DESÂNIMO, PREGUIÇA E DEPRESSÃO

DESÂNIMO, PREGUIÇA E DEPRESSÃO

Quem já não teve um dia de desânimo, preguiça ou depressão, atire a primeira pedra! Na maioria das vezes é fácil reagir, basta um pouquinho de vontade. Recomendo, ao menos, vinte minutos de caminhada diária. Se preferir outros exercícios, tanto melhor. O exercício físico faz com que nossas glândulas produzam as endorfinas, os hormônios do prazer. Quando você se exercita de manhã, o dia inteiro fica bom e à noite você dorme melhor. Os deprimidos devem usar também roupas claras, coloridas (leia sobre cromoterapia) e bonitas, ouvir músicas alegres, usar perfume a gosto e procurar fazer o que se gosta: companhias e hábitos sadios (inclusive passatempos como cuidar de bichos, jardinagem e leituras saudáveis).

O bom humor é um ótimo remédio. Existem depressões graves de origem fisiológica. Para essas situações, só um tratamento específico. Suco de acerola, café ou guaraná podem ser bons estimulantes. Não use os dois últimos em excesso. Como semelhante atrai semelhante, a lei espiritual mais básica e importante, o deprimido ou preguiçoso atrairá espíritos afins a este estado e, por conseguinte, se sentirá pior se não reagir a tempo.

Por minha análise intuitiva, acredito que grande parte das pessoas muito orgulhosas e arrogantes há várias vidas, quando não melhoram, chegam ao ponto em alguma vida, que o orgulho se transforma em depressão. A humildade é um excelente remédio para estes casos, o que não é fácil para pessoas com orgulho e arrogância arraigados ao histórico multissecular da consciência. Há pessoas que não reconhecem um erro e sequer pedem desculpas numa vida inteira.

A OMS – Organização Mundial de Saúde calcula que cerca de 20% da população mundial já sofreu ou vai sofrer de depressão algum dia da vida[1]. Conforme a OMS, a depressão afeta cerca de 340 milhões de pessoas e causa 850 mil suicídios por ano em todo o mundo. No Brasil, são cerca de 13 milhões de depressivos.[2] Para se ter uma ideia grosseira a tristeza que ultrapassar a três semanas, se transforma em depressão. Após este prazo a serotonina (hormônio produzido pela glândula pineal) sofre transtornos bioquímicos. As mulheres procuram o tratamento com mais facilidade, pois o machismo ignorante dos homens faz com que eles se sintam “frouxos” para procurar ajuda. Aconselha-se procurar todos os meios de apoio: espiritual, psicoterapia e psiquiátrico. Procure seu médico de confiança.

A síndrome do pânico é vizinha da depressão, andam juntas. Esta só acontece em grandes cidades e a família pode ajudar. Há famílias rudes que acham que é “frescura”, mas pode ser doença de verdade. Se uma família for sensível e inteligente, deve dar apoio moral e psicológico sem depreciar seu parente.

[1] Site <http://www.unimeds.com.br/preview/?cod=1759> – janeiro/2008.

[2] Site <http://www.boehringer-ingelheim.com.br/conteudo.asp?conteudo=932> -jan/2008

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque – auto intitulado como “Tio Dalton” de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade.
—–
Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e “New Age’s”.
—–
Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática.
—–
É simples, irreverente, se denomina “caipira” e “sente muitas saudades de seu planeta”.
—–
O que mais aprecia é escrever, aprender, criar “coisas” novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. — -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)