A “CURA” NO PARADIGMA HOLÍSTICO

A “CURA” NO PARADIGMA HOLÍSTICO

Por Dalton Campos Roque – www.consciencial.org – Nota: todo texto é copyright nosso, registrado, e as imagens também. O artigo pode ser repetido apenas completo sem sofrer qualquer edição e com link para nosso site, sujeito a processo legal. – Nota: meu compromisso não é com “ganhar dinheiro”, mas com uma informação lúcida e libertária, para informar com respeito e ética as pessoas, nós do SC temos responsabilidade.

A “CURA” NO PARADIGMA HOLÍSTICO

– A cura e autocura no paradigma holístico ou consciencial –

O termo “holístico” foi desgastado pelo exagerado mal-uso popular e as distorções mistificadoras da New Age, e piorou mais com advento da internet. Atualmente (2015) é muito pouco utilizado, mas resolvi ressuscitá-lo com parcimônia e explicar.

Na verdade, o holístico (holos: todo) se refere a integral e está correto. Atualmente acontece a mesma coisa com as expressões “quântico(a)(s)”, sendo esta prostituída como marketing para vender cursos, livros, terapias e algo mais (há exceções).

Acho incrível a falta de ética das pessoas, não tenho nada contra a utilização do termo, desde que seja justa e bem aplicada. Mas mesmo justa, poucos compreendem de fato as conexões e implicações desses processos de consciência.

Indo direto ao assunto, meu objetivo é falar sobre cura e autocura e mais uma vez tenho que explicar sobre paradigmas.

A visão sobre a realidade holística, foi sim um salto evolutivo duma minoria na sociedade. Do paradigma newtoniano cartesiano – do materialismo e alopatia – até evoluir ao tratar do ser humano de forma integral – paradigma holístico – foi um grande salto.

NOTA: Neste ponto em si devo explicar para que o leitor para NÃO confundir o NOME do paradigma com os cientistas Newton e Descartes, que NÃO eram materialistas, inclusive eram alquimistas e acreditavam em algo espiritual. As ciências (conhecimento) por eles desenvolvidas forneceu os parâmetros e deu o nome de batismo ao que se deseja referir paradigma mecanicista, onde apenas a matéria prevalece e o “espírito” é ignorado.

Livro O karma e suas Leis - Ramatis

Livro sério, didático, considerado o melhor pelas maiores autoridades espiritualistas do Brasil

Com isso quero ressaltar a visão dos céticos (médicos, biólogos, farmacêuticos, etc.) materialistas e comparar com a visão holística, ou seja, com a visão consciencial. Sim, Paradigma Consciencial é um sinônimo de Paradigma Holístico, e desejo comparar a visão da “CURA” nos dois paradigmas, mas isto pode ser mais complicado do que parece.

Para entender com relativa profundidade precisamos saber que o ser humano não é apenas um corpo físico. Somos um complexo sinérgico bio-psico-sócio-consciencial, temos vários níveis conscienciais, vários corpos sutis, vários portais interdensionais energéticos (chacras), vários centros de consciência (parachacras), etc. Estamos sujeitos a interferência de uma infinidade de campos abstratos, relativos e sutis psíquicos-energéticos-conscienciais.

Nenhum desses campos, corpos sutis, energias psíquicas são detectadas por qualquer aparelho convencional no orbe terrestre.  Portanto, essa percepção tem duas origens: os textos sagrados “místicos” antigos e nossas parapercepções sutis (mediunidade, parapsiquismo, projeção astral consciente), aliadas a nosso discernimento consciencial lúcido atual.

Falamos em amor, em registros akáshicos (akash – se escreve de diversas formas), em inconsciente coletivo e pessoal, em “somos todos um”, em campos morfogenéticos, em arquétipos, em mitos, em carma e gruposcarma, em multidensidades (níveis extrafísicos) etc, e nenhum destes (raras exceções) é reconhecido ou detectado pelo paradigma cartesiano newtoniano materialista e cético.

*** Não deixe de baixar gratuitamente diversos e-books e materiais de autocura e autoconhecimento, inclusive nesta questão específica de CURA HOLÍSTICA ***

Por outro lado, quando entramos no debate, em nível de Paradigma Holístico ou Consciencial pisamos em terreno incerto e subjetivo. Alguns poderão argumentar que “basta usar a lógica”, mas não é simples assim. A fé cega irracional de um certo crente incauto, para ele é totalmente lógica.

Então a lógica, o discernimento para um grupo de céticos, materialistas médicos (p. ex.) pode simplesmente chamar um médium ou um projetor consciente de irracional. Assim vemos ateus ironizando crentes e vice-versa, cada qual com sua “lógica impecável e perfeita”. Assim vemos muitos irracionais “New Agers” criticando gente lúcida que conhece e vivencia o Paradigma Consciencial profundamente.

