “R Lakini
Cardíaco YAM Kakini
Laríngeo HAM “RR Shakini
Frontal OM Hakini

 

Mas se os bijamantras ativam os chacras e seus respectivos poderes bioenergéticos (siddhis, poderes paranormais), que benefícios trazem o uso dos paramantras?

Para cada chacra principal há uma conexão física com uma glândula, uma conexão bioenergética e uma conexão sentimental. Preferimos usar a referência a “sentimento” ao invés de emocional (de emoção), já que estas últimas são densas. Emoção é algo denso e sentimento algo sutil e elevado.

O desenvolvimento dos chacras atua nas mediunidades, experiências fora do corpo e kundalini do praticante. O desenvolvimento sentimental dos parachacras proporciona uma série de efeitos sutis e super importantes no bem estar consciencial, no desenvolvimento das virtudes e na qualidade de vida espiritual do ser.

Para entender melhor este co-relacionamento e associação com o lado psíquico e espiritual dos chacras, precisamos aprofundar o entendimento sobre os chacras e sua relação com faixas vibratórias de nossa existência cotidiana. Ao analisar a virtude e o defeito do chacra e seu respectivo parachacra, imediatamente descobriremos que o paramantra adequado irá ativar as virtudes e diluir os defeitos citados[4] a seguir:

 

  1. Chacra básico – Governa a dimensão física e todos os aspectos sólidos do corpo, mantém a matriz das energias-terra (energias telúricas ou geoenergias). O chacra básico energiza e fortalece o corpo, sendo responsável pelo seu bem-estar físico. É o centro de energia através do qual se experimenta “luta ou fuga”.

Relaciona-se com a energia primitiva e com as necessidades básicas de sobrevivência. Este chacra dá energia ao corpo físico, controlando o medo e monitora a saúde em geral. O Centro fundamental ou chacra básico controla o mundo dos instintos, o consciente, segundo Carl G. Jung.

Virtude respectiva: autoimagem sadia, autoconfiança, pés no chão, adequação social, planejamento estratégico, procura de metas. A pessoa que o tem bem energizado possui um sentido prático de vida, prazer de viver, senso de administração, pé no chão, objetividade, ideias bem definidas e fecundas e projetos realizáveis.

Defeito respectivo: complexo de inferioridade, baixa autoestima, insegurança, medo de viver, sentimento de fuga, inadequação social, preguiça, etc.

Use o paramantra DAKINI para desenvolver uma prosperidade que é saudável, para retirar o medo de viver, a negação do prazer e para as fobias. Exemplo: síndrome do pânico.

 

  1. Chacra sexual – Centro das emoções e energia sexual, forças criativas, ação desintoxicante, desprendimento, livre fluxo dos sentimentos.

Virtude respectiva: emoções controladas e calmas, porém variadas. Franqueza e naturalidade, sentimentos espontâneos, ações criativas, admiração e entusiasmo pela vida.

Defeito respectivo: Demasiado emocional, amor possessivo, paixão descontrolada, ciúme. Negação ou recusa da sexualidade, sexualidade grosseira e viciante, perda da admiração pelas maravilhas da vida. Sexualidade sem amor, falta de flexibilidade, intransigência.

Use o paramantra RAKINI para trabalhar bloqueios emocionais da troca sexual e do lidar com o prazer da vida (em todos os níveis, não apenas no sexual). Para equilibrar a exacerbação emocional e controlar os picos de euforia e os vales de depressão.

 

  1. Chacra Umbilical – É considerado o chacra das emoções mais densas (ataques de raiva e ciúmes e mediocridades em geral) e, por isso mesmo, bastante visado por entidades desequilibradas e também nos trabalhos de desobsessão. Centro de força, vitalidade, relacionamento ativo com o exterior, sede da personalidade. Identidade pessoal, purificador dos instintos e desejos. Manifestador emocional, receptador e transmissor de vibrações. Maior ponto de expressão da manifestação do ego.

Virtude respectiva: Flexibilidade quanto às energias, abertura às mudanças (neofilia). Sensação de paz e harmonia interior. Aceitação de si e dos outros. Proteção de vibrações negativas e irradiação de positivas. A pessoa sabe lidar bem com as próprias bioenergias.

Defeito respectivo: Atado, com medo de deixar que as coisas se manifestem (neofobia). Necessidade de controlar as coisas com seu ponto de vista. Inquietação e insatisfação. Enorme impulso de atividade. Dificuldade para relaxar. Nervosismo, irritação, má digestão de fundo nervoso. Desânimo e abatimento. Esquiva, medo de novas experiências. Repressão dos sentimentos, busca exagerada de reconhecimento, dificuldade em lidar com as próprias bioenergias.

