O DOMÍNIO DAS BIOENERGIAS

O DOMÍNIO DAS BIOENERGIAS

Não deixe de ver o vídeo e depois do texto, pois é baseado nele, Dalton

Este vídeo é impressionante e real e convence apenas quem conhece os processos das bioenergias. Um mestre chinês das artes marciais, que provavelmente domina Tai Chi Chuan e Chi Kun e que domina muitas artes de controle e domínio do Chi (energia pessoal) é capaz de dominar uma multidão.

Quem é ignorante (de ignorar e sem pejorativo) não vai acreditar e pensar que é teatro. Respeitemos os ignorantes (que ignoram através do NÃO SABER) e aprofundemos nossos estudos e perceptivas evolutivas e conscienciais.

A energia é neutra, ela pode ser usada para o bem ou para o mal, para dominar pessoas ou ajudar a libertar as pessoas. Esta energia pode sair pela voz, pelos gestos, pelo olhar, pelas mãos, pelo pensamento, pelo direcionamento da emoção e de muitas formas.

Hitler usou esta energia para dominar e manipular, Mahatma Ghandi usou para libertar todo um país numa grandeza de alma infinita. Há alguns Gurus contemporâneos usando-a para manipular pequenos ou grandes grupos e isto acontece a nossa volta.

Para saber mais sobre fenômenos sofisticados de bioenergias (considerados até milagres) leia o livro AUTOBIOGRAFIA DE UM IOGUE do autor Yogananda e verás o que são os poderes do domínio das energias pessoais pelos mestres.

Eu comecei aprender sobre isto aos 14 anos com meu pai e há coisas que não revelo a ninguém, até mesmo porquê não existem referências na história ou literatura. E claro, ninguém acreditaria.

Mas este mestre do vídeo puxa as energias da terra (telúricas) e a começa a elaborar no chacra básico (kundalini) e a remete em seguida para o chacra umbilical (repare que antes faz os movimentos para captar as energias com propriedade).

Depois do umbilical ele distribui as energias por todo corpo aumentando 10, 20, 30 ou mais vezes o tônus ósseo e muscular. É com esta energia concentrada no corpo que eles quebram telhas, madeira e concreto nos golpes de karatê, mas este mestre do vídeo vai mais longe.

Ele chegou num ponto que expande as energias para aura e chega a criar um campo de força e até a empurrar os alunos a distância.

Esta mesma energia é a base fundamental dos fenômenos paranormais em qualquer pessoa, que acontece quase sempre espontaneamente, muito sem querer.

Nossa educação, principalmente a ocidental é voltada apenas para o raso do intelecto. Precisamos de um novo sistema educativo social com Yoga, meditação, práticas bioenergéticas, autoconhecimento, psicologia, espiritualidade sem religião, multiversidade.

 

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)