E o pior é que isto acontece também no paradigma cartesiano. Um grupo de Psicólogos da linha A critica e condena os da linha B. Um grupo de médicos do sistema X critica outro do sistema Y. Um grupo de cientistas que investiga a hipótese N, critica e compete com o grupo que investiga a hipótese contrária Z.

Então, é extremamente fácil constatar os fatos citados por estes argumentos tão genéricos – de propósito – que podem ser confirmados nos devidos meios em infinitos níveis e situações à exaustão.

E no paradigma holístico também se montam grupos cujo comportamento são como clubes de futebol, onde cada qual é “o melhor” e disputa a “taça de campeão do mundo” dono das verdades espirituais / conscienciais / metafísicas / parapsíquicas e espiritualistas várias. Um prato cheio para fanáticos, ingênuos e incautos de todas as opções.

É um verdadeiro pântano movediço onde o relativo, o subjetivo, o abstrato e o “achismo lógico” disputam a maldita razão absoluta. Temos que encontrar um caminho mais seguro para universalizar e convergir as experiências pessoais, as perspectivas grupais, ante as hipótese e teorias conscienciais.Livro Estudos Espiritualistas

Sim, eu não me esqueci, estamos falando de cura e autocura, e como eu expliquei, não é simples grafar meus pensamentos de pretenso pesquisador, dissecador de conhecimentos conscienciais.

  • Como evoluir da “bagunça mística” para o discernimento?
  • Como definir os controversos processos de “cura” entre milhares de terapias holísticas?
  • Como fazer uma pesquisa consciencial e obter relativos resultados confiáveis?
  • Como ser isento nas interpretações sem insinuar que minha visão pessoal / grupo é que é a “única ou melhor verdade”?

Sabe porque não é fácil? É uma fase planetária, a era de expiação de uma espécie sem lucidez, que sente o denso e o imediato e não percebe o sutil que é invisível aos olhos.

PLANOS ESPIRITUAIS

Mas eu citei vários tipos possíveis de campos, e esses campos são uma faixa de energia ou condição vibracional. E a ciência cartesiana já reconhece que tudo é energia e chega ao extremo de reconhecer que não sabe o que é em essência esta energia, mas que é um tipo de “informação”.

E se o Paradigma Cartesiano Newtoniano materialista reconhece isto (mesmo sem unanimidade), temos aqui uma premissa básica maior como ponto de partida para criar uma tese.

Teoria – no caso, procuro uma para tentar explicar a cura holística. Uma teoria para ser aceita cientificamente precisa de 2 premissas, uma maior (a citada) e outra menor (a encontrar-se). No entanto, todas as 2 terão que ser aceitas no paradigma cartesiano, o que não é o caso aqui.

Premissa maior: tudo é energia

Discorrendo: tudo é energia em graus e condições variadas de manifestação. Assim existem infinitos níveis energéticos, e tão poucos já detectáveis por nossos aparelhos do século XXI. Isto nos propicia hipotetizar livremente inúmeros campos, entre eles: campos psíquicos, bioenergéticos, emocionais, etc.

espectro eletromagnetico

Premissa menor: há um agente ativo que influencia as energias

Discorrendo: o observador é o agente ativo que influencia as partículas, as ondas, as interconectividades quânticas, etc. Mas este agente não é a luz, nem algum aparelho utilizado para as medições, também não é o corpo ou mente do pesquisador, pois estes também são energias, então temos que SUPOR que exista algo que transcenda a energia, e que não seja energia, e que vamos chamar de “Consciência”.

***

No máximo, existem no universo apenas 2 elementos básicos: Consciência e energia. Sendo que a Consciência é causa e a energia (ou informação) é efeito, consequência.

***

Assim, somos “consciências” imateriais, não-locais, adimensionais, a-multidensionais, totalmente transcendentes, onde praticamente não existem termos ou palavras para designar isto, pois está além do espaço-tempo.

Estas “Consciências” se manifestam no universo por instrumentos dos corpos sutis, o duplo etérico (corpo vital) e o corpo físico (soma), e constroem todo o universo físico-energético-vibracional-consciencial em derredor com seus devidos desdobramentos e nuances, onde incluem-se os multiversos, etc, para não complicar demais.

A rigor, quem reencarna não é a “Consciência”, mas as energias dela derivadas – a Consciência é livre em persi. A conclusão é que somos energias permeando energias, habitando energias, trocando energias e com uma vida “social” de energias.

Assim a “doença” é um desvio energético onde a natural escala vibracional “adoeceu” e modificou-se. Então a “cura” é um retorno a escala vibracional natural sadia.

Somos seres multidensionais (corpo físico, energético, astral, mental, etc) e só percebemos a doença numa faixa vibracional mais baixa e densa, ou seja, no corpo físico.

