A PROPOSTA DE MEDITAÇÃO CONSCIENCIAL

A PROPOSTA DE MEDITAÇÃO CONSCIENCIAL

Nossa proposta a que denominamos MEDITAÇÃO CONSCIENCIAL ou TRANSPESSOAL (leia os posts anteriores desta seção) não tem nada a ver com a técnica de Maharishi (a MT ou Meditação Transcendental), embora em algumas técnicas se pareça, e também nada tenha a ver com a Psicologia Transpessoal. E tudo indica que não importa a técnica ou o método em si, os resultados são os mesmos, depende apenas da frequência e o tempo de meditação, ou seja, do próprio indivíduo que a pratica – disciplina e perseverança. Na verdade nossa proposta é um pacote de técnicas diferentes que possa dar opções ao indivíduo e a grupos, escolher em qual se adapta melhor.

Tendo contato com diversos cursos, literaturas e práticas neste tema tão apaixonante, eu que sou eterno aprendiz, descobri que há muita mistificação, falta de didática e [1]fortíssimos interesses comerciais. A técnica da Meditação Transcendental é muito boa, mas cara, limitada, elitizando o público.

Nosso objetivo principal foi elaborar um manual prático e didático – com subsídios científicos também, que os ocidentais de todas as classes e culturas possam entender com facilidade e praticar sozinhos em casa, sem terem que despender quantias absurdas ou dependerem de pessoas suspeitas.

Assim não nos preocupamos com filosofias profundas, termos complicados, dados estatísticos enfadonhos e procuramos descrever causas, processos e efeitos, com simplicidade sem perder a qualidade.

Além do mais não pretendemos oferecer apenas uma técnica ou jeito, mas várias, para que a probabilidade de servir a você leitor interessado seja maior e melhor.

Assim a Meditação Transpessoal não é uma única técnica que você gosta ou desgosta, é um grupo de técnicas, métodos e possibilidades que você pode escolher conforme seu perfil psicológico e jeito de viver e vai entender “o quê” e “por quê” escolher e o que está acontecendo dentro de si quando encarar os efeitos da meditação.

Desta forma esperamos conquistar nosso objetivo fraterno: servir a humanidade.

Assim esperamos que este humilde trabalho tenha alguma valia, a despeito de nossas boas intenções.

Se você não tem 15 minutos para meditar duas vezes ao dia, você não tem uma vida. Dalton Campos Roque

[1] Cheguei a ver um livro que promete conseguir quase tudo através da meditação: dinheiro, amor, etc. Com certeza um absurdo imoral!!!

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.---- "Desvio-me daquilo que não posso aperfeiçoar e me aproximo daquilo que posso. Se não tenho condições de curar meu corpo, tenho condições de curar minha mente e, assim, me libertar para tomar decisões sensatas. Eu escolho o que me preocupa. O pensamento pode ser dirigido tanto para o caos quanto para a quietude. Posso optar por não esboçar infinitamente as “causas” das minhas dificuldades e projetar, no futuro, as suas limitações e agonias. Se não posso evitar que certas pessoas me condenem, posso parar de analisar seus motivos e deixar de defender meus atos. Não importa de quais aspectos eu não goste ou tenha medo, posso interromper minhas desgastantes tentativas de torná-los perfeitos." Hugh Prather - A Arte da Serenidade

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)