PERSPECTIVAS DO ABORTO – EVOLUÇÃO ESPIRITUAL NA PRÁTICA

PERSPECTIVAS DO ABORTO – EVOLUÇÃO ESPIRITUAL NA PRÁTICA

Este texto aborda dois assuntos em sequência, conforme diz o tema.

A questão é complexa, mas a visão pode ser simplificada. Então vamos partir dos conceitos básicos de MINHA VISÃO PESSOAL, apenas minha, pois está sujeito a outras interpretações e outras perspectivas.

Premissas básicas ou axiomas, ou seja, o que é consenso no meio espiritualista universalista:

  1. O livre arbítrio existe – cada um escolhe seus caminhos e descaminhos, através do erro e acerto.
  2. O karma existe – ele é retificador, didático, não punitivo, não vingativo, flexível, etc.
  3. A lei dos semelhantes existe – atrai para mim meus semelhantes em meus aspectos positivos (bons e meritórios) e em meus aspectos negativos (viciados e de deméritos).
  4. A espiritualidade em seu nível relativo pode menos ou mais, muito ou pouco, mas não pode evoluir por ninguém, questão de foro íntimo, escolha pessoal.
  5. A cosmoética existe – e não tem nada a ver com a lei social e humana e os achismos dos sabidos.

Em cima disso já dá para dar uma viajada para todos os lados.

  • Será que a espiritualidade já sabe o que vai acontecer?
  • Mas qual espiritualidade? Quem é a espiritualidade?
  • Até que ponto ela influencia em cada caso?
  • Quando eu e você, pessoas medianas, bastante medíocres na maioria dos aspectos conscienciais, desencarnar, irá poder fazer o quê?
  • Iremos enxergar o quê fora do corpo e sem o corpo?

E seremos da espiritualidade se não ficarmos meio arraigados e “pesadinhos” no umbral? kkkk

Bem, a meu ver e a rigor, quanto maior o nível da espiritualidade, mais ela poderá ver com precisão o que irá acontecer nas dimensões do espaço-temo aqui na vida física.

Quanto “menor” o nível da espiritualidade, menos ela poderá ver. Há então uma questão de proporcionalidade na visão da espiritualidade que se possa especular.

O que acontece, pelo menos nos meios espíritas que eu tenho visto, é que a espiritualidade é vista quase como milagrosa, mágica e totipotente que o faz o que quer e pode tudo. Na verdade não é bem assim.

É uma questão da LEI DOS SEMELHANTES – assim,eu e meu grupo atraímos os amparadores e obsessores que merecemos.

Se formos muito éticos, operosos, trabalhadores, bons, estudiosos, esforçados, disciplinados, intelectualizados, universalistas, então teremos um poderosa bagagem e estaremos num nível consciencial muito bom, então atrairemos espíritos de alto quilate que nos inspirarão com dicas realmente avançadas.

Se um grupo é medíocre, atrairá espíritos medíocres. Não basta boa intensão, cara de bonzinho, fala mansa ou distribuir sopa, isto é apenas um item de um conjunto maior, tem que ter uma competência de trabalho. Grupos soberbos, arrogantes, altivos, intelectualizados, irão atrair seus semelhantes vaidosos e arrogantes também. Em grupos e pessoas sem amor, o assédio também chega por intelecto e este intelecto é subcérebro abdominal, denso e subrepitício.

Outra característica é que a espiritualidade TENTA (eu disse TENTA) aproveitar tudo, até as “porcarias” que fazemos para ajudar uns e outros. Dependendo do nível do grupo de espíritos que observa um certo evento, como uma possibilidade de um aborto.

Num exemplo hipotético os amparadores poderão concluir empiricamente que há uma probabilidade daquela menina fazer um aborto de 86% (exemplo). Isto antes dela engravidar em sua visão antecipada de tempo-espaço. Então encarnam nela um espírito bem denso. Se este espírito conseguir nascer será melhor para ele, vai ter uma vida ruim e vai ralar até não sei onde, mas vai melhorar suas energias muito densas.

Se for abortado, vai sofrer muito no processo e vai purgar as energias de muitos desvios e vidas num minuto, então, terá se dado bem de qualquer forma, do ponto de vista evolutivo.

Mas também depende de como ele vai encarar o processo. Ele perdoará?

A rigor não existe dor nem prazer, nem bem nem mal, tudo é pressão evolutiva e evolução. A isto chama-se karma! Karma é ação.