Então a cura integral deve trabalhar numa escala de frequências mais ampla, maior e atuar em vários “corpos”, em vários níveis “dentro” desses corpos.

A medicina cartesiana com a alopatia e as cirurgias atua vibracionalmente apenas no corpo físico e ignora os demais. A homeopatia e a acupuntura, cromoterapia, shiatzu, do-in, digitopressura, reflexologia, sistemas de massagens, etc, atuam mais nos corpos: energético (duplo etérico), no corpo astral (perispírito) e no corpo físico também. Este tratamento é bem mais completo, mas não atua nos campos psíquicos, influências arquetípicas e ancestrais do sujeito e sua família (campos morfogenéticos). O campo psíquico pessoal do paciente tratado por estas terapias holísticas vai ser melhorado por consequência ou falando de forma popular, por tabela.

A Apometria (seja ela qual for, com que nome for) atua mais no corpo astral, etérico, na dimensão extrafísica e nos duplos energéticos e extrafísicos do habitat do paciente, mas não atua nos campos psíquicos e inconscientes, familiares e ancestrais.

A Constelação Familiar atua no campo familiar e ancestral, mas bem menos no campo psíquico pessoal, para o qual seria necessário outro tipo de terapia de tratamento contínuo.

A TVP – Terapia de Vidas Passadas trabalha o campo psíquico pessoal e o campo familiar e a auto descendência extrafísica. A TR – Terapia de Regressão atua apenas no campo psíquico pessoal, etc.

Com isso eu quero dizer, concluir, que todas são boas, podem ser úteis, mas todas possuem ressalvas e nenhuma é completa e integral realmente.

As terapias holísticas são integrais no sentido de irem além do corpo físico no tratamento, mas não cobrem todas as frequências e escalas vibracionais de todos os corpos (holossoma) do paciente. É justo esta condição que obriga o comprometimento do paciente na auto melhoria íntima contínua. Só o próprio paciente consegue atingir todas as escalas e frequências de si mesmo.

Penso que a Apometria (sem demais nomes adicionais) foi um salto na humanidade nas formas de tratamento integral humano, pois a parte mais frágil e crítica ainda é a situação extrafísica do paciente e a questão das obsessões, algo que não pode ser ignorado em nenhuma terapia holística.

Mas todas as terapias, tratamentos atuam em essência nas condições vibracionais de seus alvos e tentam “curar” a “doença” retornando a faixa de vibração natural aquele alvo (sintoma).

Em verdade qualquer que seja a terapia, sistema ou tratamento com sua interferência positiva vibracional, ela está tentando “comunicar” a Consciência do paciente para que ela aprenda “sozinha” a manter a escala de vibração correta de saúde.

Isto significa que toda cura é uma auto cura, que todo aprendizado é um auto aprendizado e que toda evolução é uma auto evolução. Significa que ninguém cura ninguém, que ninguém ensina ninguém e ninguém orienta a evolução consciencial de ninguém, todos os auxiliares são meros coadjuvantes.

Saber isso é muito chato a quem deseja milagres, a quem quer comprar a cura de qualquer jeito e não quer se incomodar, não quer se comprometer em melhorar.

Transcendendo as duas premissas que já citei, há leis imperativas, inexoráveis, energéticas e conscienciais no pano de fundo do universo. São leis magnas e isto significa que nem mesmo Jesus, Buda, Krishna, as Fraternidades Brancas / Avançadas / Serenonas / Angélicas / Arcangélicas / X, Y, Z do “super céu supremo máximo inatingível” são obrigados a obedecê-la, pois não conseguem desafiá-la. E isto explica que não há como prometer cura e salvação de carma ruim, ascensão fácil, expansão de consciência, o que infelizmente é vendido no atacado pela New Age (Nova Era) por milagreiros a preços módicos e também a preços caros.

São campos estabelecidos em formas de sistema energéticos em equilíbrio sutis. Esses sistemas trocam energias em obediência as leis cósmicas imperativas. Tais leis criam e destroem galáxias inteiras e não possuem apego, pena ou dó do planeta X ou Y e muito menos de algum de nós.

Agora nos resta a auto cura coletiva através da honestidade e da ética sem culpar países, políticos ou governos.

Pergunto qual a diferença básica da “cura” nos Paradigma Cartesiano e no Paradigma Holístico ou Consciencial?

Cura no sistema Cartesiano Newtoniano vigente “Cura” no sistema Holístico Consciencial
Atua apenas no corpo físico Chega a atuar nos corpos físico e astral, mas principalmente no duplo etérico
Apresenta resultados imediatos ou rápidos – mas a doença permanece noutros corpos Apresenta resultados rápidos, lentos e de longo prazo
É altamente invasivo e agressivo É totalmente sutil
Incentiva a terceirização da cura: “Me cure Dr. Que eu pago”!

“Me cure milagreiro quântico que eu pago”!

