O QUE É PRANA E PRANAYAMA

O QUE É PRANA E PRANAYAMA

O princípio da vida é o nome da energia imanente pela nomenclatura Hindu. É a soma total da energia, a força etérica manifestada no Universo. É a soma total das forças da natureza e dos poderes latentes no homem e em torno dele. Prana é mais sutil que o ar, é a energia essencial que está dentro de tudo em todo o Cosmos. Calor, luz, eletricidade, magnetismo, são manifestações do prana. Qualquer coisa que se mova ou tenha vida é uma expressão ou manifestação do prana.

 

O prana pode ser divido em cinco tipos:

  1. Prana – concentra-se no cérebro e move-se para baixo governando a respiração. Está ligado à inteligência, à sensibilidade, às funções motoras principais. É o principal tipo de energia cósmica.
  2. Vyana – concentra-se no coração. Age no corpo inteiro governando o sistema circulatório, as articulações e os músculos. É captado do ar inspirado nos pulmões e da energia dos alimentos.
  3. Samana – concentra-se no intestino delgado, governa o aparelho digestório e é captado principalmente pela energia vital dos alimentos vivos (sementes, frutas, etc.).
  4. Udhana – concentra-se na região da garganta e governa a fala, o teor da voz, a força vital, a força de vontade, o esforço, a memória e a exalação do ar. É captado, sobretudo da energia que advém do chacra da garganta.
  5. Apana – concentra-se no baixo ventre, governa a evacuação e a micção, a potência sexual, o fluxo menstrual e o processo de parto. É captado pelo chacra localizado na base da coluna, básico, e pelo dos órgãos genitais (chacra sexual ou genésico).

 

O que é pranayama?

São técnicas de respiração para captar e assimilar de forma mais eficiente o prana através de exercícios respiratórios. Muito utilizado pelos iogues. Prática respiratória para o domínio bioenergético.

Pranayama é uma palavra sânscrita e significa respiratório. Ele é o quarto ramo do Raja Yoga (ou quarto passo na senda dos oito aforismos) exposto no Yoga Sutras de Pátañjali, o grande codificador do Yoga. Prana é a fonte de energia. Pranayama é o conhecimento e controle do Prana.

O que você achou?

Sobre o(a) autor(a)

Dalton Campos Roque - auto intitulado como "Tio Dalton" de forma irreverente, sempre bem humorado e brincalhão. Formado em Engenharia Civil, pós-graduado em Estudos da Consciência com ênfase em Parapsicologia e em Educação em Valores Humanos. Manifestou eventos paranormais e mediúnicos desde o berço e foi criado neste meio, pois seu pai e dois irmãos também manifestavam fenômenos parapsíquicos ostensivos. Começou a aprender com o pai (que é médico e Parapsicólogo) Parapsicologia e Hipnose a partir dos 14 anos de idade. ----- Professor de Informática, espiritualista universalista, médium intuitivo, curioso e espontâneo em desconstruir falácias religiosas, espiritualistas e "New Age's". ----- Curte Rock Progressivo, Rock pesado, música New Age e músicas mais espirituais em geral, adora filmes de ficção científica e ação. Curte eletrônica, áudio, física e matemática. ----- É simples, irreverente, se denomina "caipira" e "sente muitas saudades de seu planeta". ----- O que mais aprecia é escrever, aprender, criar "coisas" novas e originais e organizar conhecimento com tendências mais científicas. Detesta o misticismo exacerbado New Age, o que considera uma desinformação. --- -Me ame quando eu menos merecer, pois é quando mais preciso.---- "Desvio-me daquilo que não posso aperfeiçoar e me aproximo daquilo que posso. Se não tenho condições de curar meu corpo, tenho condições de curar minha mente e, assim, me libertar para tomar decisões sensatas. Eu escolho o que me preocupa. O pensamento pode ser dirigido tanto para o caos quanto para a quietude. Posso optar por não esboçar infinitamente as “causas” das minhas dificuldades e projetar, no futuro, as suas limitações e agonias. Se não posso evitar que certas pessoas me condenem, posso parar de analisar seus motivos e deixar de defender meus atos. Não importa de quais aspectos eu não goste ou tenha medo, posso interromper minhas desgastantes tentativas de torná-los perfeitos." Hugh Prather - A Arte da Serenidade

Deixe um comentário

Comentário (requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (requerido)
E-mail (requerido)