Bem, isto significa que é correto e bom fazer abortos? Não, claro que não!

Pode ser que não haja um planejamento e a coisa role solta sem amparo, pois não há mérito de ninguém arrolado neste processo.

A “espada é necessária”, mas ai de quem usar a espada!

O holocausto foi demérito daquele povo judeu na “espada” da mão de Hitler, mas isto dá razão a Hitler? Não!

Então até o mal é instrumento do bem.

Em cada caso temos que observar os atenuantes e os agravantes e generalizar é necessário, mas também arriscado a más interpretações.

Então o que conta muito é o mérito e demérito em cada caso.

A espiritualidade não altera o karma (bom ou ruim) de ninguém, ela apenas o administra.

Livro O karma e suas Leis – Ramatis

Nossos karmas são tendências positivas e negativas que nós temos, muito mais que os débitos que adquirimos.

Então não é só o chavão: “estou passando por isto porque é karma de vida passadas”! Não, o fulano está passando por isto por causa de suas tendências de pensamento, sentimento, energias e ação, é a atitude, que vem se acumulando e se plasmando em diversas encarnações. E então a coisa acontece.

O que a espiritualidade faz é ajudar em função da intenção sincera de se modificar por dentro. Então ela, a espiritualidade, adia o karma ruim, adianta um karma bom, protege dos obsessores por um tempo, até dar a chance da pessoa se reerguer e depois se virar sozinha. Sempre teremos que nos virar sozinhos! Sempre! Em algum ponto e em algum local, sempre.

Tem que acabar esta coisa de oração de pedidos, preces de vampirização. As orações e preces tem que ser para doar, para ajudar, para servir e principalmente para se modificar por dentro. Leia nosso artigo – VOCÊ SABE ORAR DE FATO?

Eu pergunto:

Livro O Karma e suas Leis - Ramatis

Livro O karma e suas Leis – Ramatis

  • Quantas vezes você ora por dia?
  • Quantos bons pensamentos você tem por dia?
  • Ajuda alguém de alguma forma pelo menos uma vez por semana? Ou só ajuda em oração no conforto do sofá?
  • Faz alguma prática bioenergética ou espiritual diária? Ou tem preguiça mental? Faz meditação então?
  • Se ajuda com alguma terapia? Não porque está “doida”, mas porque deseja melhorar seu autoconhecimento!

O comodismo das pessoas que só se mexem na hora da desgraça!

Você está preparado para desencarnar agora, já, bem desprevenido? Ou só pensa e planeja e não age?

Não estou falando do testamento, mas das reciclagens íntimas.

Então, as pessoas acham que a espiritualidade está no Centro Espírita, está no grupo espiritualistas de estudos, mas não está não, pois está dentro de si. Está nas coisas, no dia a dia e nas coisas mais simples.

A gente tem que aprender a parar de se irritar, a termos mais paciência, sorriso e olhar carinhoso. Temos que admitir nossos erros e incompetência evolutiva sem nos menosprezar e baixar a autoestima.

Ou vamos esperar a idade, a depressão, a doença, o acidente e a desgraça da perda de um ente amado te remexer?

Meu pai virou espírita depois da perda de seu filho. Minha sorte é que eu já era espiritualista há muitos anos. E já ouvi gente espiritualista velho de guerra, gente culta e bacana falar isto: “A gente é espiritualista, mas na hora a gente joga tudo fora”. E não falou por mal, é o que acontece com a maioria. Ser espiritualista não é rótulo!

Ser autor de livro, ter site, ser blogueiro, ser palestrante, ir em grupo de estudos e até ser parapsíquico, intelectual, médium ou projetor NÃO É NADA E NÃO VALE NADA!  É o que se sente por dentro. É a confiança em Deus, na justiça cósmica e em si mesmo e na PRÓPRIA e ÚNICA espiritualidade: a que mora dentro!

Apenas revelo a luta íntima que vivencio no meu processo espiritual próprio. E ela serve apenas como relato, exemplo vivo para outras pessoas. De alguém que trabalha, faz um pouco, e sabe que o que interessa e adianta é o que vivenciamos dentro de nós. O resto, o de fora, é coadjuvante, é acessório.

Eu vejo muitos espiritualistas “importantes” , “chiques”, “intelectuais” e “evoluídos” por aí desencarnados sendo ajudados por seus alunos e colegas, e admito, que pessoas que vêem meu trabalho com certa importância espiritual, se surpreenderão ao irem me ajudar em algum lugar denso depois de desencarnado. Admito isto desde já.