Use o mantra LAKINI para os bloqueios das expressões do ego e atuar na esfera superior disso tudo. Para desenvolver a humildade e a serenidade. Para conviver bem no meio de energias antagônicas.

 

  1. Chacra Cardíaco – Com o despertar deste chacra desenvolve-se a eloquência, domina-se a linguagem, a poesia. Controla-se os sentidos e as funções físicas. Adquire maior poder de cura através das mãos. Tem por característica a consciência do “Eu”. Produz uma personalidade compreensiva, generosa e altruísta. Surge o líder nato.

Virtude respectiva: Compaixão, capacidade de perdoar, intuição. Otimismo e bom humor constantes. Grande amor pela humanidade (karma coletivo). Capacidades de cura surgem e de eloquência (capacidade de convencer as pessoas).

Defeito respectivo: Coração empedernido, fechado, desespero. Espera de reconhecimento pelo amor dado. Frieza afetiva. Incapacidade de receber amor. Embaraço e desdém diante do que é meigo, suave ou poético. Sarcasmo.

Use KAKINE para trabalhar o medo de amar, medo da entrega.

 

  1. Chacra Laríngeo – Centro da capacidade de expressão humana. Comunicação e inspiração. Autorreflexão, consciência do corpo mental.

Virtude respectiva: Razão, lógica, flexibilidade, empatia. Expressão livre dos sentimentos, comunicabilidade ampla, pensamentos e conhecimentos. Honestidade interior. Capacidade de ouvir os outros. Fidelidade a si mesmo. Saber dizer não. Não se deixar envolver e influenciar. Comunicação direta com os seres de outras dimensões da existência. Independência interior.

Defeito respectivo: Rigidez, preconceitos, não aceitação do ponto de vista alheio, intransigência. Dificuldade para refletir sobre os próprios sentimentos. Exprimir emoções sob forma de ações imponderadas. Enclausuramento na própria intelectualidade e racionalismo. Palavreado, linguagem rude e fria. Manipulação dos outros. Excesso de retórica e eternas justificativas.

O paramantra SHAKINI trabalha a expressão psíquica ou sentimental. Um exemplo é aquela pessoa que ama, mas sente dificuldade em confessar que ama e expressar este amor.

 

  1. Chacra Frontal – Relaciona-se com determinação e força de vontade, autocontrole, paciência, capacidade de perdoar e bem-aventurança. Sede das forças mentais mais elevadas, discernimento intelectual, memória, vontade, percepção consciente do ser, força do pensamento. Criação de novas realidades. Cura, clarividência, clariaudiência, intuição.

Virtude respectiva: Razão, lógica desenvolvidos. Intelecto desperto, destreza mental, habilidade de visualização mental, compreensão intuitiva. Capacidade de abstrair. Mente aberta para as verdades abstratas ou místicas. Idealismo, sonhos e pensamentos. Percepção extra-sensorial. Universalismo, competência de síntese, visão de conjunto, desapego a linhas de pensamento e ortodoxias em geral.

Defeito respectivo: Rigidez, preconceitos, não aceitação do ponto de vista alheio. Intelecto e razão ultra valorizados. Arrogância intelectual. Negação do espiritual. Paixão por linhas de pensamento, necessidade de se sentir “mais evoluído”. Esquecimento. Pensamentos obscuros e emaranhados, orientados por padrões emocionais. Apresenta dificuldade de viver a sua realidade, vendo e ouvindo somente aquilo que lhe é conveniente e processando transformações indevidas na interpretação das situações e conceitos dos seus desequilíbrios.

HAKINI trabalhará os bloqueios emocionais neste chacra. Esta é a diferença entre conhecimento e sabedoria.

[1] No livro Autobiografia de um Iogue, Ed. Lótus do Saber, o autor Yogananda conhece na Índia e relata vários casos de siddhis sem amor.

[2] Paramantra é um termo cuja invenção é nossa, pois na falta de um termo melhor ele representa uma síntese semântica de “mantra de um chacra principal do corpo astral”, economizando tempo, papel, saliva e energia.

[3] Apesar de que colocamos um bijamantra no chacra coronário na descrição dos chacras no item 19-d, mas é apenas uma questão de costume, algo irrelevante.

[4] Todo este conteúdo está muito mais dissecado e aprofundado no CD Práticas Bioenergéticas para os Sete Chacras.

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque – auto intitulado como “Tio Dalton” de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade.
—–
Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e “New Age’s”.
—–
Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática.
—–
É simples, irreverente, se denomina “caipira” e “sente muitas saudades de seu planeta”.
—–
O que mais aprecia é escrever, aprender, criar “coisas” novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. — -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)