Orienta a responsabilidade da auto cura. O paciente é o principal agente, o terapeuta e o método são coadjuvantes.
Toda cura parece uma heterocura Toda cura é uma auto cura
Não necessita reforma íntima – ilusão Exige reforma íntima – “decepção lúcida”
Tudo é genético e/ou mesológico É paragenético, genético e mesológico
A doença continua nos corpos sutis A doença vai ser tratada nos corpos sutis
A doença segue para encarnações seguintes nos corpos sutis A doença quando não superada totalmente é atenuada e apenas os resíduos restantes seguem para as encarnações seguintes
Ilusão cômoda e confortável Verdade dolorosa
Setorizada, especialização, unidisciplinaridade Multidisciplinaridade corpo-mente-espírito – holismo
Unidensional Multidensional
Mal dá conta do lado psicológico e emocional do paciente Aborda o fator psíquico, o emocional, o mental, o energético e a contraparte extrafísica com as devidas obsessões
Funciona a 5% Funciona a 50%
Não solicita empatia na relação terapêutica Solicita empatia na relação terapêutica
Generalismo – corrompida pelos laboratórios farmacêuticos e planos de saúde Corrompido pela New Age, pelas citações “Quânticas”, status terapêuticos mediúnicos, propaganda com nome de mestres, etc
Sujeito a pesquisas científicas dentro do paradigma Sujeito a pesquisas conscienciais através da universalidade do conhecimento pelas vivências pessoais alinhadas estatisticamente
Pesquisas sujeitas a corrupção e distorção pelas grandes corporações com interesses financeiros Sujeito as más interpretações ainda com perspectivas muito religiosas, pouco conscienciais de fato por interesses de ostentar status evolutivos
Dependência máxima do sistema social de saúde com grandes gastos Independência total de tudo, tendo centenas de opções gratuitas de auto cura e também muitos serviços gratuitos efetuados por voluntários
Muito desdém e sentimento de superioridade do profissional liberal com seus pacientes – falta de ética Pouco desdém ao paciente, mas existe também muita falta de ética pela promessa de cura e nomes pomposos e empolados New Age
Competição por ser o melhor profissional Competição por ser o melhor profissional
Influência dos mitos e distorções científicas e seus boatos Influência avassaladora da praga da New Age incauta
Atua pela lei dos contrários Atua pela lei dos semelhantes
Resultados visíveis e pesquisáveis pela estatística Resultados visíveis e pesquisáveis pela estatística – exige mais controle e uma estatística mais robusta – meta análise
Pesquisas bancadas por megacorporações capitalistas, principalmente, visando apenas o lucro com nenhuma preocupação social Começa lentamente a atrair pesquisas de universidades federais em pontos isolados e visa o benefício social e a qualidade de vida
Estagnado pela ciência e seu paradigma falido Ampliado pelo tripé ciência-filosofia-espiritualidade. Utiliza o paradigma cartesiano, mas estende-se ao paradigma consciencial (holístico)
Depende amplamente de equipamentos, exames e tecnologias de ponta Também depende relativamente um pouco de exames, mas depende mais dos fatores PSI do terapeuta e suas parapercepções
Não resolve tudo. Tem muitas dúvidas. Não resolve tudo. Tem muitas dúvidas.
Tem muitas certezas e convicções, muitas serão contraditas pelo próprio paradigma no dia de amanhã Tem algumas certezas e convicções e infinitas dúvidas…
Serve a todos os credos, religiões, ateus e céticos Serve apenas a quem se afiniza com ela
O ser humano é uma máquina biológica. A vida é um processo físico-químico. O ser humano é um complexo sinérgico bio-psico-sócio-consciencial, bioenergético, multidensional, multimilenar
A “máquina” quebrou, ficou doente Certa faixa vibratória de certo corpo sutil se alterou, a frequência “adoeceu”
Existem doentes e doenças Não existem doenças, apenas um estado de ser e sentir – estado transitório mesmo se não existir cura nesta encarnação
O “milagre” da cura é exceção O milagre da auto cura é possível e esperado

 

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.---- "Desvio-me daquilo que não posso aperfeiçoar e me aproximo daquilo que posso. Se não tenho condições de curar meu corpo, tenho condições de curar minha mente e, assim, me libertar para tomar decisões sensatas. Eu escolho o que me preocupa. O pensamento pode ser dirigido tanto para o caos quanto para a quietude. Posso optar por não esboçar infinitamente as “causas” das minhas dificuldades e projetar, no futuro, as suas limitações e agonias. Se não posso evitar que certas pessoas me condenem, posso parar de analisar seus motivos e deixar de defender meus atos. Não importa de quais aspectos eu não goste ou tenha medo, posso interromper minhas desgastantes tentativas de torná-los perfeitos." Hugh Prather - A Arte da Serenidade

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)