Temos que eliminar esta coisa da auto-importância. Isto faz parte do Paradigma Cartesiano: competição, status, vaidade, orgulho, proselitismo, propaganda, marketing.

Se encarar no espelho do autoconhecimento é duro, dolorido, difícil. Não é fácil. Não é para qualquer um. E saber que você é apenas mais um, como os “grandões” que sobem nos palanques dos congressos espiritualistas e como os mendigos miseráveis desprezados que vemos nos becos. Somos mais ou menos iguais e sem grandes diferenças, quase a mesma coisa.

Resta nos olharmos mais nos olhos e termos mais paciência uns com os outros. É tão simples, e tão ridícula a solução, que as pessoas não a enxergam, em verdade não a querem.

Não sou um oceano de paciência, nem uma montanha de estabilidade, mas preciso iniciar meu processo íntimo, reconhecer minhas burrices (todo mundo as tem) e sair da inércia consciencial e fazer alguma coisa por mim mesmo. Não estou falando de egoísmo ou egocentrismo, mas de consciência.

Sei que posso ajudar algumas pessoas, e preciso de ajuda também. Sei que posso trocar (de verdade e sem pieguismos emocionais) com as pessoas, gosto e preciso disso. A questão é (conforme o início do texto): a espiritualidade não está fora, nem lá em cima. A espiritualidade sou eu, você, nós, juntos! Eu preciso e devo estudar para entender os processos, técnicas e leis cósmicas (parte intelectual), mas preciso fundamentalmente me estudar, me conhecer e me melhorar por dentro.

Como minha mediunidade abriu? Abriu-se trabalhando o chacra cardíaco usando o mantra OM MANI PADME RUM durante 10 anos fazendo todos os dias. Então precisamos de vontade e técnica, mas de alguma disciplina para melhorar como consciência.

As vezes parar para fazer a tão necessária meditação é um problema, dá aquela ansiedade, os pensamentos disparam vem tudo na mente.

As vezes fazer o exercício físico na esteira também, mas sem um mínimo de esforço e disciplina VOCÊ NÃO VAI CONSEGUIR NADA!

Poderá engolir todos os livros e cursos do mundo, mas não vai progredir nada!

Poderá ir no Centro/Grupo/ Igreja duas vezes por dia, sete dias por semana, que não vai progredir nada!

E na hora que conseguir melhorar, que vai levar tempo e ser devagar, porque imediatismo fast food não entra aqui, é que você vai entender o que estou falando.

Quando você começar a fazer brilhar sua boa vontade íntima de se reciclar, vai sentir os mestres espirituais a sua volta e vai descobrir que é muito simples e fácil ser bem visitado extrafisicamente, e como e porque os mestres visitam os simples e não os arrogantes ou “New Age’s” milagreiros de plantão ou os intelectuais de doutrina.

Invista na poupança de sua consciência e todos os dias coloque algumas moedinhas conscienciais no “cofre” espiritual de seu coração. Abra mão das coisas densas. Não precisa fazer as coisas de impulso e de ímpeto que dá errado, Melhor ir devagar mas com firmeza em cada passo. E irá sentir que ano que chega com a idade é o melhor deles. E que a lucidez aumenta.

A vontade de viver aumenta. O brilho nos olhos aumenta. O sorriso aumenta. E você se surpreende se desapegando das coisas e amando um pouco mais as pessoas, quando já nem mais se lembrava disso, pois passaram muitos anos.

Abraços fraternos de apenas mais um lutador.

O verdadeiro iniciado tem que se vencer, tem que se auto-iniciar.

O nome novo, o manto, o turbante, os ornamentos e os rituais não iniciam ninguém a não ser sues egos.

A alquimia interior acontece dentro da joia do lótus de seu coração.

 

Gostou desse artigo? Então compartilhe, alguém pode estar precisando desse esclarecimento.
Ah, deixe seu comentário, isso pode me ajudar a criar outros conteúdos.
E ainda vote nas estrelas lá embaixo, obrigado!

 

 

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque – auto intitulado como “Tio Dalton” de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade.
—–
Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e “New Age’s”.
—–
Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática.
—–
É simples, irreverente, se denomina “caipira” e “sente muitas saudades de seu planeta”.
—–
O que mais aprecia é escrever, aprender, criar “coisas” novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. — -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)